Portal de Periódicos da UFC


A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z Toda(o)s

Transversal

Transversal

Chamada para o v.4, n. 7 (2018)

A Transversal - Revista em Tradução publica artigos originais e inéditos que tratem da discussão sobre estudos da Tradução nas diferentes perspectivas teórico-metodológicas, bem como traduções de textos que sejam de domínio público. Todos os textos submetidos à revista serão avaliados pelo Conselho Editorial, e/ou por consultores ad hoc. ISSN 2446-8959. 

                       Libras (Língua Brasileira de Sinais) e os seguintes aspectos: Linguísticos, Pedagógicos e tradutórios 

A Transversal continua a receber propostas de artigos para apreciação, em fluxo contínuo. Nesta edição temática, estaremos recebendo artigos e resenhas de obras sobre os diversos estudos na Libras (Língua Brasileira de Sinais) focalizando os seguintes aspectos: Linguísticos, Pedagógicos e tradutórios.

 Período de submissão prorrogado: 01 de dezembro a 30 de março de 2018.


Chamada para o v.4, n. 8 (2018)

 Traduções literárias e teorias da tradução: diálogos e interfaces possíveis

Ao longo da história da humanidade, é possível observar a intensidade com que o ato de traduzir se revela importante no exato momento em que grupos culturais, fazendo uso de pelo menos duas línguas/culturas distintas, entram em contato e precisam estabelecer intercâmbios nos âmbitos econômico, político, administrativo, cultural etc. Ao ser realizado, o ato de traduzir normalmente suscita na pessoa do tradutor, de forma consciente ou inconsciente, a necessidade de seguir um caminho metodológico. Tratando-se de tradução de literatura(s), as discussões metodológicas remontam a vários séculos, sendo impossível determinar seu exato ponto de partida. À guisa de exemplo, Marco Túlio Cícero (106–43 a.C.), com sua obra O melhor gênero de oradores, e São Jerônimo (340-420 d.C.), tradutor da Vulgata e autor da Carta a Pamáquio, muito precocemente souberam registrar suas elucubrações sobre a prática tradutória de literatura, legando-nos, assim, importantes concepções teóricas ainda hoje reconhecidas e estudadas. Martinho Lutero, no século XVI, também deixou registradas suas ideias sobre o ato de traduzir, ao tentar justificar suas traduções perante a Igreja Católica, que, a partir da publicação dos textos do reformador, passou a considerá-lo um herege, chegando inclusive a excomungá-lo. Embora São Jerônimo e Lutero tenham se dedicado sobretudo à tradução de textos religiosos, as contribuições deixadas por ambos ajudaram – e ainda continuam a ajudar – a fundamentar reflexões sobre o ato de traduzir em geral e, mais especificamente, sobre traduções literárias. Nos séculos XVII e XVIII, períodos de grande fulgor da literatura francesa, estabelece-se um debate sobre como traduzir os autores clássicos conforme o gosto francês. Era a época das Belas Infiéis. Ademais, ainda hoje a contribuição prestada por Friedrich Schleiemacher, com seu célebre ensaio intitulado Sobre os Diferentes Métodos de Traduzir (1813), lança luz nas discussões sobre o traduzir e nas decisões tomadas por tradutores em seu afã de verter obras literárias nos mais diferentes vernáculos. No século XX, assistiu-se ao estabelecimento da disciplina de Estudos da Tradução, com a contribuição direta de James Holmes (1972), e ao surgimento de vários trabalhos na área de teoria(s) da tradução e suas várias dependências. No Brasil, se as primeiras contribuições surgiram nos anos 1950 com Paulo Rónai, as publicações foram-se amiudando notadamente ao longo das décadas de 1980, 1990, 2000 e 2010. Neste dossiê, serão discutidas questões envolvendo a prática da tradução literária apoiada em alguma das teorias existentes sobre o ato de traduzir. No vasto campo da tradução literária, esperamos ver contemplados os mais diversos gêneros literários, as mais diferentes épocas dos textos cotejados, assim como as mais variadas combinações de línguas/culturas e reflexões sobre a circulação de literatura(s) mediante versões. Este dossiê também abrigará traduções de textos literários curtos (até 30 páginas), cujos direitos autorais já estejam extintos, assim como resenhas de livros nacionais ou estrangeiros sobre tradução literária publicados nos últimos três anos.

Organizadores: Ebal Sant’Anna Bolacio Filho (UERJ) e Tito Lívio Cruz Romão (UFC). 

Período de submissão: 16 de agosto a 16 de outubro de 2018 (PRAZO PRORROGADO ATÉ 20 DE NOVEMBRO DE 2018).