MARX SOBRE A LOUCURA

Palavras-chave: Loucura, Sofrimento, Saúde Mental, Marx, Marxismo

Resumo

No artigo, apresentamos uma análise sobre a loucura a partir de Marx, extraindo sua compreensão sobre como ela é produzida no modo de produção capitalista (MPC). Para isso, analisamos produções marxianas acerca do sofrimento ou deste nas suas formas mais aguçadas como a loucura e o suicídio, situando tal compreensão nos marcos de sua análise totalizante, materialista histórico-dialética sobre o ser social no MPC e dialogando com elaborações de importantes autores no campo psi, cujos entendimentos se fundamentam nos postulados marxianos. Como resultado, explicitamos o caráter social da loucura, que diz de sua determinação social, como expressão ou desdobramento da “questão social” no MPC, tendo como base material o conjunto das relações de produção e a alienação e estranhamento pelo trabalho (alienado e estranhado) como fundamento. Expomos também a crítica marxiana às formas hegemônicas asilares e coercitivas de compreensão e tratamento da loucura, argumentando que nele existem germens ou protoformas de crítica e oposição ao que se desenvolveu como psiquiatria e à lógica (e instituição) asilar-manicomial.

Referências

ABDUCA, Ricardo. Estudio introdutorio. In: MARX, Karl. (Abudca, R., organizador). Acerca del suicidio. Buenos Aires: Las cuarenta, 2012. p. 11-46.

BASAGLIA, Franco. A Psiquiatria alternativa: contra o pessimismo da razão o otimismo da prática. São Paulo: Brasil Debates, 1979.

BASAGLIA, Franco. A instituição negada: Relato de um hospital psiquiátrico. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

CARVALHO, Bruno P.; PIZA, Helen da C. T. A história da loucura numa perspectiva marxista. Dialektiké, Natal, v. 1, 2016. p. 18-35.

COOPER, David. Psiquiatria e antipsiquiatria. São Paulo: Editora Perspectiva, 1989.

FANON, Fanon. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008/1952.

FANON, Fanon. A internação diurna na psiquiatria: valor e limites (1). In: FANON, F. (Khalfa, J., organizador). Alienação e liberdade. Escritos psiquiátricos. São Paulo: Ubu, 2020/1959. p. 61-84.

LÖWY, Michael. Um Marx insólito. In: MARX, K. Sobre o suicídio. São Paulo: Boitempo, 2006. p. 13-20.

LUKÁCS, György. História e consciência de classe: Estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. Antipsiquiatria y antipsicoanálisis. Estudios Centroamericanos - ECA, San Salvador, v. 28, n. 293/294, p. 203-206, 1973.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. Guerra e Saúde Mental. In: MARTÍN-BARÓ, Ignacio. Crítica e libertação na Psicologia: Estudos psicossociais. Petrópolis: Vozes, 2017/1984.

MARX, Karl. The Increase of Lunacy in Great Britain. New-York Daily Tribune, New York, August 20, 1858a. Disponível em . Acesso em 08 mar. 2020.

MARX, Karl. Imprisonment of Lady Bulwer-Lytton. New-York Daily Tribune, New York, August 4, 1858b. Disponível em . Acesso em 08 mar. 2020.

MARX, Karl. Sobre o suicídio. São Paulo: Boitempo, 2006/1846.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010/1844a.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel – Introdução. In: MARX, K. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2010/1844b. p. 145-158.

MARX, Karl. O Capital. Crítica da Economia Política. Livro 1. O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013/1867.

MARX, Karl. Miséria da filosofia. São Paulo: Boitempo, 2017/1847.

MARX, Karl. População, crime e pauperismo. Verinotio, Belo Horizonte, n. 20, p. 119-123, 2015.

MERANI, Alberto L. Psicologia e alienação. São Paulo: Paz e Terra, 1972.

NETTO, José Paulo. Cinco Notas a Propósito da “Questão Social”. Temporalis, Revista da ABEPSS, Brasília, v. 2, n. 3, p. 41-49, 2001.

NETTO, José Paulo. O que é marxismo? São Paulo: Brasiliense, 2006.

VASCONCELOS, E. M. Crise mundial, conjuntura política e social no Brasil, e os novos impasses teóricos na análise da reforma psiquiátrica no país. Cad. Bras. Saúde Mental, Florianópolis, v. 4, n. 8, p. 8-21, 2012.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Suicide in the world. Global Health Estimates. Washington: WHO, 2019.
Publicado
2022-08-20
Seção
Artigos Fluxo Contínuo