PROCESSOS FLUVIOMARINHOS ASSOCIADOS À FORMAÇÃO DA ILHA RASA, SUL DA BAÍA DE MARAPATÁ, NORDESTE DO PARÁ, BRASIL

  • Samuel Rodrigues Ribeiro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Roberto Célio Valadão Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

As ilhas assumem expressivo destaque na paisagem estuarina paraense; contudo, a maior parte delas apresenta gênese não claramente definida. A fim de investigar os fatores de formação da ilha Rasa, situada na foz do rio Tocantins, estuário do rio Pará, o presente trabalho se apoia em feições sedimentares identificadas em um testemunho de sedimento coletado no interior da ilha. Neste trabalho, a integração faciológica e a interpretação de seus ambientes deposicionais, em associação aos eventos climáticos reportados para a região, subsidiaram a proposição de modelo morfogenético. O modelo aqui proposto sugere que a ilha Rasa possui idade tardio-holocênica e consistia, incialmente, de barras arenosas
que evoluíram sob o efeito de processos fluviais, inerentes à rede de drenagem e marinhos, articulados às mudanças no clima e nível do mar. Esses processos afetaram o suprimento de sedimento e a distribuição da cobertura vegetal, influenciando a configuração do setor estuarino e contribuindo para a formação de ilhas proximais.


Palavras-chave: barra arenosa, estuário, nível relativo do mar, ambiente sedimentar, rio
Tocantins.

Publicado
2021-01-20