Em torno da guerra e do pacifismo

  • Betty Bernardo Fuks Universidade Veiga de Almeida (RJ)
Palavras-chave: Guerra, pacifismo, narcisismo das pequenas diferenças, política.

Resumo

O artigo apresenta algumas das principais reflexões de Freud sobre os temas da guerra e do pacifismo.  Partindo do texto “Da guerra e morte. Temas da atualidade”, escrito  durante a Primeira Guerra Mundial,  a autora mostra de que modo  Freud estabeleceu a incursão da psicanálise no campo da política e de que modo esta conexão exige do analista  manter sua escuta voltada  para a singularidade contemporânea.  Conclui que  em relação a dimensão catastrófica do psiquismo, que podemos observar hoje, por exemplo, na passagem ao ato violento; na delinqüência; na toxicomania; no totalitarismo que se coloca acima da lei e no fundamentalismo como  instrumento da lei divina etc,  importa salientar que a existência desses  novos modos de expressão dos sintomas, põe à prova o devir da psicanálise.  Lança, por fim, a aposta: o futuro da psicanálise depende da responsabilidade do analista em manter seu trabalho voltado à dinâmica psíquica do sujeito, individual ou coletivo, sem abrir mão do rigor dos conceitos freudianos.

Biografia do Autor

Betty Bernardo Fuks, Universidade Veiga de Almeida (RJ)
Psicanalista. Professora do Mestrado em Psicanálise, Saúde e Sociedade da Universidade Veiga de Almeida (RJ). Autora de: 1) Freud e a judeidade: a vocação do exílio, J. Zahar editor, Rio de Janeiro, 2000, 2) Freud e a Cultura, J. Zahar, editor, Rio de Janeiro, 2003.
Como Citar
Fuks, B. B. (1). Em torno da guerra e do pacifismo. Revista De Psicologia, 3(2), 49-55. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/120
Seção
Artigos