v. 2, n. 9 (2017)

Dossiê "Vidas íntimas: poéticas do Eu"

Dossiê Vidas Íntimas: Poéticas do Eu

Todo texto, em último caso, seria autobiográfico. É Paul de Man, filósofo belga, quem assina essa proposição arriscada, e por isso mesmo polêmica. O pensamento do autor expresso em "Autobiografia como des-figuração" revela bem a dimensão do lugar, ainda incontornável, que a autobiografia e seu modus operandi ocupam no fazer literário e no debate crítico-teórico.

É desse Eu indiscernível e problemático, levado ao extremo em suas muitas possibilidades de expressão, que se ocupam, por exemplo, as investidas intelectuais de Philippe Lejeune, Georges Gusdorf, Jean Starobinski, Serge Doubrovsky, Beatrice Didier, Leonor Arfuch, Paula Morão, Clara Rocha, dentre outros. Seus textos, fundadores ou não, integram um campo de investigação alicerçado sob consecutivas ressalvas e exceções, posto que cada projeto autobiográfico demanda com frequência a criação de um modelo analítico que lhe sustente. Um campo, portanto, erigido em torno do que a heterogeneidade da vida íntima, pessoal e intransferível, pode oferecer de risco e invenção.

No plano literário, o Eu encontra lugar propício para a dar vazão as suas subjetividades e idiossincrasias, cujas provas de dispersão e fragmentação são ratificadas justamente pelos suportes que convocam, naturalmente diversos (diários, memórias, cartas, confissões, relatos de viagem). Se se esconde sob a capa protetora de uma persona ficcional, ele muitas vezes impregna com o humor do corpo a superfície do texto. Assim, da pele à página, são muitos aqueles/as que apostaram e apostam sua fichas no jogo arriscado para o qual a autobiografia convida. Entre nomes lembrados e esquecidos, estão Marcel Proust, Lima Barreto, Pedro Nava, Helena Morley, Maura Lopes Cançado, Carlos Sussekind, Renato Pompeu, na prosa; Bandeira, Drummond, Ana Cristina Cesar, Stela do Patrocínio, Teresa Rita Lopes, na poesia.

Partindo, então, da autobiografia e de suas noções-valises (escritas de si, intimismo, confessionalismo), a  Entrelaces, Revista do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Ceará, apresenta, a seguir, textos que exploram a temática em dossiê intitulado Vidas íntimas: poéticas do Eu. Assim, pertencem ao escopo deste número trabalhos cujos pontos de partida sejam autores, obras e suportes (literários ou não) especialmente interessados nas questões supracitadas.

Edição completa

Ver ou baixar a edição completa PDF

Sumário

Conselho Editorial

Conselho Editorial da Revista Entrelaces
 
PDF

Apresentação

DOSSIÊ VIDAS ÍNTIMAS: POÉTICAS DO EU
Fernanda Coutinho
PDF

Nossa Capa

Rodrigo Lopes
PDF

Criação

RÉQUIEM A GULLAR
Raul Henrique Amaro da Silveira Ortellado
PDF

Dossiê

Bruno Henrique Muniz Souza
PDF
17-32
Gabriela Pacheco Amaral
PDF
33-49
Guilherme Azambuja Castro
PDF
50-62
Lygia Barbachan de Albuquerque Schmitz
PDF
63-75
Suzel Domini dos Santos
PDF
76-90
Vanessa Paulino Venancio
PDF
91-103
Cinthia Lopes de Oliveira, Javer Wilson Volpini, Adriana Kelly Furtado Lisboa
PDF
104-121
Christiane Silveira Batista, Paulo Custódio de Oliveira
PDF
122-133
Fabiana Rodrigues Carrijo
PDF
134-144
Maria do Socorro Barbosa de Miranda
PDF
145-156
Marta Roque Branco, Paulo Bungart Neto
PDF
157-172
Paulo Alberto da Silva Sales
PDF
173-187
Rafaela Souza Maldonado
PDF
188-201

Estudos Literários

Lilian Regina Gobbi Bachi
PDF
203-216
Pedro Piccoli Garcia
PDF
217-225
Samilo Takara
PDF
226-244