La história como campo de batalla

interpretar las violencias del siglo XX

  • Thais Turial Universidade de Brasília - UnB
Palavras-chave: Historiografia, Guerra Fria, Teoria da História

Resumo

A ruptura que teve lugar com a queda do Muro de Berlim e a reconfiguração da geopolítica europeia no fim da Guerra Fria afetou profundamente a historiografia mundial, que teve de questionar seus paradigmas, interrogar seus métodos e redefinir suas áreas. À luz dessas questões, em "La historia como campo de batalla", Enzo Traverso procurou reconstruir, de uma perspectiva crítica, o panorama das transformações que estão no centro dos atuais debates historiográficos.  Assim, aborda as amplas categorias interpretativas, apontando seus limites e contribuições para a prática historiográfica. Além disso, interroga o comparatismo histórico, investiga o surgimento da História Global e o retorno do acontecimento. Por fim, analisa a intersecção entre história e memória, entre distanciamento e sensibilidade do que foi vivido, que, no seu critério analítico, afetam qualquer narração do século XX hoje.

Publicado
2020-11-19
Como Citar
Turial, T. (2020). La história como campo de batalla. Em Perspectiva, 6(2), 237-242. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/emperspectiva/article/view/44829
Seção
Resenha