AVALIAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES DOS UNIVERSITÁRIOS DE UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO CEARÁ.

  • Olavo Soares de Sousa
  • PAULO CéSAR RIBEIRO DA SILVA JúNIOR
  • Keiva Maria Silva Gomes

Resumo

A alimentação é um fator essencial para a vida, ter uma alimentação adequada e com bons hábitos alimentares podem trazer inúmeros benefícios à nossa saúde física e mental, contribuindo para o bem-estar ao longo da vida. Uma alimentação adequada e equilibrada em nutrientes se faz necessária na vida dos universitários. Por muitas vezes eles preferem comidas práticas, mas com alta quantidade de gordura saturada e baixa ou nenhuma ingestão de verduras, legumes e frutas, causando uma grande deficiência nutricional de vitaminas e fibras, representando assim maior risco de desenvolver doenças crônicas não transmissíveis. O objetivo deste estudo foi avaliar os hábitos alimentares de estudantes universitários da Universidade Federal do Ceará, Campus de Crateús. A pesquisa foi realizada no período de 2021.1, a coleta de dados foi executada através de um formulário eletrônico destinado a todos os alunos do campus. Este formulário amplamente divulgado, era composto por 19 (dezenove) perguntas objetivas para analisar como anda o hábito alimentar dos alunos e acrescidas de questões de dados pessoais, consumo diário de água, bebidas alcoólicas e prática de atividade física. A classificação foi realizada por meio quantitativo que indicaria a qualidade da alimentação dos alunos. O consumo alimentar foi comparado e classificado de acordo com a Pirâmide Alimentar Adaptada e o Guia Alimentar para a População Brasileira. Responderam ao questionário 112 estudantes, 54 mulheres e 58 homens. Grande parte dos entrevistados apresentou baixo consumo diário de frutas, 58,9% dos alunos responderam que comem menos que 3 porções de frutas por dia, ficando abaixo da média indicada pela pirâmide alimentar e 14,3% não comem frutas diariamente. O consumo de verduras e legumes também encontra-se abaixo do adequado, pois 27,7% não consomem legumes e nem verduras todos os dias e 64,3% consomem menos de 4 porções por dia. Essa ingestão inadequada pode levar a deficiência de vitaminas e minerais, que pode provocar, dentre outros problemas, anemia, queda de cabelo, unhas fracas, além de tornar o organismo mais suscetível a infecções. Em relação à ingestão de água entre os participantes, tem-se que 65,2% relatam beber 2 litros ou mais por dia, o que é um fator positivo. Quando se trata de exercícios físicos obtivemos que 32,1% nunca pratica atividade física, 39,3% pratica de 2 a 4 vezes por semana pelo menos 30 minutos por dia e 26,8% pratica de 5 a 7 vezes por semana pelo menos 30 minutos por dia. A prática de atividade física é um componente importante para a manutenção da saúde, a sua falta pode agravar ou adiantar o surgimento de doenças. A alimentação seguida pelos universitários não reflete escolhas corretas se considerarmos as orientações do guia alimentar para população brasileira e a pirâmide alimentar. Tornam-se necessários a valorização e conscientização da importância de práticas saudáveis de vida durante a vida universitária, visando fomentar a qualidade de vida.
Publicado
2021-01-01
Seção
Encontro de Iniciação Acadêmica