http://periodicos.ufc.br/labor/issue/feed Revista Labor 2021-02-22T22:19:41-03:00 Enéas de Araújo Arrais Neto labor@ufc.br Open Journal Systems <p>Resumo</p> <p>A Revista Labor é vinculada à Faculdade de Educação e ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal do Ceará (UFC). Recebe artigos nas áreas de Educação e Ensino, mediante fluxo contínuo ou por chamada de dossiê.&nbsp;A abordagem dos trabalhos e o atendimento às normas da Revista são avaliados pelo Conselho Editorial ou por pareceristas <em>ad hoc</em>, por meio de sistema de avaliação às cegas por pares. A Revista está presente nas seguintes bases e indexadores: Google Acadêmico, DOAJ, LATINDEX, REDIB, PERIODICOS CAPES, SUMARIOS, EZ3, MIAR, DIADORIM, LIVRE, RESEARCHBIB, PKP INDEX.</p> <p>&nbsp;</p> http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/61593 Apresentação: Memória e práticas educativas na Educação Profissional e Tecnológica 2021-02-22T22:19:41-03:00 Francisco das Chagas Silva Souza chagasifrn@gmail.com Vantoir Roberto Brancher vantoir.brancher@iffarroupilha.edu.br <p>Os 21 artigos desse segundo número do dossiê <strong>Memória e práticas educativas na Educação Profissional e Tecnológica </strong>apresenta, como no primeiro, uma diversidade de temas e de filiações institucionais dos seus autores, abrangendo as 5 regiões brasileiras. Destacamos também a participação desses autores em vários Programas de Pós-Graduação <em>stricto sensu</em> na condição de docentes e de discentes.</p> <p>Por fim, gostaríamos de registrar que essas produções se deram num contexto de pandemia, momento em que ficamos (e ainda estamos) vulneráveis física e psicologicamente a esse problema de saúde pública, mas, mesmo assim, resistimos, produzimos, ensinamos, aprendemos, trocando saberes...</p> 2020-12-21T21:40:18-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/44249 Roda de Conversa Meninas do IFG – Campus Itumbiara 2021-02-22T14:50:23-03:00 Juliana Moraes Franzão julianaifgoias@gmail.com Luciene Correia Santos de Oliveira luciene.oliveira@ifg.edu.br Renistenes Eunice da Costa renistenes.costa@ifg.edu.br Anna Cláudia de Oliveira Figueredo figueredoclaudinha@gmail.com <p>Este artigo apresenta um relato de experiência de um projeto de ensino realizado com meninas adolescentes, alunas do Instituto Federal de Goiás - Campus Itumbiara. A metodologia utilizada para realização dos grupos foi a roda de conversa, com o intuito de proporcionar um espaço de interação discussão sobre cuidados relacionados à saúde física e mental, temáticas de gênero, empoderamento feminino e diversos temas que envolvem o adolescer. Realizando essas rodas de conversa, colaboramos com os objetivos do Instituto Federal de Goiás em proporcionar educação pública, gratuita e de qualidade na formação técnica integrada ao nível médio, em uma proposta interdisciplinar que busca correlacionar conteúdos e disciplinas além de dialogar sobre temáticas de interesse do público adolescente.</p> 2020-12-19T14:19:24-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60061 Educação Profissional e Tecnológica 2021-02-22T14:53:01-03:00 Fabio Pinto de Arruda fabio.arruda@fatec.sp.gov.br Marcelo Zanotello marcelo.zanotello@ufabc.edu.br <p>A discussão em torno da Educação Profissional e Tecnológica ressurge no Brasil sob um cenário desafiador. Robôs, Inteligência Artificial e outras formas de tecnologia contribuem para a eliminação de postos de trabalho e ao mesmo tempo promovem o surgimento de novas profissões. O presente artigo analisa uma possível integração entre o ensino de ciências e práticas profissionais, através da realização de atividades investigativas, que colabore efetivamente na formação dos estudantes diante de tal situação. Trata-se de uma análise qualitativa de uma intervenção planejada por três estudantes, acompanhada pelo professor orientador e realizada no laboratório de uma faculdade pública de tecnologia situada no Município de São Paulo. A coleta de dados ocorreu durante seis meses e o material empírico consistiu na produção escrita e nas observações feitas durante experiências numa máquina de refrigeração. Observou-se ações de condicionamento promovida por várias situações, inclusive pelos métodos empíricos disseminados pelas empresas. Por outro lado, as mediações para integrar práticas científicas e profissionais evidenciaram a relevância do vínculo entre os objetivos da atividade de ensino e os motivos particulares da aprendizagem dos estudantes, notando-se indícios de atribuição de sentidos entre o fazer da prática e o pensar das ciências. Tais resultados, além de servirem como subsídios aos professores da educação tecnológica, ajudam a repensar possíveis caminhos à formação profissional dos trabalhadores diante dos desafios das novas profissões e dos saberes que elas exigem.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Educação profissional e tecnológica. Ensino de ciências. Práticas profissionais.</p> 2020-12-19T15:40:52-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60054 O perfil dos professores licenciados que atuam na Educação Profissional e Tecnológica no IFMG-campus Ouro Preto: 2021-02-22T14:57:21-03:00 Fabíula Tatiane Pires fabiula.pires@ifmg.edu.br <p>Este artigo tem como objetivo apresentar as primeiras aproximações relativas ao perfil dos professores licenciados que atuam na Educação Profissional e Tecnológica (EPT), no Instituto Federal de Educação Tecnológica (IFMG), particularmente no <em>campus</em>&nbsp;Ouro Preto. Após justificar a escolha do <em>lócus</em>&nbsp;da pesquisa, o artigo se estrutura a partir da análise do levantamento bibliográfico realizado, seguido de apresentação e análise dos dados coletados para estabelecer uma aproximação do perfil daqueles docentes. Nas áreas básicas do IFMG – <em>campus</em><em>&nbsp;</em>Ouro Preto, tem-se um número superior de professores licenciados em relação aos professores bacharéis. São professores, em sua maioria, efetivos e com regime de trabalho em dedicação exclusiva. Essas condições em muito os diferenciam, por exemplo, dos professores que atuam na rede estadual de ensino de Minas Gerais (AMORIM; SALEJ; BARREIROS, 2018).