ASSOCIAÇÃO ENTRE A PRÁTICA DA CAPOEIRA E A FLEXIBILIDADE

  • Paulo Ricardo Pinto Camelo 1 Liga de Fisioterapia Esportiva (LIFE), Universidade Federal do Ceará, Brasil.
  • Pedro Olavo de Paula Lima 1 Liga de Fisioterapia Esportiva (LIFE), Universidade Federal do Ceará, Brasil. 2 Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Ceará, Brasil. 3 Laboratório de Análise do Movimento Humano, Universidade Federal do Ceará, Brasil.
  • Rodrigo Ribeiro de Oliveira 1 Liga de Fisioterapia Esportiva (LIFE), Universidade Federal do Ceará, Brasil. 2 Laboratório de Análise do Movimento Humano, Universidade Federal do Ceará, Brasil.
  • Paulo Jorge Santiago do Nascimento 1 Liga de Fisioterapia Esportiva (LIFE), Universidade Federal do Ceará, Brasil.
  • Victor Matheus Leite Mascarenhas Ferreira 1 Liga de Fisioterapia Esportiva (LIFE), Universidade Federal do Ceará, Brasil.
  • Ricardo Hugo Gonzalez 2 Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Ceará, Brasil.
Palavras-chave: Capoeira. Flexibilidade. Banco de Wells.

Resumo

Introdução: A Capoeira é uma expressão cultural que reúne vários elementos na sua construção. Embora seja um elemento importante da nossa cultura, sofre por falta de pesquisas mais robustas no que tange o desempenho e as capacidades físicas. Objetivo: Esse estudo teve como objetivo verificar a associação entre a prática da capoeira e a flexibilidade. Materiais e Métodos: Fizeram parte da pesquisa 51 sujeitos, divididos em Grupo Capoeira (GCP) (n=28) e Grupo Controle (GCO) (n=21). Para avaliar a flexibilidade foi utilizado o teste de sentar e alcançar. Foi utilizado também o teste t-Student para amostras independentes. Para verificar a associação entre a flexibilidade e a prática de Capoeira foi utilizado o teste Qui-quadrado de Pearson. Os dados foram analisados no software SPSS versão 17.0 (Statistical Package for Social Sciences). Toda análise estatística foi realizada adotando o nível de significância de 5%. Resultados: Em uma análise de frequência percebemos que 71,4% do GCP obtiveram valor excelente ou acima da média, entretanto, no GCO esse valor foi de 8,7%. A associação entre a prática de capoeira com o nível de flexibilidade é confirmada pela análise de inferência do teste Qui-quadrado de Pearson (χ2 = 23,29; p=0,001). Quando comparamos os grupos podemos observar uma diferença significativa sobre a flexibilidade, na qual o GCP apresentou média de 35,8 ± 8,7 cm, enquanto o GCO de 20,6 ± 9,3 cm (p = 0,001). Conclusões: Os capoeiristas apresentaram, em geral, flexibilidade classificada como excelente. Houve uma forte associação entre ser flexível e ser praticante de capoeira.

Publicado
2013-12-18