A Arquivologia e os videogames: primeiras aproximações

Roberto Lopes dos Santos Junior, Vanderson Monteiro Nunes

Resumo


Análise, baseado em levantamento bibliográfico e revisão de literatura em fontes secundárias, identificando, preliminarmente, o “estado da arte” das pesquisas e trabalhos ligados a Arquivologia (e áreas correlatas como Ciência da Informação e Biblioteconomia) sobre os videogames. Inicialmente foi feito breve estudo histórico sobre a origem e evolução dos jogos eletrônicos, entre a segunda metade do século vinte e os primeiros anos do século 21. Posteriormente, foram analisadas as principais temáticas localizadas na literatura arquivística sobre os videogames, separadas, respectivamente, nas pretensas características documentais dessas mídias, dos aspectos teóricos ligados a preservação dos videogames, e sobre as estratégias de emulação, encapsulamento, e da utilização de repositórios e museus tecnológicos para o armazenamento desses suportes. O trabalho identificou a existência, principalmente após 2005, de estudos, ligados a Arquivologia norte-americana e europeia, indicando a necessidade de análises aprofundadas sobre diferentes características presentes nos videogames, apesar dos objetivos e premissas que consolidem essas pesquisas ainda estarem em fase de desenvolvimento. O levantamento indicou também que a temática possui potencial de desenvolvimento na Arquivologia brasileira.

Palavras-chave


Arquivologia; Preservação digital; Videogames; Jogos eletrônicos

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABBA, T. Archiving digital narrative: Some issues. Convergence: the international journal of research into new media, Bedfordshire, v. 18 n. 2, p.121-125, 2012.

BACHELL, A. ; BARR, M. Video Game Preservation in the UK: Independent Games Developers’ Records Management Practices. International Journal of Digital Curation, Edimburgo, Universidade de Edimburgo, v.9, n.2, p. 139-170, 2014.

BARTLE, R. A. Archaeology versus Anthropology: What can Truly be Preserved? In DELVE, J.; ANDERSON, D.; DOBREVA, M.; BAKER, D.; BILLENNESS, C.; KONSTANTELOS, L. (Orgs.), The Preservation of Complex Objects, Volume 3: Gaming Environments and Virtual Worlds. Londres: JISC, p.92-97, 2013. Disponível em: https://www.academia.edu/7575930/The_Preservation_of_Complex_Objects_Volume_3_Gaming_Environments_and_Virtual_Worlds acesso em 26/02/2016

BARWICK, J.; MUIR, A.; DEARNLEY, J. Where have all the games gone? Explorations on the cultural significance of digital games and preservation. Proceedings of DiGRA 2009 - Breaking New Ground: Innovation in Games, Play, Practice and Theory, 2009, Londres, West Sussex University, Inglaterra.

BARWICK, J.; MUIR, A.; DEARNLEY, J. Playing games with cultural heritage: A comparative case study analysis of the current status of digital game preservation. Games and Culture, Inglaterra, SAGE Publications, v.6, n.4, p.373-390, 2011.

BEIGUELMAN, G.. Reinventar a memória é preciso. In: BEIGUELMAN, G.; MAGALHÃES, A.G. (Org.). Futuros Possíveis: Arte, Museus e Arquivos Digitais. São Paulo: Peirópolis/ Edusp, 2014, p. 12-33.

BELLOTTO, L. H., Arquivística: objetos, princípios e rumos. Associação de Arquivistas de São Paulo, p.22-25, 2002. Disponível em: https://pt.scribd.com/doc/51319150/BELLOTTO-Heloisa-Liberalli-Arquivistica-objetos-principios-e-rumos-Sao-Paulo-Associacao-de-Arquivistas-de-Sao-Paulo-2002 Acesso em 15/03/2016

BORBA, V. R; LIMA, M. G. Preservação Digital: modelo orientador para o BDTD/UFPE. In: X Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação – ENANCIB, 2009. Disponível em: enancib.ibict.br/index.php/enancib/xenancib/paper/view/3359/2485 acesso em 20/01/2016

BOUCHARD, L. Video Games at the Musées de la civilisation : A Sign of social change. Techne and Social Change, n.2, p.135-141, 2015.

CLARKE, A. M. ; CLARKE, M. T. G. Pokémon Go and Research Qualitative, Mixed Methods Research, and the Supercomplexity of Interventions. International Journal of Qualitative Methods. v.15, n.1, p.1-3, 2016.

COUTO, P. V.; MATSUGUMA, R. V., Videogames como meio de transmissão de cultura, XI SBGames, Brasília, p. 147-150, 2012. Disponível em: http://sbgames.org/sbgames2012/proceedings/papers/cultura/C_S6.pdf acesso em 01/03/2016

Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. Disponível em: http://www.arquivonacional.gov.br/Media/Dicion%20Term%20Arquiv.pdf acesso em 30/032016

DUARTE, L. S. R.. Videogames vistos segundo a Informação, Memória e Documento: o que ele é e como somos afetados por ele. In: Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação e Gestão da Informação do Nordeste – EREBD 17, anais eletrônicos. Fortaleza, 2014.

