ANÁLISE DOS RESULTADOS DA IMPLEMENTAÇÃO DE FERRAMENTAS DIGITAIS NO ENSINO DA DISCIPLINA DE PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA

  • Larissa de Castro E Silva
  • Samuel Unias
  • Emanoel Sousa
  • Carlos Estevao Rolim Fernandes

Resumo

Este trabalho tem por objetivo o de avaliar os impactos na formação discente provocados pela metodologia utilizada na disciplina de Probabilidade e Estatística, no primeiro ano dos cursos de graduação em Engenharia. A metodologia utilizada em sala de aula buscou propiciar um ambiente online para interação dos alunos através da troca de exercícios resolvidos e explicações de conteúdo pelos próprios alunos, tendo sido desenvolvida por ocasião da formação em docência integrada ao uso de tecnologias da informação e comunicação (DTIC), oferecida pelo laboratório integrado de formação de educadores (LIFE) da UFC. O trabalho de monitoria da disciplina foi realizado de maneira tradicional: os monitores esclarecendo as dúvidas dos alunos em grupos de estudos além da sala de aula. Então, através das redes sociais (Facebook), os discentes tiveram a oportunidade de melhor interagir uns com os outros e esclarecer suas dúvidas com a ajuda dos monitores. Isso ocorreu por meio da elaboração de vídeo-aulas, nas quais os alunos resolviam questões referentes ao conteúdo ministrado em sala de aula e referentes às listas de exercício e provas. A partir de então, foi possível elaborar um quadro de conteúdos correlatos permitindo estabelecer uma relação entre os tópicos trabalhados através de ferramentas digitais na rede social e o rendimento dos alunos nas questões relativas àqueles mesmos tópicos durante as avaliações da disciplina. Um outro resultado que merece destaque diz respeito a interatividade na relação aluno-professor, havendo uma clara correlação entre entre a participação do aluno na rede social e a melhoria de sua comunicação com o professor. Conclui-se que o uso de tecnologias da informação e comunicação integrado à docência tende a ser favorável, mas o planejamento das atividades e seus objetivos ainda merecem investigação científica mais rigorosa.
Publicado
2017-05-31
Seção
XXV Encontro de Iniciação à Docência