</p> 2020-12-19T16:43:52-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60163 Base Nacional Comum Curricular: 2021-02-22T15:00:17-03:00 Raquel Fernanda Ghellar Canova raquel.canova@iffarroupilha.edu.br Rosi Maria Prestes prestes.rosi@yahoo.com.br <p>Este artigo traz à cena reflexões sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o Ensino e Aprendizagem da Educação Ambiental (EA) no campo da Educação Profissional e Tecnológica (EPT). O procedimento de investigação utilizado foi de base documental, com análise dos textos das políticas que a regulamentam e da inserção da EA na BNCC, com ênfase no ensino técnico e tecnológico. A BNCC, no que diz respeito à etapa Ensino Médio, dá autonomia às redes de ensino e às escolas. O jovem poderá optar por uma formação técnico-profissional, dentro da carga horária do Ensino Médio. Verificou-se que, na BNCC, a EA está na condição de “tema integrador”, prevalecendo a compartimentalização em disciplinas, com possível reinserção condicionada à autonomia das escolas. Neste contexto, a BNCC apresenta limitações que devem ser reconhecidas em relação à política pública que visa responder aos interesses de todos. No ensino técnico e tecnológico há esforços para integrar a EA em diversas atividades e a oportunidade de construir conhecimento, porém, o grande desafio é conseguir desenvolver a EA e ao mesmo tempo integrá-la com o máximo possível de disciplinas, considerando que o atual sistema educacional ainda reproduz o modelo tradicional de ensino. Para isto, pensando na mudança desta realidade, que a EA deve ser vista como forma de contribuir para que os técnicos formados sejam, além de bons profissionais, cidadãos críticos e conscientes do seu papel.</p> 2020-12-19T20:16:55-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60170 Ensino remoto e educação em tempos de pandemia do novo coronavírus no Brasil 2021-02-22T15:02:29-03:00 Fabrício Rodrigues da Silva fabricioico@hotmail.com Adriana Alves da Silva adriana_as_ce@hotmail.com <p>O artigo discute os impactos do ensino remoto sobre a educação profissional e tecnológica no Brasil em tempos de crise e pandemia da <em>COVID-19</em>, doença infecciosa causada pelo novo <em>coronavírus (SARS-CoV-2)</em> que tem vitimado milhares de trabalhadores mundialmente. A pandemia não é a mesma para todos, atingindo de forma brutal os países de capitalismo dependente, como o Brasil, atual epicentro da doença, e neste, as classes mais desfavorecidas, pela ausência de um efetivo Estado de direitos. Ainda não é possível uma avaliação final deste impacto, uma vez que a pandemia ainda não se estabilizou e o ensino remoto pode ainda perdurar, no entanto pelas condições em que o mesmo está sendo realizado, inferimos que se constitui em modalidade frágil e incipiente, não garantindo a formação e a qualidade da educação. A discussão desse tema, assim como a resistência aos desmontes de direitos é urgente, uma vez que com a atual crise humanitária tornou-se mais favorável ao capital, através do Estado, avançar sobre esses direitos e em particular sobre a educação pública, implementando mecanismos que impactam e comprometem a formação crítica e de qualidade</p> 2020-12-19T21:55:21-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60181 Inventariando o financiamento da Educação no período colonial e os primeiros indícios da educação profissional 2021-02-22T15:04:57-03:00 Ramon Igor da Silveira Oliveira ramonygor@hotmail.com Maria Aparecida dos Santos Ferreira maria.santos@ifrn.edu.br <p>Este trabalho objetiva inventariar as medidas adotadas para o financiamento da educação no Brasil Colônia e apontar os primeiros indícios da educação profissional. Como método, optou-se pelo materialismo histórico-dialético, aplicado a abordagem qualitativa e a pesquisa bibliográfica exploratória. Apurou-se que a educação obteve recursos de diversas fontes durante o seu curso no período colonial do Brasil, indo desde as doações até a criação de impostos específicos para o seu financiamento. Apontou-se também indícios de uma formação profissional, realçados em ocasiões nas quais os menos abastados recebiam o ensino de ofícios manuais em oficinas, em detrimento da formação escolarizada fornecida a aristocracia.</p> 2020-12-19T22:53:09-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60189 O Ensino Técnico em Teatro: 2021-02-22T15:08:03-03:00 Benedita Alcidema Coelho dos Santos Magalhães alcidema@ufpa.br Ronaldo Marcos de Lima Araujo ronaldolimaaraujo@gmail.com <p>Este texto trata da educação profissional em arte. Objetiva analisar a trajetória do ensino técnico em Teatro da Universidade Federal do Pará, suas finalidades e contradições, no âmbito da educação profissional. A metodologia utilizada foi o estudo de caso e a abordagem foi considerada qualitativa. Utilizou-se entrevistas semiestruturadas e análise de documentos. As entrevistas revelaram que a Escola de Teatro e Dança e concomitantemente a formação dos profissionais de teatro, passou por quatro fases: a fase áurea de criação, a fase de decadência; a fase de renovação e; a fase de institucionalização. Podemos concluir que ter um curso de teatro, que por décadas existiu de forma livre e agora de modo institucionalizado na educação profissional, ainda que, com todas as limitações desta modalidade de ensino, significa para a escola de teatro e para a formação de artistas, uma questão de sobrevivência e garantia de continuidade da formação e legitimação da arte no interior da academia, o que aparenta ser conformação, revela-se como resistência.