LITOQUÍMICA E GEOCRONOLOGIA U-Pb DO “DIABÁSIO” DA REGIÃO DE ITATAIA, CEARÁ CENTRAL, NE DO BRASIL

  • Ana Flávia Conceição Cavalcante Universidade Federal do Ceará
  • César Ulisses Vieira Veríssimo
  • José Carvalho Cavalcante
  • Martha Noélia Lima
  • Jose de Araujo Nogueira Neto
  • Elton Luiz Dantas
Palavras-chave: Litoquímica, geocronologia U-Pb, diabásio, Itataia, Domínio Ceará Central.

Resumo

A rocha máfica objeto da pesquisa relaciona-se a um dique (segmento ~ E-W; tratado como inerente  ao magmatismo Rio Ceará-Mirim do Cretáceo Inferior) alojado em litotipos da Unidade Independência do Complexo/Grupo Ceará, onde as rochas metacarbonáticas (mármores + rochas calciossilicáticas) constituem as principais hospedeiras do minério fósforo-uranífero (colofanito) da Jazida de Itataia.  Em termos tectonoestratigráficos, a área, geograficamente localizada a SE do município de Santa Quitéria (CE), Nordeste do Brasil,  encontra-se inserida no Domínio Ceará Central da Subprovíncia Borborema Setentrional. Os  dados litoquímicos de amostras reconhecidas, em escala microscópica, como de composição básica (diabásio) revelaram-se  em gráficos de classificação plotados nos campos do andesito e do andesito basáltico toleíticos de alto-Ti (TiO2 ≥1.5 wt.%; Ti/Y ~272), francamente correlacionáveis a termos similares decorrentes do magmatismo Sardinha da porção ocidental da Bacia Parnaíba. A cronoradiometria U-Pb (LA-ICPMS) revelou a existência de um domínio de zircões herdados de um embasamento arqueano-paleoproterozóico metamorfizado no Neoproterozóico (Ciclo Brasiliano/Panafricano).

Biografia do Autor

Ana Flávia Conceição Cavalcante, Universidade Federal do Ceará

Departamento de Geologia

Publicado
2021-11-12
Seção
Artigos