A CATEGORIA DO SEM-MEDIDA EM HEGEL E MARX

  • Federico Orsini
Palavras-chave: Sem medida, mercadoria, contradição, qualitativo, quantitativo

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as transformações que a categoria de “sem-medida” (maßlos) experimenta na transição da Ciência da Lógica de Hegel para O Capital de Marx. A premissa metodológica de minha investigação é a ideia de que exigência de esclarecer o método de O Capital traz consigo a necessidade de uma análise comparativa com o método hegeliano. A análise contém duas partes. Na primeira parte, mostrarei como o sem-medida surge nos primeiros capítulos de O Capital. Na segunda parte, reconstituirei a categoria de sem-medida na Doutrina do Ser (1832) de Hegel. Nas considerações conclusivas, apontarei três semelhanças e três diferenças entre as duas figuras do sem- medida em Hegel e em Marx. As semelhanças são: o uso de uma lógica dialética, a interação do qualitativo e do quantitativo, e o princípio da explicitação da coisa mesma. As diferenças dependem da diferença entre uma lógica sem-pressupostos e uma lógica peculiar do objeto peculiar.

Referências

BORDIGNON, M. Ai limiti della verità. Il problema della contraddizione nella logica di Hegel. ETS Pisa, 2014.
FINESCHI, R. Ripartire da Marx. Processo storico ed economia politica nella teoria del ‘Capitale’. Napoli: Città del sole, 2001.
FINESCHI, R. Marx e Hegel. Contributi per una rilettura. Roma: Carocci, 2006.
HEGEL, G.W.F. Ciência da Lógica. 1. A doutrina do ser. Petrópolis (RJ): Editora Vozes, 2016. Tradução de C.Iber, M.L. Miranda, F.Orsini.
HEGEL, G.W.F. Ciência da Lógica. 2. A doutrina da essência. Petrópolis (RJ): Editora Vozes, 2017. Tradução de C.Iber, F.Orsini.
HOULGATE, S. The Logic of Measure in Hegel’s Science of Logic. In: International Yearbook of German Idealism, De Gruyter, v. 12, 2014, p.115-138.
IBER, C. Metaphysik absoluter Relationalität. Eine Studie der ersten beiden Kapiteln der Wesenslogik. De Gruyter Berlin, 1990.
IBER, C. Elementos da teoria marxiana do capitalismo. Um comentário sobre o livro I de O Capital de Karl Marx. Porto Alegre: Editora Fi, 2013.
KERVÉGAN, J.F. Hegel e o hegelianismo. São Paulo: Edições Loyola, 2008. Tradução de Mariana Paolozzi Sérvulo da Cunha.
MARX, K. Das Kapital. Kritik der politischen Ökonomie. Erster Band. Hamburg 1867 (1867): MEGA II.5. Berlin: Dietz, 1983.
MARX, K. O Capital. Crítica da Economia Política. Livro I. São Paulo: Boitempo, 2011 (edição digital).
MORETTO, A. Die Hegelsche Auffassung des Maßes in der Wissenschaft der Logik gemäß der Lehre vom Sein von 1832. In: Koch, A. F./Schick, F. (Hg.): G.W.F. Hegel: Wissenschaft der Logik. Berlin: Akademie Verlag, pp. 75–97.
SMITH, T. Marx’s Capital and Hegelian Dialectical Logic. In: Moseley, F. (Ed.) Marx’s Method in Capital. A Reexamination. New Jersey: Humanities Press, 1993, p. 15-36.
STEKELER-WEITHOFER, P. Das Sein. Dritter Abschnitt. Das Maass. In: Quante, M./ Mooren, N. (Hg.), Kommentar zu Hegels Wissenschaft der Logik. Hegel-Studien, Beiheft 67. Hamburg: Felix Meiner, p.219-273.
Publicado
2020-10-25
Seção
Dossiê Conexão Hegel-Marx: Novas Leituras