</p> 2020-12-20T10:46:18-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60198 O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior: 2021-02-22T15:10:11-03:00 Denise Lima de Oliveira deniselo@ifto.edu.br Luciene Lima de Assis Pires lucieneapires@gmail.com <p>A avaliação do sistema educacional entrou na agenda do governo brasileiro com mais intensidade na década de 1990, como meio de subsidiar as reformas do sistema de ensino. Em 2004 foi criado o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) que reconfigurou a concepção e o modelo de avaliação institucional das instituições de ensino superior. Em 2008, com a criação da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e dos institutos federais (IF), suas unidades passaram a ofertar esse nível de ensino e, para fins de regulação, tiveram que se adequar ao SINAES. Esse artigo tem o objetivo de examinar os pressupostos teóricos que subsidiam a política de avaliação da educação superior e averiguar de que modo os institutos federais inserem-se nessa política e como vêm se articulando para atender as diretrizes do SINAES. Para o estudo, foram selecionadas pesquisas em nível de pós-graduação em bancos oficiais de teses e dissertações, entre as quais foram identificados seis trabalhos com potencial para subsidiar esse debate. Os resultados revelam que o SINAES não contempla a configuração das instituições de educação profissional, não permite a avaliação institucional de sua totalidade e ainda pode ocultar a realidade dos IF e inibir seu desenvolvimento institucional.</p> 2020-12-20T11:40:55-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60202 Os Desafios e Potencialidades da (auto) formação Docente 2021-02-22T15:14:34-03:00 Wagner de Moura Oliveira wagnermoura56@gmail.com Francisco Nilton Gomes de Oliveira niltonufrj@gmail.com Roselene Moreira Gomes Pommer roselenepommer@ctism.ufsm.br <p><strong>Este artigo se propõe a refletir sobre a relevância do docente olhar para si mesmo como uma pessoa em constante construção formativa, bem como, ser consciente de sua responsabilidade auto formativa, visando se qualificar para trilhar os caminhos do ensino e aprendizagem guiados ao desenvolvimento profissional e pessoal.&nbsp; Objetiva-se neste artigo discutir à luz da literatura a concepção do ser professor: suas potencialidades na sua (auto)formação. Como fundamentação metodológica, é baseado numa revisão de literatura. Buscou-se por meio do portal da CAPES teses e dissertações que reverberam a temática aqui proposta. No constructo teórico é dada a importância e relevância social deste debate no sentido de encorajar e conduzir a reflexão crítica do docente no seu comprometimento de (auto)formação, concretizando a potencialização da prática pedagógica deste profissional em seu dia a dia no ambiente escolar. Conclui-se segurando que a (auto)formação docente possibilita o protagonismo do docente na acepção de permitir para si uma formação crítica, reflexiva e continua que não se exaure apenas nos cursos de graduação, mas que esta busca o permita ir mais além das sistemáticas tradicionais de formação.</strong></p> 2020-12-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60186 Redes sociais digitais como ferramenta no processo de ensino-aprendizagem interdisciplinar: 2021-02-22T15:17:04-03:00 Danila Cristiane Marques Sanches Dockhorn danilasanches@gmail.com Júlio César da Silva profjuliosilva72@gmail.com Maria José Carvalho de Souza Domingues mariadomingues@furb.br <p>As redes sociais têm ocupado espaço cada vez maior nas atividades de jovens. O sucesso do Facebook é devido em grande parte pela possibilidade de aproximação entre as pessoas e a facilidade de uso. É um tema pertinente para a escola, como utilizar as redes sociais, especialmente o Facebook, para auxiliar no processo de ensino-aprendizagem. Portanto, este trabalho tem por objetivo analisar o uso de um grupo no Facebook para apoiar o processo de ensino-aprendizagem em uma escola de ensino médio integrado ao técnico profissional. A pesquisa foi realizada com 24 estudantes e um professor da matéria Projeto de Integrador I na classe do 1º ano do Curso Técnico em Vestuário. Caracteriza-se como um estudo de caso. A base do trabalho é o uso de depoimentos e análises de posts na página do grupo na rede social. Realizou-se a análise qualitativa, empregando o uso de técnicas de análise de conteúdo e a utilização de nuvem de tags com o auxílio do aplicativo Wordle para análise de dados. Como resultados destacam-se: o uso do Facebook é avaliado como uma importante ferramenta de colaboração entre alunos e professores. A autoria dos alunos também é destaque, assim como o dinamismo na interação entre os alunos. Bem como uma ferramenta para melhorar a relação da classe, para permitir a construção de um ambiente colaborativo e ao mesmo tempo crítico.</p> 2020-12-20T18:15:25-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60221 Espaços alternativos de educação para o trabalho 2021-02-22T15:19:55-03:00 Ana Maria Freitas Teixeira ana.f.teixeira@hotmail.com Ilzimar Gloria Ferreira Oliveira ilzigferreira@gmail.com <p class="western" lang="pt-BR" align="justify"><span style="font-family: Arial, sans-serif;"><span style="font-size: small;">O texto tem como objetivo tratar da oferta de educação profissional pelo terceiro setor a partir de resultados de pesquisa realizada junto a duas Organizações não Governamentais (Ong’s) localizadas na periferia da cidade do Salvador, capital da Bahia. A reflexão proposta considera que paralelamente a existência de uma rede federal estruturada em torno dessa modalidade educativa que, inclusive, conta com reconhecimento e prestigio é possível identificar a existência de uma outra ‘rede’ que direciona sua oferta de formação para o trabalho à uma população jovem caracterizada pela situação de vulnerabilidade. Se por um lado o perfil dos jovens atendidos distingue essas duas redes, por outro lado a oferta de formação para o trabalho é um ponto de convergência entre elas, apesar de todas suas especificidades. Essas especificidades, no entanto, não impedem que esses dois universos se confrontem com a questão da formação e da prática pedagógica de seus docentes e instrutores quando se trata de lidar com as interfaces entre educação e trabalho em situações de aprendizagem que envolvem as juventudes. Para tratar desses aspectos foram realizadas entrevistas narrativas com os responsáveis pelos cursos oferecidos pelas Ong’s pesquisadas.