EDUCAÇÃO EM SAÚDE E FISIOTERAPIA: PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS PARA ADOLESCENTES EM VULNERABILIDADE SOCIAL

  • Paulo Henrique Caetano de Sousa Universidade Federal do Ceará
  • Bruno Ricarth Domiciano Universidade Federal do Ceará
  • Mariana de Oliveira Gonçalves Universidade Federal do Ceará
  • Mariana Dias Teles Universidade Federal do Ceará
  • Francisco Marto Leal Pinheiro Júnior Mestrando Universidade Federal do Ceará
  • Raimunda Hermelinda Maia Macena Professora-Doutora Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Fisioterapia. Educação em Saúde. Adolescentes. Drogas

Resumo

INTRODUÇÃO: A garantia de acesso a informações de forma equitativa tem sido prioridade nas ações de reinserção social de adolescentes em vulnerabilidade social. O crescente número de adolescentes fazendo uso de drogas e as conseqüências geradas por esta prática tornou o uso de drogas um tema preocupante. OBJETIVO: Comunicar a experiência da atuação da Fisioterapia em ações de educação em saúde sobre drogas junto a adolescentes em vulnerabilidade social. METODOLOGIA: Esta experiência foi realiza em uma unidade de cumprimento de medida sócioeducativa de Fortaleza-CE com 17 adolescentes do sexo feminino. As adolescentes foram divididas em três grupos. Cada grupo foi conduzido por um acadêmico de Fisioterapia e supervisionado por um fisioterapeuta preceptor. Um dado contendo perguntas foi usado para fomentar a discussão. Posteriormente, cada grupo criou um cartaz representando sua visão acerca do tema. Os cartazes foram permutados entre os grupos. RESULTADOS: A maioria das adolescentes respondeu frases do consenso popular acerca das drogas. Relataram já ter usado ou experimentado algum tipo de droga. Apontaram pontos positivos e negativos do uso e possuíam uma percepção clara da inexistência de benefícios duradouros. Muitas referiram que só existe um momento de êxtase temporário. CONCLUSÃO: A atividade possibilitou a discussão sobre drogas de uma forma aberta e apresentou às adolescentes os malefícios do uso. Indo além da terapêutica, a Fisioterapia se mostra capaz de abordar temas de caráter social possibilitando ganhos em saúde, prevenindo seqüelas funcionais em médio prazo e contribuindo para a redução da marginalização social de adolescentes.

 

Publicado
2013-12-18