Representações sociais das campanhas de doação de órgãos na mídia digital no Brasil.

Resumo

O número de transplante de órgãos no Brasil aumentou em 15,7% no primeiro semestre de 2017, se comparado com o mesmo período do ano passado. No entanto, especialistas acreditam que o índice poderia ser mais satisfatório se a população tivesse mais acesso à informação sobre as doações de órgãos. Com isso, este estudo descritivo das campanhas sobre a doação de órgãos buscou alcançar as representações sociais atribuídas ao tema. Foram analisadas campanhas veiculadas aos sites oficiais da saúde, através de uma análise de conteúdo e avaliação entre juízes. A partir disso, foram encontradas 22 campanhas impressas e 18 vídeos disponíveis para acesso no período de 2015 a 2017. Os principais achados demonstram que os conteúdos das campanhas remetiam a categoria de sensibilização emotiva, no entanto o mesmo não foi considerado informativo. Além disso, a apresentação em metáforas exigia do receptor uma aproximação anterior com o tema para sua melhor compreensão.

Biografia do Autor

Dnyelle Souza Silva, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Psicologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina

Andréa Barbará da Silva Bousfield, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora adjunta do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina.

Publicado
2020-07-01
Como Citar
Souza Silva, D., Becker da Silva, M. L., & Barbará da Silva Bousfield, A. (2020). Representações sociais das campanhas de doação de órgãos na mídia digital no Brasil. Revista De Psicologia, 11(2), 38 - 48. https://doi.org/10.36517/10.36517/revpsiufc.11.2.2020.4