O corpo também é um agente político

a resistência à Ditadura Civil Militar através do filme Tatuagem

  • Stella Ferreira
Palavras-chave: Ditadura Civil Militar, Tatuagem

Resumo

O artigo propõe uma breve discussão sobre Cinema e História procurando perceber este objeto como uma fonte de pesquisa para a construção do saber histórico e a sua potencialidade para explorar diversas temáticas na historiografia. Na segunda parte, discutiremos a questão da homossexualidade no período da Ditadura Civil Militar brasileira (1964 -1985). Utilizando como fonte principal, para elucidar este assunto, será utilizado o filme Tatuagem realizado pelo diretor Hilton Lacerda. Tendo como perspectiva de que o regime instalado no Brasil com o golpe de 64 era repressivo não apenas no âmbito político, mas também no campo social e que procurava cercear as liberdades tanto de gênero como sexuais, procuraremos através do material audiovisual escolhido tratarmos de algumas questões em que os personagens ao fazerem resistência ao governo exploram esses temas. Além deste material audiovisual traremos alguns estudos que também se dedicam a pensar a problemática da ditadura brasileira que procurava manter uma moral conservadora entre os cidadãos.

Publicado
2020-06-17
Como Citar
Ferreira, S. (2020). O corpo também é um agente político. Em Perspectiva, 6(1), 67-86. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/emperspectiva/article/view/42539
Seção
Dossiê Temático