A PALAVRA NA INTERPRETAÇÃO DA INFÂNCIA: UMA ANÁLISE DO LEGADO HERMENÊUTICO A PARTIR DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Juliana Cristine Diniz Campos, Eulália Emília Pinho Camurça, Carlos de Melo Neto

Resumo


Interpretar e aplicar o direito para crianças e adolescentes implicam desafios que alcançam não só o plano hermenêutico-instrumental, mas também simbólico. A palavra vincula, traduz, arrebata e é por meio dela que se dão múltiplas formas de aplicação e compreensão do direito dentro de um campo social dinâmico e contraditório. O objetivo geral deste artigo é investigar a forma como uma transformaçãoda chamada doutrina da situação irregular para a doutrina da proteção integral, realizada a partir da Constituição Federal de 1988, provocou modificações na maneira de se interpretar os direitos da infância e juventude. O artigo também pretende analisar brevemente como se deu a construção da idéia de infância,realizando uma análise semântica dos direitos que dela decorrem.Será realizado um estudo qualitativo para analisar o impacto da hermenêutica constituição na consagração e em pretensos saltos significativos na empreitada brasileira de proteção integral das crianças e dos adolescentes. Trata-se, portanto, de um estudo transdisciplinar que reúne saberes da comunicação, da semiótica e da hermenêutica constitucional para analisar as mudanças de paradigmas na construção dos direitos da criança e do adolescente.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDI. Direitos, infância e a agenda pública 2005-2007: uma análise comparativa da cobertura jornalística latino-americana. Brasília: Andi, 2009.

ARIÈS, Philipe. História social da Criança e da Família. 2ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BIAGGIO, Ângela M. Brasil. Psicologia do Desenvolvimento. 14ª edição. Petrópolis: Editora Vozes, 1975.

BARROSO, Luís Roberto. O direito constitucional e a efetividade de suas normas: limites e possibilidades da Constituição brasileira. 3. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 1996.

BUDÓ, Marília de Nardin. Vulnerabilidade, exclusão e seletividade - o menorismo vivo nas decisões do STJ sobre o ato infracional. In Sociologia, Antropologia e Cultura jurídicas [Recurso eletrônico on-line], CONPEDI/ UNICURITIBA (org.). Florianópolis : FUNJAB, 2013. Disponível em: http://www.publicadireito.com.br/publicacao/unicuritiba/livro.php?gt=142. Último acesso em 24/11/2017.

CITELI, Adilson. Palavras, Meios de Comunicação e Educação. São Paulo: Cortez, 2010.

COSTA, Alexandre Araújo. Direito e método : diálogos entre a hermenêutica filosófica e a hermenêutica jurídica. 2008. 421 f. Tese (Doutorado em Direito)-Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

COSTA, Ana Paula Motta. Os adolescentes e seus direitos fundamentais: da invisibilidade à indiferença. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método I: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Rio de Janeiro: Vozes, 2015.

GRAU, Eros Roberto. Ensaio e discurso sobre a Interpretação/Aplicação do Direito. São Paulo: Malheiros, 2002.

HELLER, Hermann. A Constituição do Estado. In: Teoria do Estado. Tradução por Prof. Lycurgo Gomes da Motta. São Paulo: Mestre Jou, 1968.

LASSALLE, Ferdinand. A Essência da Constituição. Rio de Janeiro: Liber Juris, 1985.

MACHADO, Martha de Toledo. A proteção constitucional de crianças e adolescentes e os direitos humanos. Barueri, São Paulo: Manole, 2003.

MÉNDEZ, Emilio García.Evolución histórica del derecho de la infancia: Por que una historia de los derechos de la infancia.In Justiça, Adolescente e Ato Infracional: socioeducação e responsabilização. ILANUD; ABMP; SEDH; UNFPA (orgs.). São Paulo: ILANUD, 2006.

MÉNDEZ, Emílio Garcia. Problemas centrales de La responsabilidad juvenil em América Latina. In Justiça Juvenil na Contemporaneidade. COSTA, Ana Paula Motta e EILBERG, Daniela Dora (orgs). Porto Alegre: DM, 2015.

POTSMAN, Neil. O desaparecimento da infância. Rio de Janeiro, Grapha, 1999.

SARAIVA, João Batista Costa. A quebra do paradigma da incapacidade e o Princípio do superior interesse da criança – O “Cavalo de Tróia” do menorismo. Juizado da Infância e Juventude / [publicado por] Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, Corregedoria-Geral da Justiça. – n. 1 (nov. 2003)-. – Porto Alegre : Departamento de Artes Gráficas do TJRS, 2003

SARAIVA, João Batista Costa. Adolescente em conflito com a lei – da indiferença à proteção integral: uma abordagem sobre a responsabilidade penal juvenil. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2005.

SILVA, Virgílio Afonso da Silva. Interpretação constitucional. São Paulo: Malheiros, 2005.

VIGOTSKY, Lev Semyonovich. A Formação Social da Mente. 4ª edição brasileira. São Paulo: Martins Fontes, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Juliana Cristine Diniz Campos, Eulália Emília Pinho Camurça, Carlos de Melo Neto

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSN 1807-3840

Rua Meton de Alencar, s/n - Centro
Fortaleza, Ceará, CEP 60.035-160
Telefone: +55 (85) 3366 7850

Bases de dados

Periódicos

Resultado de imagem para library of congress logo  http://www.cnen.gov.br/images/logo_livre2.png   Find in a library with WorldCat