</span></span></p> 2020-12-20T22:47:25-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60220 A função social dos Institutos Federais de Educação: 2021-02-22T15:22:45-03:00 Carla da Silva Bastos carla.bastos@ifmg.edu.br Geisy Anny Venâncio venancio.anny@gmail.com Niltom Vieira Junior niltom.vieira@ifmg.edu.br <p>O presente artigo visa evidenciar a importância da Pesquisa e da Extensão para o alcance da função social dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) e o seu impacto no desenvolvimento local e regional da cidade de Santa Luzia-MG. Para tanto, optou-se por seguir uma abordagem descritiva, de caráter quali-quantitativo, tendo como base, sobretudo, a pesquisa documental, com constante apoio da pesquisa bibliográfica. Os resultados alcançados apontam que se faz necessário repensar as ações de Pesquisa e Extensão para que a função social dos IFs seja amplamente exercida, junto às atividades de Ensino.</p> 2020-12-21T08:47:22-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60233 Processo histórico da Educação Profissional e Tecnológica no Brasil: 2021-02-22T21:21:36-03:00 Eliane Cristina Gualberto Melo Mineiro elianecgmelo@yahoo.com.br Frederico Antonio Mineiro Lopes fredericomineiro@ufmg.br <p>A educação profissional e tecnológica no Brasil vem passando por transformações significativas ao longo da sua história, conforme a perspectiva política de cada período governamental. O objetivo desse artigo é apresentar o contexto histórico da educação profissional no Brasil em suas origens, bem como seus desdobramentos e reflexos que culminaram com a política pública de criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, instituído pela lei 11.892/2008. A temática é apresentada por meio de três eixos: histórico da educação profissional no Brasil; criação da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica; e, por último, o processo de constituição dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no conjunto da educação profissional e tecnológica brasileira, enquanto política pública. Os procedimentos metodológicos utilizados, predominantemente qualitativos, foram a pesquisa documental e a análise bibliográfica. Este estudo permitiu evidenciar que a história e a memória da educação profissional tecnológica no Brasil revelam que sua constituição perpassou por um processo histórico complexo e fragmentado. Constatou-se, ainda, que seus indícios foram pontuais e em menor amplitude no período colonial e imperial, sendo instituída de forma incipiente nesse período. Em 1909 consolidou-se como uma rede federal de educação profissional e tecnológica e, somente no início do século XXI, houve, de fato, uma expansão em todo o território nacional enquanto política pública educacional direcionada para uma proposta de formação profissional.</p> 2020-12-21T09:21:23-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60154 Currículo, memória e imagem: 2021-02-22T21:24:48-03:00 Diego dos Santos Alves clickdiego@hotmail.com Beatriz Medeiros de Melo mmelobeatriz@gmail.com <p class="p1">Este artigo apresenta<span class="s1"> uma etapa do desenvolvimento de pesquisa-ação em andamento no contexto do ProfEPT/Ifal que objetiva i</span>nvestigar o lugar da memória quilombola na memória coletiva e no currículo oficial dos cursos de Ensino Médio Integrado (EMI) e, então, produzir um documentário audiovisual como recurso didático que amplie o âmbito da educação integral<span class="s1">. A etapa em análise é o diagnóstico preliminar da pesquisa-ação, que manifesta a percepção dos docentes do Instituto Federal de Alagoas acerca dos limites e das possibilidades para a inclusão do debate sobre história e memória quilombola no EMI. Trata-se de um estudo que se filia metodologicamente à abordagem qualitativa, com aporte no método da pesquisa-ação e revisão bibliográfica. Assim, coletamos os dados por meio de questionários semiestruturados, aplicados a 28 docentes de História via plataforma on-line Google Forms, e realizamos pesquisa bibliográfica que nos permitiu discutir a relação entre currículo e memória enquanto caminho para o aperfeiçoamento da educação integral e ressignificação do lugar ocupado pelas comunidades afro-brasileiras nas práticas educativas do EMI. Concluímos que a proposta de um documentário audiovisual, como Produto Educacional, contribui para a inclusão da temática quilombola no currículo, valoriza a história e a memória afro-brasileiras e colabora com a desnaturalização do preconceito.