EFEITOS DA TERAPIA DE CONTENSÃO INDUZIDA ADAPTADA NA FUNCIONALIDADE E QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES HEMIPARÉTICOS

  • Eliane Maria Biasibetti Palavro Faculdade da Serra Gaúcha
  • Rodrigo Costa Schuster Faculdade da Serra Gaúcha
Palavras-chave: Fisioterapia. Acidente Vascular Cerebral. Extremidade Superior. Qualidade de Vida

Resumo

Introdução: O acidente vascular encefálico (AVE) é um déficit neurológico resultante da interrupção sanguínea de uma determinada região encefálica. Ele pode gerar perdas motoras e funcionais e o indivíduo pode ser incapaz de usar o hemicorpo e/ou membro acometido. A reorganização cerebral consiste em mudanças na organização do córtex. Uma das técnicas fisioterapêuticas que vem se destacando é a Terapia por Contensão Induzida (TCI), que consiste em treinamento intensivo, prático e com repetições funcionais do membro superior acometido, enquanto usa-se uma contensão no membro não acometido. Objetivo: verificar os efeitos da TCI em pacientes hemiparéticos pós AVE.  Metodologia: realizou-se um estudo de casos, onde foram selecionados 03 indivíduos com AVE que receberam atendimento durante duas semanas, duas horas por dia e não três horas como trazem as referências, através da fundamentação da TCI. Para avaliação dos pacientes foram utilizados a Motor Activity Log (MAL), o Wolf Motor Function Test (WMFT), e a Escala de Qualidade de Vida Específica para Acidente Vascular Encefálico. Resultados: Obtivemos melhora em dois pacientes no pós teste, e no período seguimento essas melhoras se mantiveram nestes pacientes, somente um dos pacientes obteve melhora no pós teste que não se manteve no período seguimento (após 1 mês), mas que por outro lado não piorou dos resultados obtidos no pré teste. Conclusão: Assim pode-se concluir que a técnica de TCI adaptada tem grande influencia nos bons resultados, tendo um impacto muito significativo nas Atividades de Vida Diária (AVD’s) e na qualidade de vida de pacientes com hemiparesia.
Publicado
2013-12-18