CARACTERIZAÇÃO GEMOLÓGICA E MINERALÓGICA DE TURMALINAS VERDES E AZUIS, ORIUNDAS DO MUNICÍPIO DE BANABUIÚ, CE.

  • Debora Ezequiel Cavalcanti Universidade Federal do Ceará
  • Carolina Souza Santiago
  • Martha Noélia Lima
  • Francisca Robênia Ferreira Soares
  • José de Araújo Nogueira Neto

Resumo

Foram analisadas amostras de turmalinas, que ocorrem nas cores verde e azul, apresentam qualidade gemológica, e são oriundas do município de Banabuiú-CE. O pegmatito-fonte pertence ao Distrito Pegmatítico de Solonópole-Banabuiú (DPSB), e está localizado na porção centro-oeste do Estado do Ceará. Foi realizada uma caracterização gemológica e mineralógica das turmalinas, analisando suas características intrínsecas, desde a mais básica, como densidade relativa, até as mais avançadas, através de análises essencialmente espectroscópicas, como causas de cor (elementos cromóforos) e componentes fluidos. A metodologia utilizada na sua caracterização foi medição da densidade relativa, espectroscopia raman, espectroscopia de absorção molecular na região do infravermelho, por transformada de Fourier (FTIR) e espectroscopia de absorção molecular na região ultravioleta-visível-infravermelho proximal (UV-Vis-NIR). Foi evidenciada a presença dos componentes fluidos OH3, bem como foram fornecidos dados para a determinação dos elementos cromóforos, sendo identificados os elementos Fe e Mn. As vibrações fundamentais envolvem os grupos hidroxilas, tetraedros de SiO4, octaedros de AlO6 e grupos triangulares de BO3.

Referências

Ahn, Y., Seo, J. & Park, J., 2013. Eletronic and vibrational spectra of tourmaline - The impact of electron beam irradiation and heat treatment. Vibrational Spectroscopy, Volume 65, pp. 165-175.

Arthaud, M. H., 2007. Evolução Neoproterozóica do Grupo Ceará (Domínio Ceará Central, Ne Brasil): da sedimentação à colisão continental Brasiliana. s.l.:s.n.

Bello, R. et al., 2000. Caracterização Mineralógica e Composição Química das Inclusões Fluidas de Berilo do Pegmatito Ipê, Município de Governador Valadares, Minas Gerais. GEONOMOS, p. 10.

Bizzi, L., Schobbenhaus, C., Vidotti, R. & Gonçalves, J., 2008. Geologia, Tectônica e Recursos Minerais do Brasil, s.l.: Texto, Mapas & SIG. CPRM.

Carneiro, G. A. et al., 2008. Study of the causes of colos in four selectes crystals of tourmaline from the pegmatite of Matinha in Divino das Laranjeiras, MG. Estudos Geológicos, Volume 2, pp. 83-88.

Deer, W., Howie, R. & Zussman, J., 1966. An Introduction to the Rock-forming Minerals. s.l.:Longman Group Limited.

Farmer, V. C., 1974. The Infrared spectra of minerals, s.l.: Mineralogical Society.

Garcia, M. G. M., 2007. FAPESP - projeto de pesquisa. [Online]

Available at: http://www.bv.fapesp.br/pt/auxilios/22978/sequencias-supracrustais-do-dominio-ceara-centralprovincia-borborema-geotermobarometria-e-provenie/

Lazzarelli, H. N., 2002. Blue Chart - Gem Identification: Natural / Treated / Synthetic / Imitation. s.l.:s.n.

Lima, M.N., et al., 2016. Pegmatitos da Região de Banabuiú, Ceará. s.l.:s.n.

MacDonald, D. J. & Hawthorne, F. C., 1995. The Crystal Chemistry of Si-Al substitution in Tourmaline. The Canadian Mineralogist, Volume 33, pp. 849-858.

Makreski, P. & Jovanovski, G., 2009. Minerals from Macedonia XXIII. Spectroscopic and structural characterization of schorl and beryl cyclosilicates. Spectochimica Acta, Volume 73, pp. 460-467.

Marques Jr, F., 1992. Geologia do Campo pegmatítico de Berilândia – CE, São Paulo: s.n.

Merkel, P. B. & Breeding, C. M., Summer, 2009. Spectral differentiation between copper and iron colorants in gem tourmalines. Gems & Gemology.

Moreira, M. A. M. et al., 2012. Estudo dos pegmatitos litiníferos da região de Solonópole - CE, Fortaleza: DNPM.

Polli, G. O. et al., 2006. Comportamento físico-químico do berilo a altas temperatuas. Revista Brasileira de Geociências, Dezembro, 4(36), pp. 593-602.

Prasad, P. S. R. & Sarma, D. S., 2005. Study of Structural Disorder in Natural Tourmalines by Infrared Spectroscopy. Gondwana Research, 2(8).

Santos, E. J. et al., 2014. Metalogênese das porções norte e central da Povíncia Boborema. In:: Metalogênese das Províncias Tectônicas Brasileiras. s.l.:CPRM, pp. 343-384.

Viana, R. R., Evangelista, H. J., Costa, G. M. & Sten, W. B., 2002. Characterization of beryl (aquamarine variety) fom pegmatites of Minas Gerais, Brazil. Phys Chem Minerals, Volume 29, pp. 668-679.

Watenphul, A. et al., 2016. Influence of the octahedral cationic-site occupancies on the framework vibrations of Li-free tourmalines, with implications for estimating temperature and oxygen fugacity in host rocks. American Mineralogist, November, Volume 101 (11).

Zhang, A. et al., 2008. Tourmalines form Koktokay No.3 pegmatite, Altai, NW China: spectroscopic characterization and relationships with the pegmatite evolution. Eur. J. Mineral, Volume 20, pp. 143-154.

Publicado
2018-05-22
Seção
Artigos