Aspectos Petrográficos e Litogeoquímicos das Rochas Mineralizadas em Sulfetos do Complexo Rio Salitre, Juazeiro – Bahia

Ramon Matos Arouca Jr, José Haroldo da Silva Sá, Pedro Maciel de Paula Garcia, Luís Rodrigues dos Santos Oliveira, Luan Cavalcanti Dáttoli

Resumo


No município de Juazeiro, extremo norte do estado da Bahia, situa-se o Complexo Rio Salitre, caracterizado como sendo uma sequência vulcano-sedimentar de baixo grau metamórfico, comparáveis aos terrenos arqueanos do tipo greenstone belt. Essas rochas apresentam-se deformadas e fortemente alteradas por ação de fluidos hidrotermais. Trata-se de uma associação litológica agrupados em unidade inferior (metavulcânicas máficas/ félsicas) e unidade superior (filitos, micaxistos, quartzo-feldspato gnaisses e rochas carbonáticas). A unidade superior contém mineralizações de sulfetos, tornando-se assim, alvo de sucessivos programas de avaliação e exploração mineral ao longo dos anos, pela CBPM. A complexidade dos processos geológicos envolvidos na gênese das mineralizações torna a caracterização genética das mineralizações sujeita a questionamentos. Como objetivo pretende-se caracterizar as rochas mineralizadas em seus aspectos litogeoquímicos e petrográficos, com a intenção de avançar no entendimento da gênese dos sulfetos do Complexo Rio Salitre. O minério é constituído principalmente de disseminações de pirita, com níveis maciços intercalados, e secundariamente pirrotita, apresentando associações com calcopirita e traços de esfalerita e galena. Os resultados indicam que as mineralizações estão estritamente associadas às rochas com protólitos sedimentares. O tratamento e a interpretação dos dados, comparativamente com modelos relacionados na literatura específica levam a concluir, preliminarmente, tratar-se de um ambiente geológico/metalogenético comparável ao tipo sedimentar exalativo (SEDEX).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.