</span></p> 2020-12-21T09:56:22-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60130 Educação e formação profissional no Brasil 2021-02-22T21:26:39-03:00 José Mateus Bido jose.bido@ifpr.edu.br <p>O objetivo do nosso trabalho é refletir a educação e a formação profissional no Brasil, fundamentando a crítica formativa a partir da criação dos Institutos Federais. Tal análise se faz necessária como condição para reposicionar os rumos da educação profissional brasileira frente às inúmeras mudanças sofridas no século XX e nas primeiras décadas do presente. Concentrando-nos na trajetória da legislação educacional, procuramos demonstrar que as mudanças promovidas nas políticas educacionais no país, além de atenderem os anseios dos setores produtivos locais e internacionais, não concretizam um projeto de nação e não formam o cidadão para a leitura e participação crítica na cultura e na sociedade em que se insere. Buscando nas legislações educacionais que regulam as mudanças de foco formativo, o trabalho se pauta também em escritos de intelectuais que ajudam a entender o percurso formativo. Por outro lado, funda-se em pensadores da Teoria Crítica para inquerir sobre o sentido e a finalidade educacional. Como reflexão, espera-se que a abordagem contribua com a crítica sobre o entendimento da formação do trabalhador, não apenas como individuo ajustado para as condições produtivas, mas como um ser que se realiza em sua criação laboral.</p> 2020-12-21T10:21:30-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60119 A formação humana entre o currículo e a prática do professor do ensino médio integrado 2021-02-22T21:31:33-03:00 Lílian Gobbi Dutra Medeiros liliandutra@iftm.edu.br Márcia de Souza Oliveira Paes Leme Alberto marciapaes@iftm.edu.br Léia Adriana da Silva Santiago leia.adriana@ifgoiano.edu.br <p>Os Institutos Federais oferecem educação profissional e tecnológica e têm o ensino técnico de nível médio como um de seus objetivos, devendo ser ofertado prioritariamente na modalidade integral – ensino médio integrado. Sob a ótica da formação humana integral, omnilateral e politécnica, em que embasamos esse estudo, o ensino médio integrado deve ocupar um papel de transposição para uma formação ampla dos sujeitos, no sentido da escola unitária de Gramsci. Nesse sentido, este estudo busca perceber como se dá a formação humana integral no currículo dos cursos técnicos integrados ao ensino médio de um <em>campus</em> do Instituto Federal do Triângulo Mineiro e na prática docente, com foco nas áreas de Literatura e História. A pesquisa é de abordagem qualitativa, do tipo exploratório. Utilizamos pesquisa bibliográfica e documental, com a análise de dois Projetos Pedagógicos de Cursos, além da aplicação de questionário aberto a professores de Literatura e História. Os dados coletados por meio do questionário foram analisados pela análise de conteúdo de Bardin. Os documentos indicam um progresso, mostrando uma crescente preocupação com a formação humana integral, omnilateral e politécnica dos sujeitos, para o exercício da cidadania e das diversas funções do mundo do trabalho. Os depoimentos dos professores apontam para uma prática preocupada com a utilização de temas, abordagens e processos metodológicos que contribuam com a formação humana integral, apesar de nos parecer um resultado de práticas mais isoladas.</p> 2020-12-21T14:32:55-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60156 História e Memória da Educação Profissional e Tecnológica: 2021-02-22T21:33:22-03:00 Ramofly Bicalho ramofly@gmail.com Pedro Clei Sanches Macedo pedroclei@hotmail.com <p>O objetivo deste artigo é caracterizar a história e memória do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá a partir das narrativas dos pioneiros que contribuíram significativamente na construção da proposta pedagógica de educação profissional e tecnológica nos primeiros anos de sua implantação (2007 a 2014). A pesquisa buscou analisar os documentos institucionais, leis, decretos e portarias, relacionados a educação profissional no Brasil e no Amapá, com destaque a Lei de criação dos Institutos Federais, Lei 11.892 de 29 de dezembro de 2008, entre outros dispositivos legais. Para o desenvolvimento desta investigação, optou-se pela abordagem qualitativa, através de pesquisa bibliográfica, análise documental e entrevistas. Os resultados revelam os caminhos minuciosos percorridos no processo de transformação da Escola Técnica Federal do Amapá (ETFAP) em Instituto Federal do Amapá (IFAP), a instalação em unidades provisórias, a escolha dos primeiros cursos e sua importância para o desenvolvimento regional.</p> 2020-12-21T14:57:01-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60182 As memórias institucionais e a formação integral em um curso técnico na modalidade subsequente: 2021-02-22T21:35:32-03:00 Marilanes Gomes de Jesus marilanegomes@yahoo.com.br Gabriela Ventura da Silva Nascimento gabriela.silva@ifrj.edu.br <p>A Educação profissional e Tecnológica está ancorada na concepção de formação integrada que, além de superar a dualidade educacional, pretende uma formação humana integral. Dessa forma, este artigo tem por objetivo promover a reflexão sobre a importância das memórias institucionais para o discente em formação. A partir de uma abordagem qualitativa de cunho exploratório, se buscou investigar o conhecimento discente, em um curso subsequente, quanto às memórias institucionais em um instituto de federal da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Assim, seguindo a perspectiva de formação integral na Educação Profissional e Tecnológica, as discussões buscaram a reflexão sobre a importância e as contribuições do acesso às memórias institucionais durante o processo formativo e o papel institucional neste contexto. A pesquisa reafirmou a importância da revisitação às memórias institucionais, bem como revelou a relevância da difusão destas no ambiente escolar como uma das possibilidades para o fortalecimento da formação integral dos estudantes. Os resultados revelaram que, apesar do pouco conhecimento dos participantes sobre a instituição, eles foram receptivos à proposta e demonstraram interesse pelo tema, atribuindo importância de tal informação para sua formação.