ESPOSITO, N. Game Atmosphere Archiving Thanks to Virtual Reality for the Preservation of the Video Game Cultural Heritage. Proceedings of ICHIM 05 (Digital Culture and Heritage), Paris, 2005.

ESPOSITO, N. Panorama des approches pour la préservation des jeux vidéo. Actes des 17es journées d’informatique musicale. Saint Étienne, p. 79–83, 2012.

GOODING, P ; TERRAS, M. ‘Grand Theft Archive’: a quantitative analysis of the current state of computer game preservation. The International Journal of Digital Curation, Bath, Universidade de Bath, v3, n.2, 2008.

GTA V’ quebra seis recordes de vendas e entra para o Guiness – G1 Tecnologia e Games; Rio de Janeiro, 8/10/2013. Disponível em: http://g1.globo.com/tecnologia/games/noticia/2013/10/gta-v-quebra-seis-recordes-de-vendas-e-entra-para-o-guinness.html Acesso em 05/01/2016

GUTTENBRUNNER, M. ; BECKER, C ; RAUBER, A. Keeping the game alive: Evaluating strategies for the preservation of console video games. The International Journal of Digital Curation, Bath, Universidade de Bath v. 5, n.1,2010.

HARRIS, B. J. A guerra dos consoles: Sega, Nintendo e a batalha que definiu uma geração. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2015.

HEDSTROM, M. ; LEE, C.A. Significant properties of digital objects: Definitions, applications, implications. Proceedings of the annual Conference of the Digital Library Federation, p. 218–223, 2002, Milwaukee, Estados Unidos.

HERSCHMANN, M. Uso criativo dos videogames musicais na cena independente e potencial de crescimento dessas plataformas gerando dividendos para as majors. In: HERSCHMANN, M. (Org.). Nas bordas e fora do mainstream musical: Novas tendências da música independente no início do século XXI. São Paulo: Estação das Letras e Cores Editora, 2011, p. 105-124.

HERMAN, L. Phoenix: The Fall & Rise of Video Games. 3º Edição. Nova Jersey: Rolenta Press, 2002.

HUDGINS, A. M. Preservation of the Video Game. Provenance: Journal of the Society of Georgia Archivists, Georgia, Universidade da Georgia, v. 29, n. 1, 2011.

JAPPUR, R. F.; FORCELLINI, F. A.; SPANHOL, F. J. Modelo conceitual para jogos educativos digitais. AtoZ: novas práticas em informação e conhecimento, Curitiba, v. 3, n. 2, p. 116-127, 2014.

KRAUS, K.; DONAHUE, R. ‘Do you want to save your progress? ’: The role of professional and player communities in preserving virtual worlds. Digital Humanities Quarterly, Washington, v.6, n.2, 2012.

LEE, J. H.; CLARKE, R. I., ; ROSSI, S. A qualitative investigation of users’ discovery, access, and organization of video games as information objects. Journal of Information Science, p.1-18, 2015.

LEE, J. H.; CHO, H.; FOX, V.; PERTI, A. User-centered approach in creating a metadata schema for video games and interactive media. Proceedings of the 13th ACM/IEEE-CS Joint Conference on Digital Libraries, p.229-238, 2013.

McDONOUGH, J. Packaging Videogames for Long-Term Preservation: Integrating FRBR and the OAIS Reference Model. Journal of the American Society for Information Science & Technology, v.62, n.1, p. 171-184, 2011.

McDONOUGH, J. Knee-Deep in the Data: Practical Problems in Applying the OAIS Reference Model to the Preservation of Computer Games. Proceedings of the 45th Hawaii International Conference On System Sciences (HICSS), Maui, Havaí, 2012.

McDONOUGH, J. A Tangled Web: Metadata and Problems in Game Preservation. In Janet Delve, David Anderson, Milena Dobreva, Drew Baker, Clive Billenness & Leo Konstantelos (Eds.), The Preservation of Complex Objects, Volume 3, Gaming Environments and Virtual Worlds. Londres: JISC 2013. Disponível em: https://www.academia.edu/7575930/The_Preservation_of_Complex_Objects_Volume_3_Gaming_Environments_and_Virtual_Worlds acesso em 26/02/2016

McENIRY, M.; CASSIDY, R. How the new generation of consoles have accelerated the need to preserve digital content – part 2. Library Hi Tech News, v. 32 n. 2 p.10 – 13, 2015.

MOORE, C. L. Digital games distribution: the presence of the past and the future of obsolescence. M/C Journal, v. 12, n. 3, 2009.

MORENO, P. M. El videojuego: lecciones de la primera cultura multimedia. In: BUSTAMANTE, Enrique (org.). Hacia un nuevo sistema mundial de comunicación. Barcelona: Gedisa, 2004, p. 207-226.

