Adolescência e qualidade de vida em São Paulo

  • Miria Benincasa Universidade de São Paulo
  • Eda Marconi Custodio Universidade de São Paulo
Palavras-chave: adolescência, qualidade de vida, WHOQOL-100, avaliação

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade de vida em adolescentes matriculados no Ensino Médio do Município de São Paulo buscando fornecer subsídios para políticas públicas e privadas visando à melhoria da qualidade de vida desta população. Método. Para avaliar uma amostra representativa de 2434 estudantes do Ensino Médio do município de São Paulo utilizou-se um questionário para avaliação de classe econômica (ABEP, 2007) e o questionário de qualidade de vida WHOQOL-100. Resultados. Observou-se que vários aspectos influenciam na qualidade de vida desta população. Os estudantes do gênero masculino declararam qualidade de vida mais alta do que as do gênero feminino. Da mesma forma, os adolescentes mais novos tenderam a relatar melhor qualidade de vida que os mais velhos. Os representantes das classes sócio-econômicas mais altas também apresentaram melhor qualidade de vida. Conclusões. Tais resultados podem contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas e privadas visando à melhoria da qualidade de vida desta população.

Biografia do Autor

Miria Benincasa, Universidade de São Paulo
Mestre em Psicologia da Saúde e Doutoranda em Psicologia
Eda Marconi Custodio, Universidade de São Paulo
Professora
Publicado
2010-07-01
Como Citar
Benincasa, M., & Custodio, E. M. (2010). Adolescência e qualidade de vida em São Paulo. Revista De Psicologia, 1(2), 23-39. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/57
Seção
Artigos