AVALIAÇÃO PRELIMINAR DAS CONCENTRAÇÕES DE METAIS PESADOS NOS SEDIMENTOS DA LAGOA DO ARAÇÁ, RECIFE, ESTADO DE PERNAMBUCO

  • Josineide Braz de Miranda Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnológica de Pernambuco
  • Hélida Karla Philippini da Silva Associação Instituto de Tecnologia de Pernambuco
  • Erika Cristina Ferreira da Silva Associação Instituto de Tecnologia de Pernambuco
  • Marta Maria Menezes Bezerra Duarte Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: metal pesado, sedimentos, Lagoa do Araçá, Pernambuco

Resumo

Os manguezais vêm sofrendo um intenso processo de degradação ambiental, devido ao aumento da carga de efluentes e resíduos lançados sem tratamentos nesses ecossistemas, causando assim sua contaminação, principalmente por metais pesados. A Lagoa do Araçá, formada por um ecossistema de manguezal, situa-se em Recife, Pernambuco-Brasil, faz parte de uma Área de Preservação Ambiental e recebe os efluentes domésticos e industriais do bairro, o que pode estar contaminando a área com metais pesados. Este estudo teve como objetivo realizar uma avaliação preliminar do grau de impactação da Lagoa do Araçá pelos metais pesados Cromo (Cr), Ferro (Fe), Manganês (Mn) e Zinco (Zn). Os resultados obtidos nos sedimentos da lagoa indicaram que os teores de manganês, zinco e cromo apresentaram níveis de concentração acima dos valores utilizados como referência, acima dos valores de referência para solos do estado de São Paulo (CETESB) e dos valores-guia de qualidade de sedimentos do Canadá (CCME). O teor de ferro encontrado nas estações de coleta ficou acima do valor limite estabelecido pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (USEPA). Portanto, os sedimentos da Lagoa do Araçá encontram-se contaminados por cromo, ferro, zinco e manganês, apresentando-se como um importante compartimento acumulador destes metais.

Biografia do Autor

Josineide Braz de Miranda, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnológica de Pernambuco
Professora
Hélida Karla Philippini da Silva, Associação Instituto de Tecnologia de Pernambuco
Química
Erika Cristina Ferreira da Silva, Associação Instituto de Tecnologia de Pernambuco
Química
Marta Maria Menezes Bezerra Duarte, Universidade Federal de Pernambuco
Professora do Departamento de Engenharia Química
Publicado
2011-09-01
Seção
Artigos originais