NATALE, A. A. A ciência dos videogames. Rio de Janeiro: Vieira & Lent Casa Editorial Ltda, 2013.

NEWMAN, J. Save the Videogame! The National Videogame Archive: preservation, supersession and obsolescence, M/C Journal, v.12, n.3, 2009.

NEWMAN, J. (Not) Playing Games: Player-Produced Walkthroughs as Archival Documents of Digital Gameplay, The International Journal of Digital Curation, Bath, Universidade de Bath, v.2, n.6, 2011.

NEWMAN, J. Videogames. 2º edição, Londres/ Nova York: Routledge, 2014.

NOVO, B. Conheça 8 games que viraram livros – Marketing & Games, São Paulo, 08/05/2014. Disponível em http://www.marketingegames.com.br/8-games-que-viraram-livros/ Acesso em 10/01/2016

PINHEIRO, C. M. P.; BRANCO, M. A A. Um Mapa dos Jogos Digitais. Intercom 2008 - Congresso Nacional de Ciência da Comunicação 31, Natal, 2008.

PINHEIRO, C. M. P. ; BARTH, M.; SCUR, C. G. Easy to Learn, Hard to Master: Um Resgate sobre a Produção Científica acerca dos Massive Multiplayer Online Game. Revista ACB, Florianópolis, v. 21, p. 6-16, 2016.

PRADO, M.; TOMAÉL, M. I. Recursos Informacionais no Second Life: a Info Island. Informação & Sociedade, João Pessoa, Universidade Federal da Paraíba, v. 22, p. 163-175, 2012.

ROCHA, R. O videogame como documento arquivístico: reflexões sobre o estado da arte. Trabalho de Conclusão de Curso (Faculdade de Arquivologia), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2016.

ROCKEMBACH, M., Evidência da informação no contexto dos arquivos digitais. PontodeAcesso, Salvador, v. 9, n. 2, p. 50-64, 2015

RONDINELLI, R. C. O documento arquivístico ante a realidade digital: uma revisão conceitual necessária. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2013.

ROSENTHAL, D. S. H. Emulation & Virtualization as Preservation Strategies. Relatório de pesquisa produzido para a LOCKSS Program / Universidade de Stanford. 2015. Disponível em: https://mellon.org/media/filer_public/0c/3e/0c3eee7d-4166-4ba6-a767-6b42e6a1c2a7/rosenthal-emulation-2015.pdf Acesso em 20/01/2016

SANTOS, T. C. D. Museu Interativo de Vídeo Jogos. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Design de Ambientes) - Universidade do Estado de Minas Gerais, 2012. Disponível em: www.thaisconde.com/MUSEUINTERATIVODEVIDEOJOGOS.pdf acesso em 28/06/2016

SANTOS, H. M. ; FLORES, D. . Estratégias de preservação digital para documentos arquivísticos: uma breve reflexão. Cadernos BAD, Lisboa, n.1, p. 87-101, 2015.

SCHAFER, M. B. ; CONSTANTE, S. E. Políticas e estratégias para a preservação da informação digital. PontodeAcesso, Salvador, v. 6, p. 108-140, 2012.

SOUZA, A. H. L. R.; OLIVEIRA, A. F.; D’AVILA R. T.; CHAVES E. P. S. S. O modelo de referência OAIS e a preservação digital distribuída. Ciência da Informação, Brasília, v.41 n. 1, p.65-73, 2014.

STUCKEY, H.; SWALWELL, M.; NDALIANIS, A.; DE VRIES, D. The Popular Memory Archive: Collecting and exhibiting player culture from the 1980s. In: A Tatnall, T Blyth & R Johnson, (org.) Making the History of Computing Relevant: International Conference, HC 2013. Londres, p. 215-225, 2013.

STUCKEY, H.; SWALWELL, M.; NDALIANIS, A.; DE VRIES, D. 'Remembering and Exhibiting Games Past: The Popular Memory Archive. ToDIGRA, The Digital Games Research Association, v. 2, n.1, 2015. Disponível em: http://todigra.org/index.php/todigra/article/view/40/85 acesso em 19/03/2016

VALLE, E. Sistemas de informações multimídia na preservação de acervos permanentes. Dissertação de mestrado (Departamento de Ciência da Computação), Universidade Federal de Minas Gerais, 2003. Disponível em: http://www.eduardovalle.com/permalink.htm?doc=doc00001 Acesso em 25/01/2016

WHEDBEE, K. E. Preservation, Restoration, and Accessibility of Popular Culture Materials. In: BURNS, G. (org.) A companion to popular culture. West Sussex: Jon Willey & Sons, 2016, p.63-81.

WINGET, M. A. Videogame Preservation and Massively Multiplayer Online Role-Playing Games: A Review of the Literature. Journal of the American Society for Information Science & Technology, v. 62, n. 10, p. 1869-1883, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.32810/2525-3468.ip.v1i2.2016.4433

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Informação em Pauta

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista filiada a:

  Crossref Member Badge

 

Indexadores e diretórios: