Aplicabilidade dos foraminíferos bentônicos na restituição paleoambiental e no impacto antrópico da Laguna de Saquarema, Rio de Janeiro

Regina Lucia Machado Bruno

Resumo


Foram realizadas três testemunhagens na Laguna de Saquarema, Rio de Janeiro, para avaliar a distribuição da assembleia de foraminíferos associados aos aspectos sedimentológicos, a fim de realizar uma reconstrução paleoambiental. Nos testemunhos T1 e T2, a biofácies At-Ap (Ammonia tepida-A.parkinsoniana) caracterizou-se por possuir abundância das espécies, como Ammonia parkinsoniana, A.tepida e Elphidium excavatum, entre outras, associada à composição de areia média a grossa e conchas desarticuladas, quebradas e fragmentadas, sugerindo avanço do nível do mar ocasionado por ondas de tempestades e variação do nível do mar, enquanto que a biofácies C-H (calcário-hialino) caracterizou-se por possuir alguns exemplares de foraminíferos e conchas, sugerindo recuo do nível do mar e consequente remobilização dos sedimentos marinhos em direção à linha de costa. O testemunho T3, coletado no canal da Barra Franca, diferenciou-se dos dois anteriores por apresentar as espécies Poroeponides lateralis, Pseudononion papillatum e Nonion spp, como as mais representativas, devido à influência praial, embora estejam em quantidades reduzidas ao longo do testemunho, em razão de atividades de dragagem e transporte sedimentar ocasionado pelas marés.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.