O acesso à informação e ao patrimônio documental no Instituto Federal de Roraima: conquistas e desafios

Tatiana Costa Rosa, Leila Adriana Baptaglin

Resumo


Ao longo dos anos, o Estado de Roraima passou por diversas transformações estruturais e sociais, refletidas em suas instituições, e consequentemente em seus documentos. Tem-se como foco nesta pesquisa o Instituto Federal de Roraima (IFRR). Considera-se que esta instituição de ensino é um importante pilar na promoção da transparência informacional dentro do Estado de Roraima, visto que possui uma relação direta com a sociedade e que seus bens documentais guardam memórias valiosas da história do Instituto e do Estado. Para isso, questiona-se qual é a situação do acesso à informação e ao patrimônio documental do IFRR, considerando como base a Lei de Acesso à Informação (LAI). Objetiva-se, assim, apresentar aspectos acerca da situação do acesso à informação e ao patrimônio documental do IFRR no âmbito da LAI. Esta pesquisa caracteriza-se como qualitativa, de campo e documental. Utiliza-se uma entrevista semiestruturada como instrumento para a coleta de dados. Os sujeitos entrevistados são dois arquivistas do Instituto, lotados na Reitoria e no Campus Boa Vista Centro, respectivamente. Por meio dos resultados obtidos, pode-se perceber que, mesmo fazendo parte da mesma instituição, a Reitoria e o Campus possuem realidades distintas, tanto no que tange ao acesso informacional, quanto ao patrimônio documental. Todavia, as perspectivas de ambos, voltadas ao acesso e aos bens documentais, são positivas.


Palavras-chave


Acesso à informação; Patrimônio documental; Roraima

Texto completo:

PDF/A HTML

Referências


BARTALO, L. MORENO, N. A.Gestão em Arquivologia: abordagens múltiplas. Linete Bartalo e Nádia Aparecida Moreno (orgs.). – Londrina: EDUEL, 2008.

BELLOTTO, H. L. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4a Ed.Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 2006.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: .Acesso em: 16 de Abr. 2016.

CRUZ MUNDET. J. R. Archivística: Gestión de documentos y administración de archivos. Alianza Editorial , S. A. Madrid, 2012.

EDMONDSON, R. Memória do mundo: diretrizes para salvaguarda do patrimônio documental. Paris: UNESCO, 2002. Disponível em: . Acesso em: 24 de Out. 2016.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. In: Revista de Administração de Empresas. São Paulo: v.35, n.2, abril 1995.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. T. T. da Silva, G. L. Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Disponível em: . Acesso em: 11 de Jan. 2017.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Dicionário do Patrimônio Cultural: documentação. Disponível em: . Acesso em: 11 de Out. 2016.

ILHA, R. M. Classificação documental: um estudo dos instrumentos de gestão com vistas à padronização. Monografia de Especialização em Gestão em Arquivos. Universidade Federal de Santa Maria, 2009.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA. IFRR. Disponível em: Acesso em: 17 de Abr. 2017.

JARDIM, J. M. A Lei de Acesso à Informação Pública: dimensões político-informacionais. 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 de Abr. 2016.

LAGE, M. O. P. Abordar o patrimônio documental: territórios, práticas e desafios. Guimarães: Éden Gráfico, 2002. (Coleção Cadernos NEPS 4).

MAGALHÃES, D. de. Roraima: Informações históricas. Rio de Janeiro, 1986.

MINETTO, G.V. Lei de Acesso à Informação: a implantação dos requisitos de transparência ativa nas universidades federais com curso de graduação em Arquivologia. Trabalho de Conclusão de Curso. Porto Alegre, UFRGS, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Informação em Pauta

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.