Uma iconologia instigada pela arte interpretativa dos sonhos em Freud

Danilo Sergio Ide

Resumo


Em 2015, o XVIII Encontro Nacional da Abrapso abrigou um grupo de trabalho dedicado à discussão dos desafios enfrentados por psicólogos que se valem de recursos imagéticos em projetos de pesquisa e intervenção. Um dos desafios discutidos se referia à delicada tarefa de leitura das imagens. Tal tarefa tem sido ordenada num campo específico de estudos da imagem, a iconologia, em geral orientado pela história da arte. Mas há casos de projetos iconológicos baseados na psicologia, como a iconologia cognitiva de Ian Verstegen, escorada no gestaltismo de Arnheim. Neste trabalho propomos uma iconologia baseada na psicanálise, porém, ao invés das tradicionais incursões via textos estéticos de Freud, encontramos nosso ponto de partida em A interpretação dos sonhos. Na arte interpretativa dos sonhos encontramos algumas diretrizes, já familiares ao trabalho psicanalítico, que bem poderiam ser redirecionadas por psicólogos a um trabalho iconológico de delimitação de linhas de leitura das imagens, ensaiado aqui com alguns casos selecionados do grupo de trabalho.


Palavras-chave


Imagem, interpretação, psicanálise, iconologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

      

        

CNENlogo_livre2.png      ResearchBib      

    

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.