Processo de adoecimento e hospitalização em pacientes de um hospital público / Illness and hospitalization process in patients of a public hospital

Resumo

Este estudo se trata de um Trabalho de Conclusão de Residência, a partir da inserção enquanto Residente de Psicologia em um programa de Residência Multiprofissional de um hospital público do Nordeste. De modo geral, objetivou-se analisar como o processo de adoecimento e hospitalização é vivenciado por pacientes internados na clínica médica, um dos primeiros cenários de prática do referido programa de residência. Especificamente, buscou-se identificar: os aspectos emocionais do processo de adoecimento e hospitalização; as percepções dos pacientes a respeito do acompanhamento psicológico durante o período de hospitalização; e, por fim, as percepções dos pacientes acerca das contribuições do acompanhamento por uma equipe multiprofissional. Utilizou-se um roteiro de entrevista semiestruturada. Contou-se com a participação voluntária de 5 pacientes, que tiveram seus discursos gravados e analisados através da análise de conteúdo de Bardin. Para esses sujeitos, o hospital transita ora como um espaço que proporcionará alívio de sintomas e recuperação da saúde, ora como um ambiente que pode acarretar em ansiedade e angústia. A atuação em equipe de forma interprofissional e articulada é imprescindível, de modo a ampliar as possibilidades de intervenção. Portanto, os resultados provenientes do estudo podem servir de subsídios para a atuação de diversos profissionais no contexto hospitalar

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Santos Bezerra, Universidade Federal de Alagoas

Mestranda no Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Especialista em Saúde do Adulto e do Idoso (UFAL/HUPAA). Graduada em Psicologia pela UFAL.

Referências

Araújo, T. A. M., Vasconcelos, A. C. C. P., Pessoa, T. R. R. F., & Forte, F. D. S. (2017). Multiprofissionalidade e interprofissionalidade em uma residência hospitalar: o olhar de residentes e preceptores. Interface, 21(62), 601-13. DOI: 10.1590/1807-57622016.0295

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo, SP: Edições 70.

Brasil (2004). Política Nacional de Humanização. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil (2006). Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília: Ministério da Saúde. p.414

Brasil (2009). HumanizaSUS: clínica ampliada e compartilhada. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado em 03 de janeiro de 2020, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/clinica_ampliada_compartilhada.pdf.

Casanova, I. A., Batista, N. A., & Ruiz-Moreno, L. (2015). Formação para o trabalho em equipe na residência multiprofissional em saúde. ABCS Health Sciences, 40(3), 229-233. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/abcshs.v40i3.800

Chaves, J. B., Fernandes, S. C. S., & Bezerra, D. S. (2018). A ausência masculina na atenção primária à saúde: uma análise da Teoria da Ação Planejada. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 9 (3), 38-57. DOI: 10.5433/2236-6407.2018v9n3p38

Lucchesi, F., Macedo, P. C. M., & Marco, M. A. (2008). Saúde Mental na Unidade de Terapia Intensiva. Revista da SBPH, 11(1), 19-30. Recuperado em 03 de janeiro de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582008000100003&lng=pt&tlng=pt.

Moraes, R. (2003). Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência e Educação, 9(2), 191-211. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132003000200004.

Sebastiani, R. W., & Maia, E. M. C. (2005). Contribuições da Psicologia da Saúde-Hospitalar na atenção ao paciente cirúrgico. Acta Cirúrgica Brasileira [online], 20(1), 50-55. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502005000700010

Simonetti, A. (2004). Manual de Psicologia Hospitalar. São Paulo: Casa do Psicólogo. p.15.

Sousa, M. E. de, Scherer, A. D., Ramos, F. L., & Baião, V. B. U. (2015). O paciente hospitalizado à luz da teoria cognitivo-comportamental. Psicologia Hospitalar, 13(1), 19-41. Recuperado em 03 de janeiro de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-74092015000100003&lng=pt&tlng=pt.

Velasco, K., Rivas, L. A. F., & Guazina, F. M. N. (2012). Acolhimento e escuta como prática de trabalho do psicólogo no contexto hospitalar. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências Humanas, 13(2), 243-255. Recuperado em 03 de janeiro de 2020, de https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/disciplinarumCH/article/view/1741

Vieira, M. C. (2010). Atuação da Psicologia hospitalar na Medicina de Urgência e Emergência. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, 8(6), 513-519. Recuperado em 03 de janeiro de 2020, de http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2010/v8n6/a1602

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Santos Bezerra, D., & Cansanção de Siqueira, A. (2020). Processo de adoecimento e hospitalização em pacientes de um hospital público / Illness and hospitalization process in patients of a public hospital. Revista De Psicologia, 12(1), 61 - 71. https://doi.org/10.36517/revpsiufc.12.1.2021.5