</p> <p>&nbsp;</p> 2020-12-21T15:49:21-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60074 Programas de Formação Profissional: 2021-02-22T21:46:05-03:00 Renato Colomby renato.colomby@gmail.com Evelis Couto Silva couto.eve@gmail.com Cibele Cheron iccibele@gmail.com Julice Salvagni julicesalvagni@gmail.com <p>O objetivo dessa pesquisa foi analisar a percepção dos jovens aprendizes em relação aos programas para a formação profissional. Realizou-se uma pesquisa qualitativa, cuja coleta de dados aconteceu por meio de entrevistas semiestruturadas com oito jovens. As categorias de análise podem ser sintetizadas da seguinte forma: i) jovens e mercado de trabalho, ii) programas de aprendizagem – didática, teoria e prática e iii) formação profissional – desenvolvimento, interação e aprendizado. Os dados revelaram que a participação no programa foi satisfatória para os jovens e eles reconhecem a importância da experiência para a sua formação profissional. O crescimento pessoal, profissional e as relações oportunizadas pelo ambiente de trabalho mostraram-se muito relevantes para os entrevistados, não sendo a questão financeira o fator primordial. Os jovens concordam que a maneira mais efetiva de aprendizado se dá através do trabalho e estudo simultâneos. Nesse sentido, criticam a falta de conexão das aulas ministradas na entidade formadora com a prática na empresa. Por fim, destacam-se três características que, segundo os participantes, foram adquiridas ou desenvolvidas durante a experiência no programa: comunicação, relacionamento interpessoal e responsabilidade.</p> 2020-12-21T20:28:17-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60207 A implantação do IF Goiano - Campus Iporá: 2021-02-22T21:47:57-03:00 Suelia da Silva Araújo suelia.araujo@ifgoiano.edu.br Adenilda Rodrigues da Silva Junqueira adenilda.junqueira@ifgoiano.edu.br Sangelita Miranda Franco Mariano sangelita.mariano@ifgoiano.edu.br <p>Este artigo aborda o processo histórico de implantação do IF Goiano - Campus Iporá, inaugurado em 1º de fevereiro de 2010. Com o objetivo de compreender o contexto histórico dessa Instituição de ensino profissional, realizamos uma pesquisa qualitativa. Assim, inicialmente, apresentamos a contextualização do município de Iporá e o processo de interiorização dos Institutos Federais. Em seguida, trazemos as narrativas de alguns servidores pioneiros do Campus Iporá, que foram convidados a participar de uma entrevista. Esses sujeitos representam as categorias docente, técnico administrativo e gestor. Para a realização da entrevista, adotamos um roteiro semiestruturado e para a construção deste estudo, nos baseamos em teóricos como Silveira (2007), Delgado (2010), Clandinin e Connelly (2011), Halbwachs (2013), Moran (2014), entre outros. As narrativas dos sujeitos entrevistados nos permitiram conhecer diferentes percepções, expectativas e experiências de quem iniciou seus trabalhos nessa Instituição, a partir de 2010, e permanece até os dias atuais. Assim, por meio dessas narrativas, apresentamos as memórias e histórias desses sujeitos acerca dos desafios de implantação do Campus, do percurso seguido nos dez anos de Instituição e da relação da implantação do Campus Iporá com o desenvolvimento local.</p> 2020-12-21T21:15:45-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60211 Reflexões sobre o planejamento e o processo de ensino-aprendizagem: 2021-02-22T21:49:32-03:00 Ruan Barroso ruansoares284@gmail.com Andressa Pereira Amdressagirl@hotmail.com Dermevaldo Marques dermeva@gmail.com Fernanda Bezerra Mateus Martins fernanda.martins@ifb.edu.br Shirleide Pereira da Silva Cruz shirleidesc@gmail.com Yago Ferreira yago__barboza@hotmail.com <p>Considerando o planejamento como um elemento fundamental para o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem este artigo propõe refletir sobre o planejamento dos professores de informática da educação profissional e tecnológica com o objetivo de compreender as contribuições com o processo ensino-aprendizagem dos educandos. Utilizou-se como metodologia a abordagem qualitativa, com realização de entrevista semiestruturada com três professores de informática. A análise dos dados se deu pela técnica de Aguiar e Ozella (2006) organizada pelos pré-indicadores e indicadores de forma a chegar nas sínteses dos núcleos de significação do objeto, o que nos possibilitou realizar uma análise empírica considerando os quatro núcleos que emergiram do nosso objeto, são eles: Núcleo 1: Considerações sobre o uso da práxis em busca do rompimento do ensino tradicional; Núcleo 2: Estratégias Metodológicas diferenciadas na construção do conhecimento do discente; Núcleo 3: Avaliação como processo de sondagem e de compreensão dos conteúdos; Núcleo 4: A importância da relação professor-aluno e a motivação dos alunos em sala de aula.Verificou-se que os professores procuram organizar seu planejamento de forma aberta e flexível levando em consideração a realidade do educando e buscando estratégias que possibilitam tornar o processo de ensino-aprendizagem mais significativo.