PETROGRAFIA E DIAGÊNESE DOS ARENITOS FOSSILÍFEROS BASAIS E CONGLOMERADOS DA FORMAÇÃO IPU, NO NOROESTE DO CEARÁ

  • Zenilda Batista UFAL
  • Maria Somália Sales Viana Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Francisco Rony Gomes Barroso Universidade Federal do Ceará
  • Sonia Maria Oliveira Agostinho Universidade Federal de Pernambuco
  • Mario Ferreira de Lima Filho Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Arenitos; Fósseis; Diagênese; Grupo Serra Grande.

Resumo

A Formação Ipu (Siluriano da Bacia do Parnaíba) corresponde a um ambiente deposicional fluvial entrelaçado com influência glacial, representada por conglomerados, arenitos conglomeráticos e diamictitos, cujos depósitos atingem 350 metros de espessura, com paleocorrentes indicando sentidos para norte e oeste. A recente descoberta de icnofósseis e de fósseis de invertebrados marinhos bentônicos, sugere influência marinha e/ou estuarina. Os arenitos fossilíferos basais e conglomerados da Formação Ipu, localizados no noroeste do Ceará, apresentam fácies de arenito médio a fino, arenito médio a grosso, arenito conglomerático e conglomerado médio. Objetivou-se com esta pesquisa realizar uma análise petrográfica detalhada dos arenitos fossilíferos basais e conglomerados da Formação Ipu (noroeste do Ceará) e definir os processos diagenéticos desses arenitos, a fim de gerar novos dados para auxiliar no refinamento da interpretação paleoambiental. Os dados petrográficos dessas rochas indicaram uma composição situada nos campos dos subarcóseos, quartzoarenitos e arenito sublítico, que apresentam arcabouço rico em grãos de quarto, feldspatos e fragmentos líticos. A história diagenética é marcada por processos que ocorrem na eo, meso e teloduagênese. O estágio eodiagenético é marcado por: compactação e deformação de grãos; infiltração de argila; alteração de moscovitas e feldspatos e cimentação de óxido de ferro. A mesodiagênese é evidenciada pelos seguintes processos: compactação química; cimentação de quartzo autigênico e de caulinita; substituição de feldspato e muscovita por caulinita e substituição de feldspato por illita. O estágio telodiagenético é representado pelos processos de oxidação (cimento de óxido/hidróxido de ferro) e dissolução parcial de grãos de feldspatos. Quanto à proveniência, a variação nos percentuais dos minerais pode indicar mistura de área fonte e provável proveniência de ambientes tectônicos de cráton estável e transicional.

Publicado
2021-02-10
Seção
Artigos