Aspectos Petrográficos e Litogeoquímicos das Rochas Mineralizadas em Sulfetos do Complexo Rio Salitre, Juazeiro – Bahia

  • Ramon Matos Arouca Jr
  • José Haroldo da Silva Sá
  • Pedro Maciel de Paula Garcia
  • Luís Rodrigues dos Santos Oliveira
  • Luan Cavalcanti Dáttoli

Resumo

No município de Juazeiro, extremo norte do estado da Bahia, situa-se o Complexo Rio Salitre, caracterizado como sendo uma sequência vulcano-sedimentar de baixo grau metamórfico, comparáveis aos terrenos arqueanos do tipo greenstone belt. Essas rochas apresentam-se deformadas e fortemente alteradas por ação de fluidos hidrotermais. Trata-se de uma associação litológica agrupados em unidade inferior (metavulcânicas máficas/ félsicas) e unidade superior (filitos, micaxistos, quartzo-feldspato gnaisses e rochas carbonáticas). A unidade superior contém mineralizações de sulfetos, tornando-se assim, alvo de sucessivos programas de avaliação e exploração mineral ao longo dos anos, pela CBPM. A complexidade dos processos geológicos envolvidos na gênese das mineralizações torna a caracterização genética das mineralizações sujeita a questionamentos. Como objetivo pretende-se caracterizar as rochas mineralizadas em seus aspectos litogeoquímicos e petrográficos, com a intenção de avançar no entendimento da gênese dos sulfetos do Complexo Rio Salitre. O minério é constituído principalmente de disseminações de pirita, com níveis maciços intercalados, e secundariamente pirrotita, apresentando associações com calcopirita e traços de esfalerita e galena. Os resultados indicam que as mineralizações estão estritamente associadas às rochas com protólitos sedimentares. O tratamento e a interpretação dos dados, comparativamente com modelos relacionados na literatura específica levam a concluir, preliminarmente, tratar-se de um ambiente geológico/metalogenético comparável ao tipo sedimentar exalativo (SEDEX).

Publicado
2017-02-03
Seção
Artigos