</p> 2020-12-21T21:24:06-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/61544 O currículo integrado no ensino médio técnico do IEMA: 2021-02-22T21:51:46-03:00 Karyanne Moreira da Silva Nogueira Rosa karyannetur2007@yahoo.com.br Ilma Vieira do Nascimento ilmavieira13@gmail.com <p>Este artigo se pauta em uma pesquisa de mestrado sobre o currículo integrado do ensino médio técnico do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), localizado no município de Bacabeira, Analisou-se a contribuição da proposta curricular desse Instituto para a formação humana e profissional dos alunos, tendo-se como foco o currículo integrado em tempo integral. As percepções dos alunos do 3º ano do Ensino Médio Profissionalizante do Instituto constituíram-se como ponto fundamental para a compreensão daquela contribuição, obtidas pela aplicação de questionários preformados e pela técnica do grupo focal. Trata-se de uma pesquisa qualitativa fundamentada em vários estudiosos, como: Bernstein (1996), Frigotto (2004), Santomé (1998), Lopes (2006), entre outros. Fundamentamo-nos também em documentos do Modelo da Escola da Escolha do Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE), que são norteadores da Proposta Pedagógica do IEMA. A pesquisa permitiu-nos uma visão mais acurada da percepção dos alunos sobre o currículo integrado em tempo integral no Ensino Médio do IEMA, expressa por eles como um currículo que vai além de um instrumento meramente técnico na medida em que proporciona a profissionalização ligada a uma formação humana integral materializada no Projeto de vida. Permitiu-nos também compreender que a organização contextualizada do tempo e da rotina de estudo estabelecida entre alunos e equipe escolar é fundamental na concretização de uma proposta de integração curricular.</p> 2020-12-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/44189 Ensino de filosofia numa perspectiva de formação humana omnilateral 2021-02-22T22:01:46-03:00 Daniel Oliveira da Silva dan.oliveira10@outlook.com Fábio Francisco de Almeida Castilho fabiofacastilho@hotmail.com <p>O presente artigo, parte integrante de uma pesquisa em desenvolvimento em nível de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT), destina-se a fazer uma reflexão sobre o ensino de filosofia numa perspectiva de formação humana omnilateral, refletindo sobre as noções de trabalho como princípio educativo e a educação politécnica. De cunho bibliográfico, a pesquisa é abordada a partir de três pontos: as relações entre Filosofia e Educação; o trabalho como princípio educativo na formação humana; e, por último, a educação politécnica baseada na concepção de formação omnilateral.</p> 2020-12-22T12:24:38-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/44540 Mapeamento sistemático de produções científicas sobre a violência autoinfligida 2021-02-22T22:10:40-03:00 Leonora de Jesus Mendes Tavares leonoramendes@acad.ifma.edu.br Álvaro Itaúna Schalcher Pereira alvaro.pereira@ifma.edu.br Francisco Adelton Alves Ribeiro adelton@ifma.edu.br <p>A violência autoinflingida constitui evento de notificação compulsória que abrange comportamentos suicidas (tentativas de suicídio e suicídio) e autoabusos (agressões a si próprio e automutilações). Propõe-se a analisar utilizando técnicas prospectivas - artigos, dissertações e teses, no idioma português, de programas de pós-graduações brasileiros stricto sensu, pertencentes ao eixo Psicologia, Educação e Ciências Sociais, de 2009 a 2019, presentes nos bancos de dados nacionais identificando-se a evolução anual, o número de publicações por instituição e a área de conhecimento. Realizaram-se buscas e cruzamentos de dados disponibilizados pelo Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CTD/CAPES), pela Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) e pela plataforma SciELO (Coleção SciELO Brasil). Das bases consultadas, o CTD/CAPES e a BDTD foram as que mais retornaram resultados abrangendo 84,38% dos trabalhos. Verificou-se que as áreas de conhecimento que mais desenvolveram trabalhos foram Psicologia (62,5%), Tratamento e Prevenção Psicológica (15,63%) e Educação (9,38%). Constatou-se que a Região Sudeste (44%) foi a que mais publicou seguida da Região Nordeste (31%) e da Região Centro-Oeste (16%). Os Estados com maior número de publicações foi Pernambuco (28,13%) seguido por São Paulo (18,75%) e Distrito Federal (9,38%). As Instituições com mais publicações depositadas foram a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, totalizando 31,25% do corpus analisado.</p> 2020-12-28T10:48:16-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/44240 O Ensino Secundário em Minas Gerais no Período Republicano: 2021-02-22T22:11:52-03:00 Caio Corrêa Derossi derossi.caio@gmail.com Joana DArc Germano Hollerbach joana.germano@ufv.br Thaís Carneiro Carvalho thaiscarvalho471@gmail.com <p>O presente trabalho propõe uma análise acerca da organização do ensino secundário, durante o período republicano, em um recorte temporal localizado no século XX, especificamente no estado de Minas Gerais. A metodologia utilizada baseou-se no instrumental da Nova História Política e da pesquisa documental. Para tanto, as fontes elencadas foram os textos legais coevos ao período estudado, principalmente Leis, Relatórios e Discursos dos governadores ao Poder Legislativo. Ademais, compuseram o <em>corpus</em> analítico da pesquisa, estatísticas e recenseamentos oficiais acerca dos estabelecimentos escolares e matrículas. O texto discute o ensino secundário através da sua expansão e dos seus investimentos público e privado, observando que, para este segmento, foi destacado numericamente as instituições privadas e o quantitativo de alunos atendidos. À guisa das considerações finais, verificou-se que os investimentos públicos foram aquém da demanda, o que possibilitou grande expansão do setor privado e que, data das décadas finais do século XX, ocorreu um investimento público sistemático neste segmento de ensino.</p> 2020-12-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/44190 Envelhecimento e trabalho na perspectiva dos trabalhadores: 2021-02-22T22:13:37-03:00 Doralice Soares Barbosa Abe ds.abe@uol.com.br Gabriela Cunha Fialho Cantarelli Bastos gabycantarelli@gmail.com Ivone Félix de Sousa ivonefelixsousa@gmail.com Rogério José de Almeida rogeriopucgo@gmail.com <p>Uma importante transformação advinda das mudanças na pirâmide etária se refere às relações de trabalho. O envelhecimento relacionado ao trabalho é um processo que pode tanto influenciar, como ser influenciado pela relação estabelecida na vida em sociedade entre o sujeito e seu trabalho. O presente artigo tem por objetivo analisar o fenômeno do envelhecimento e a vida laboral dos indivíduos, entendendo essa relação como um processo heterogêneo, peculiar e adaptativo, influenciado pelas vivências, os contextos sociais, os estilos de vida e as particularidades de cada indivíduo. