A DIFUSÃO DAS REDES SOCIAIS DIGITAIS E AS NOVAS EXPRESSÕES DO EU

Idilva Maria Pires Germano, Maria Camila Gabriele Moura

Resumo


As mudanças sociais e tecnológicas trazidas pela internet e pela difusão, cada vez mais abrangente, das redes sociais digitais inauguraram novos fenômenos narrativos, cujas proporções se irradiam e estabelecem novos padrões discursivos. O presente trabalho tem por escopo a análise das novas formas de narração de si na denominada Era Digital, apresentando o surgimento e evolução dessas novas narrativas e situando-as no presente momento histórico, fortemente marcado por uma nova lógica de consumo, informação e comunicação. Além disso, buscou-se, por meio do estudo, mapear a natureza destas narrativas enquanto relatos autobiográficos, trazendo à tona, além dos contornos da figura do narrador e do objeto narrado, a problematização da superexposição espontânea da imagem do indivíduo nas redes sociais. Por fim, intenta-se discutir acerca dos possíveis limites de tal superexposição, cuja delimitação ainda se encontra em processo de construção, diante das questões éticas que começam a ser levantadas e discutidas.

 


Palavras-chave


Práticas narrativas; Era digital; Autobiografia; Sites de redes sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


Barros Filho, C. D., & Karnal, L. (2016). Felicidade ou morte. Campinas, SP: Papirus 7 mares.

Benjamin, W. (1994). O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In W. Benjamin, Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense.

Junior, D. R., & Oswald, M. M. (2014). Cibercultura, juventude e escritas de si: colocando em questão a heteronormatividade. In M. L. Oswald, D. R. Couto Junior, & K. Worcman. Narrativas digitais, memórias e guarda (p. 232). Curitiba: Editora CRV.

Kearney, R. (2012). Narrativa [Versão Eletrônica]. Educação & Realidade, 37(2), 409-438.

Keen, A. (2012). Vertigem digital: por que as redes sociais estão nos dividindo, diminuindo e desorientando. Rio de Janeiro: Zahar.

Lima, E. G., & Santos, E. M. (2014). Sintomas da escrita contemporânea: o sucesso mercadológico das autobiografias. In M. L. Bastos (Org.), Narrativas digitais, memórias e guarda (p. 232). Curitiba: Editora CRV.

Lipovetsky, G. (2005). A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporaneo. Barueri, SP: Manole.

Lipovetsky, G., & Serroy, J. (2015). A estetização do mundo: Viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras.

Llosa, M. V. (2013). A civilização do espetáculo: uma radiografia do nosso tempo e da nossa cultura. Rio de Janeiro: Objetiva.

Martins, R. M. (2014). Narrativas (auto)biográficas na formação de educadores: uma experiencia em ambiente virtual. In M. L. Oswald, D. R. Couto Junior, & K. Worcman, Narrativas digitais, memórias e guarda (p. 323). Curitiba: Editora CRV.

Oliveira, B. L. (2014). Blogs: constituição de si e memória do presente - nova forma de labor literário. In M. L. Oswald, D. R. Couto Junior, K. Worcman, & R. Moura (Ed.), Narrativas digitais, memórias e guarda (1ª ed., p. 232). Curitiba: Editora CRV.

Severiano, M. D. (2001). Narcisismo e publicidade: uma análise psicossocial dos ideais. São Paulo: Annablume.

Severiano, M. D., & Etramiana, J. (2006). Consumo, narcisimo e identidade contemporaneas: uma análise psicossocial. Rio de Janeiro: EDUERJ - Edit. da Univ. do Est. do Rio - UERJ.

Sibilia, P. (2008). O show do eu - a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Sibilia, P. (2014). Autenticidade e Performance: a construção de si como personagem visível. In M. L. Oswald, D. R. Couto Junior, & K. Worcman, Narrativas digitais, memórias e guarda (p. 232). Curitiba: Editora CRV.

Sibilia, P. (2015). O homem pós-orgânico: a alquimia dos corpos e das almas à luz das tecnologias digitais. Rio de Janeiro: Contraponto.

Silveira, B. R. (2014). Blogando doenças crônicas: compartilhando vidas e dores. In M. L. Oswald, D. R. Couto Junior, K. Worcman, & R. Moura (Ed.), Narrativas digitais, memórias e guarda (1ª ed., p. 232). Curitiba: Editora CRV.

Simões, R. F. (2014). Memórias digitais: escritas sobre a vida escolar em redes sociais. In M. L. Oswald, D. R. Couto Junior, & K. Worcman, Narrativas digitais, memórias e guarda (p. 232). Curitiba: Editora CRV.

Souza, C. P. (2014) A videobiografia como dispositivo de pesquisa-ação-formação: uma prática educativa com adolescentes abrigados. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, Brasil.

Worcman, K. (2014). Narrativas digitais: eu, nós e quem mais? A relação entre historias de vida e museus digitais. In M. L. Oswald, D. R. Couto Junior, & K. Worcman, Narrativas digitais, memórias e guarda (p. 232). Curitiba: Editor CRV.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.