BRINCAR COMO LINGUAGEM DA CRIANÇA: CONTRIBUIÇÕES CONTEMPORÂNEAS

Joyce Hilario Maranhão, Camilla Araújo Lopes Vieira

Resumo


Esse estudo teórico apresenta um levantamento bibliográfico acerca das contribuições teóricas da clínica psicanalítica freudo-lacaniana no que se refere à constituição psíquica e à função do brincar como uma modalidade da fantasia. O objetivo foi realizar uma interlocução entre os escritos de Freud e Lacan com as ideias de autores psicanalíticos contemporâneos, que têm construído um conhecimento sobre a clínica psicanalítica com crianças. Realizou-se o levantamento bibliográfico das obras dos autores Ciaccia (2005), Flesher (2012), Kraemer e Betts (1989), Jerusalinsky (2004), Oliveira (2008), Santa-Roza (1993), Souza (2007), Vidal (1992). O estudo orientou atividades com crianças em uma instituição não governamental em que o brincar foi um dos caminhos possíveis para a escuta do sujeito na infância, discurso este produzido a partir da significação de suas vivências em contexto de privação alimentar e vulnerabilidade socioeconômica. Acredita-se que a apropriação da teoria psicanalítica sobre o brincar e sua relação com a constituição do sujeito pode auxiliar na construção de espaços que proporcionam a capacidade lúdica e o agenciamento de narrativas criativas, a fim de que o sujeito possa expressar suas fantasias e dar sentido as suas vivências no laço social.


Palavras-chave


Psicanálise; brincar. consituição psíquica; infância

Texto completo:

PDF

Referências


Ciaccia, A. D. (2005) A prática entre vários. In Lima, M. M.; Altoé, S. (Orgs.). Psicanálise, clínica e instituição (pp. 34-54) Rio de Janeiro, RJ: Rios Ambiciosos.

Flesher, A. (2012) Os tempos do brincar. In Flesher, A. A psicanálise de crianças e o lugar dos pais (pp. 70-80) (Aguiar, E., trad.). Rio de janeiro, RJ: Zahar.

Freud, S. Introdução ao Narcisismo (1914/2010a). In: S. Freud. Introdução ao narcisismo, ensaios de metapsicologia e outros textos (Obras completas, v. 12) (pp. 13-50) (Souza, P. C., trad.). São Paulo: Cia da Letras.

Freud, S. A negação (1925/2010b). In: Freud, S. O Eu e o Id, “Autobiografia” e outros textos (1923-1925) (Obras Completas, v. 16 (pp. 275- 282) (Souza, P. C., trad.). São Paulo: Cia da Letras.

Freud, S. Além do princípio do prazer (1920/2010c). In Freud, S. História de uma neurose infantil [“O homem dos lobos”], Além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920) (Obras completas, v.14) (pp. 161-240) (Souza, P. C., trad.). São Paulo: Cia das Letras.

Freud, S. O início do tratamento (1913/2010d). In: Freud, S. Observações psicanalíticas sobre um caso de paranóia relatado em autobiografia [“O caso Schereber”], Artigos sobre técnica e outros textos (Obras completas, v.10) (pp.163-192) (Souza, P. C, trad.). São Paulo: Cia da Letras.

Freud, S. Escritores criativos e devaneio. (1908[1907]/2006). In Freud, S. Gradiva de Jensen e outros trabalhos (Edição Standard das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, vol. 9) (pp. 135-143). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1926[1925]/1996a) Inibições, sintomas e ansiedade. In: Freud, S. Um estudo autobiográfico, Inibições, sintomas e ansiedade, A questão da análise leiga (Edição Standard das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. 20) (pp. 81-171). Rio de Janerio: Imago.

Freud, S. Três ensaios sobre a teoria da sexualidade (1905/1996b). In S. Freud. Um Caso de Histeria. Três Ensaios sobre a teoria da sexualidade e outros trabalhos (Edição Standard das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, vol. 7) (pp. 135-251). Rio de Janeiro: Imago.

Jerusalinsky, A. (Org.) Psicanálise e desenvolvimento infantil: um enfoque transdisciplinar. (Lichtenstein, D. M.., trad.). Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2004.

Kraemer, G. M. & Betts, J. (1989) O brincar e o significante. In Souza, A. M. (Org.). Psicanálise de criança. (Callegari, A. I. trad.) (pp. 89-94). Porto Alegre: Artes Médicas.

Lacan, J. (1953/1978) Função e campo da fala e da linguagem em Psicanálise. In: Lacan, J. Escritos. (Oseki-Depré, I., trad.) (pp.101-187). São Paulo: Perspectiva.

Lacan, J. O estádio do espelho como formador da função do eu tal como nos é revelada pela psicanálise (1949/1998). In Lacan, J. Escritos (pp.96-103). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. Seminário. Livro 1: os escritos técnicos de Freud (1953-1954/1986). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. Seminário. Livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise (1964/2008). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Oliveira, M. P. A fantasia em Melanie Klein e Lacan. (2008). Mental. Barbacena, 6 (11), 107-123. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1679-44272008000200007&script=sci_arttext

Santa-Roza, E. (1993) Brincar e linguagem. In Santa-Roza, E. Quando brincar é dizer: a experiência psicanalítica na infância. (pp. 49-52). Rio de Janeiro, RJ: Relume-Dumará.

Souza, O. (2007). Defesa e criatividade em Klein, Lacan e Winnicott. In Bezerra Jr., B & ORTEGA, F. Winnicott e seus interlocutores. (pp.315-344). Rio de Janeiro, RJ: Relume Dumará.

Vidal, M. C. V. Questões sobre o brincar. (1992). Letra Freudiana. Rio de Janeiro, 10 (9), 43-49. Recuperado de http://www.escolaletrafreudiana.com.br/UserFiles/110/File/artigos/letra09/006.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.