Significados atribuídos ao sofrimento psíquico por parte de profissionais emergencistas

  • Hilda Coutinho Oliveira Universidade Federal do Ceará
  • Yvana Coutinho Oliveira Universidade de Fortaleza
  • Edilma Casimiro Gomes Serafim Universidade Federal do Ceará
  • Ieda Cabral Mota
  • João Jorge de Souza Neto Universidade de Fortaleza
Palavras-chave: sofrimento psíquico, psicodinâmica, emergencistas, hospital público

Resumo

Esta pesquisa tratou dos sentidos atribuídos ao sofrimento psíquico, quanto a sua configuração e estraté­gias de enfrentamento, por parte de doze profissionais que de emergência hospitalar pública localizada em Fortaleza (Ceará). Concretizou-se através do método qualitativo e da observação participante e entrevista semi-estruturada. Foram analisadas vinte e oito sessões de observação e doze entrevistas com o grupo composto por quatro médicos, quatro enfermeiros e quatro auxiliares de enfermagem. Considerou-se as expressões comportamentais e verbais dos sujeitos nas Salas de Recepção, Medicação, Parada Cardía­ca ou Respiratória, Observação I e II e Extra, que possibilitaram o destaque de questões recorrentes no âmbito plural do material, quando se buscou decifrar seus significados. O estudo do sofrimento psíquico foi feito segundo categorias previamente estabelecidas. Seus conteúdos foram compreendidos com base na Psicanálise e, mais especificamente, nas idéias dejourianas referentes à psicodinâmica do trabalho. Suas descobertas, inaplicáveis a generalizações, foram inseridas nas considerações finais: o trabalho na emergência significou altruísmo e aprendizagem; houve precariedade de recursos materiais e humanos, e riscos psicofísicos no âmbito das condições de trabalho; existiram desafios, ritualização, subordinação e conflitos no campo da organização do trabalho; o sofrimento psíquico se configurou como o conflito entre a onipotência e a vulnerabilidade; as estratégias de enfrentamento abrangeram distúrbios físicos e emo­cionais, defesas (negação, identificação, ilusão grupal), e família, lazer e religião.

Biografia do Autor

Hilda Coutinho Oliveira, Universidade Federal do Ceará
Doutora em Ciências Médicas, na Área de Saúde Mental pela UNICAMP e Profª Adjunto da Universidade federal do Ceará.
Yvana Coutinho Oliveira, Universidade de Fortaleza
Mestra em Psicologia e Subjetividade pela UNIFOR, Profª Adjunto da UNIFOR e Terapeuta Ocupacional.
Edilma Casimiro Gomes Serafim, Universidade Federal do Ceará
Mestranda em Saúde Pública pela UFC e Enfermeira
Ieda Cabral Mota
Especialista em Planejamento e Gestão de Políticas Públicas na Saúde pela Universidade Estadual do Ceará e Assistente Social.
João Jorge de Souza Neto, Universidade de Fortaleza
Aluno do Curso de Terapia Ocupacional da UNIFOR
Publicado
2010-07-01
Como Citar
Oliveira, H. C., Oliveira, Y. C., Serafim, E. C. G., Mota, I. C., & Neto, J. J. de S. (2010). Significados atribuídos ao sofrimento psíquico por parte de profissionais emergencistas. Revista De Psicologia, 1(2), 140-150. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/64
Seção
Artigos