[1]
J. S. Andrade, “Políticas de domesticidade e trabalho assalariado”, emperspectiva, vol. 6, nº 1, p. 208-228, jun. 2020.