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura científica, em que foram utilizadas para a coleta dos dados as bases de dados: PubMed e Biblioteca Virtual da Saúde. Os critérios de inclusão aplicados foram: artigos originais, período de publicação compreendido entre 2015 e 2019, idiomas inglês, português e espanhol. A amostra final desta revisão foi constituída por cinco artigos científicos, sendo duas pesquisas realizadas no Brasil, uma na Espanha, uma na Holanda e outra nos Estados Unidos da América. As evidências mostraram que, com o avanço da idade a capacidade laborativa pode ser influenciada pela perda funcional a que está sujeito todo ser vivo. Foram evidenciados ainda aspectos positivos do envelhecimento que favorecem o desempenho das atividades, como a obtenção de conhecimento e maturidade aliado ao estabelecimento de vínculos.</p> 2020-12-28T15:53:13-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/60768 Reconstrução histórica do Curso Técnico em Metalurgia do IFMG - Campus Ouro Preto: 2021-02-22T22:15:30-03:00 Carla Cristina Vicente carla.vicente@ifmg.edu.br Ana Paula Lelis Rodrigues de Oliveira ana.lelis@ifsudestemg.edu.br <p>Objetiva-se com este trabalho apresentar o resgaste histórico do Curso Técnico em Metalurgia do IFMG – <em>Campus </em>Ouro Preto, por meio das lembranças de egressos e docentes, de modo a fomentar a importância do curso e o protagonismo dos sujeitos que contribuíram para a sua construção. Tomar a vivência do outro como instrumento motivacional contribui para o fortalecimento do protagonismo dos seus agentes; a ressignificação de conquistas e limites; e o reafirmar da identidade e pertencimento grupal dos sujeitos. Para a construção da pesquisa foram utilizadas entrevistas semi estruturadas com professores que ministraram no curso na sua forma integrada ao ensino médio e egressos de diferentes épocas que relataram, aliado a imagens do acervo pessoal, lembranças positivas vivenciadas no curso. Observou-se que as experiências vividas foram significativas para os participantes contribuindo para a formação de uma memória grupal que, aliada aos desejos individuais, colaboram para contínua construção do curso, além de destacada importância na vida dos sujeitos participantes da pesquisa.</p> 2020-12-29T14:38:03-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/44449 O uso do facebook nas aulas de química: 2021-02-22T22:16:48-03:00 João Batista Soares Vila Nova jbsvn2010@hotmail.com Alexandra Nascimento de Andrade alexandra_deandrade@hotmail.com Priscila Eduarda Dessimoni Morhy primorhy@hotmail.com Carolina Brandão Gonçalves cbgoncalves@uea.edu.br <p>O presente artigo tem como objetivo, investigar as contribuições do uso do <em>Facebook</em> mediante uma intervenção pedagógica nas aulas de Química, com alunos da 2ª série do Ensino Médio, de uma escola Estadual da Zona Norte da cidade de Manaus - AM. A pesquisa fez uso da <em>Fanpage</em>, criando-a para os alunos discutirem, postarem e tirarem dúvidas sobre os conteúdos de Química, visto que a partir dos registros, constatou-se&nbsp; algumas das dificuldades encontradas pelos alunos em entender os conteúdos deste componente curricular eram devido às aulas monótonas, o que justificava a falta de estímulo e interesse deles. Após a intervenção pedagógica, com o uso do <em>Facebook </em>nas aulas apurou-se, por meio das falas dos alunos, que a aprendizagem dos conteúdos foi satisfatória, uma vez que auxiliou o professor, e a eles próprios, que puderam tirar dúvidas e interagir nos fóruns, enviando vídeos e perguntas sobre os conteúdos estudados, contribuindo para o maior envolvimento de todos. Evidenciou-se que o uso das redes sociais, no caso o <em>Faceboock,</em> pode ser utilizado para analisar e resolver questões e exercícios de conteúdo programático, solucionando as dúvidas de maneira mais rápida, havendo a troca de conhecimento e informação. Destaca-se nesta pesquisa a importância na relação entre aluno e professor, e a necessidade de estimular a livre expressão dos discentes e o uso dos aplicativos e <em>softwares</em> para o seu processo educativo, em todas as disciplinas.</p> 2020-12-31T10:02:09-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor http://periodicos.ufc.br/labor/article/view/62469 Brasil 2013: 2021-02-22T22:17:48-03:00 Eneas de Araújo Arrais Neto eneas_arrais@hotmail.com Francirene de Sousa Paula eneas_arrais@hotmail.com Jerciano Pinheiro Feijó jerciano@hotmail.com <p>Este artigo tem por objetivo refletir a relação entre ódio e laço social contemporâneo a partir das manifestações sociais, chamadas “jornadas de junho”, ocorridas em 2013 no Brasil, destacando suas marcas expressivas de raiva e destrutividade voltadas para as representações do gozo capitalista, insígnias do mal estar na cultura contemporânea. Interroga, segundo os estudos freudianos sobre a cultura, o lugar da negatividade do ódio na constituição do laço social, colocando em cena as relações do sujeito com o outro, sobretudo quando este é tratado como objeto. Trata-se assim de mostrar que há uma lacuna nas críticas dirigidas às jornadas quando reduzidas tais manifestações a atos de vandalismo e de violência, ignorando o aspecto do ódio no sentido de uma recusa do sujeito (pobre, negro, gay, mulher etc.) em ser considerado desprezível pela sociedade do capital.</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Labor