PROPOSTA METODOLÓGICAPARA O MAPEAMENTO DOS DANOS CAUSADOS POR EVENTOS EXTREMOS EM PRAIAS DENSAMENTE URBANIZADAS

  • Thales Vargas Furtado Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Santa Catarina, ex-bolsista de mestrado da Capes, Laboratório de Oceanografia Costeira, Coordenadoria Especial de Oceanografia, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas, Universidade Federal de Santa Catarina.
  • Jarbas Bonetti Laboratório de Oceanografia Costeira, Universidade Federal de Santa Catarina, bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq, Coordenadoria Especial de Oceanografia, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas, Universidade Federal de Santa Catarina.

Resumo

A repercussão dos efeitos de eventos extremos na zona costeira, sobretudo nos processos de erosão, tem estimulado a proposição de diferentes alternativas metodológicas para a análise de sua vulnerabilidade. A identificação das áreas mais suscetíveis à erosão representa um elemento de apoio à gestão e prevenção de desastres naturais, mas pouca atenção tem sido dada ao desenvolvimento de estratégias de mapeamento dos impactos efetivamente sofridos. Este estudo tem como objetivo propor uma metodologia para o mapeamento de danos baseada no emprego de indicadores de eventos erosivos na Praia dos Ingleses, SC. Após a ocorrência de fortes eventos erosivos na área de estudo foram realizados levantamentos de campo para identificar feições pontuais que caracterizassem distintos estágios erosionais no pós-praia, tendo os mesmos servido de base para a elaboração de um esquema de classificação contínuo ao longo da área. O mapeamento dos níveis de danos mostrou que existe uma variabilidade importante na exposição da praia estudada, havendo uma relação direta entre a proximidade da urbanização à linha de costa e a supressão duna frontal e com as maiores intensidades dos danos sofridos.

Publicado
2021-01-20