Gênero, classe e raça no sistema social de Desterro (1877 – 1882)

  • Flávia de Freitas Souza
Palavras-chave: Mulheres, Classe social, Raça

Resumo

Este artigo aborda duas histórias de mulheres unidas em um mesmo sistema de relações, construído no interior de uma casa senhorial comandada por uma delas, na cidade de Desterro (Florianópolis), capital de Santa Catarina, no último quartel do século XIX. O estudo analisa como essas mulheres – senhora e escravas – enfrentaram, a partir do seu lugar social, as regras de uma estrutura patriarcal que dominava, por força legal, as suas vidas e destinos. A primeira mulher que essa história apresenta é Anna Francisca da Costa e Silva, senhora bem posicionada na sociedade do seu tempo, viúva, provedora e administradora da própria casa onde vivia em companhia de dois escravos libertos, quatro jovens escravas e duas crianças, Roza e Maria, filhas de Eva e Benedita, as duas personagens que protagonizam a segunda história apresentada no texto e que trata das expectativas que animaram essas mulheres a requererem, judicialmente, a tutela das suas filhas menores, transferida ao inventariante de sua senhora, em decorrência da sua morte.

Publicado
2020-06-18
Como Citar
Souza, F. de F. (2020). Gênero, classe e raça no sistema social de Desterro (1877 – 1882). Em Perspectiva, 6(1), 121-133. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/emperspectiva/article/view/42316
Seção
Dossiê Temático