O corpo sem morada: a doença psicossomática como expressão do desfundamento da pessoa humana na sociedade contemporânea

  • Maria Vitória Mamede Maia
  • Nadja Nara Barbosa Pinheiro Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: psicossomática, contemporaneidade, desenvolvimento emocional, corporeidade, Winnicott, Bauman.

Resumo

O texto pretende promover uma reflexão sobre as possibilidades encontradas, na contemporaneidade, para que o corpo possa vir a se constituir como expressividade do Ser. Para tal problematiza as relações estabelecidas entre a corporeidade e o cenário fluido da contemporaneidade. Inicia-se a partir das contribuições de Bauman no deslindamento das condições categoriais que definem o atual espaço histórico-social como sendo organizado pelas vertentes do tempo fluido, dos laços sociais frágeis, da individualidade e do hedonismo massificantes, que comportam uma inserção corporal fragmentada e sem referenciais coletivos. As implicações desse cenário sobre a vivência corporal são tematizadas tomando como articulador principal a perspectiva winnicottiana sobre o desenvolvimento emocional do Ser humano para nos indagarmos quais seriam as possibilidades encontradas pelo Corpo de vir a se constituir como um lugar de morada para o Self, fundando o abrigo necessário para nossa sobrevivência psicossomática.

Biografia do Autor

Maria Vitória Mamede Maia
Doutora em Psicologia Clínica (PUC-Rio), Mestre em Literatura Brasileira (PUC-Rio), Psicóloga clínica, Psicopedagoga clínica CEPERJ, Professora da Pós-Graduação do ensino a distância da PUC-Rio - CCEAD, Professora do curso de especialização em Psicopedagogia - CEPRJ, Pesquisadora do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social (LIPIS/PUC-RJ).
Nadja Nara Barbosa Pinheiro, Universidade Federal do Paraná
Psicóloga, Psicanalista, Mestre em Psicologia (UFRJ), Doutora em Psicologia (Puc-Rio), Professora Adjunto do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Paraná, Pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre o Desenvolvimento Humano (NEDHU-UFPR) e do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social (LIPIS/PUC-RJ).
Publicado
2010-07-01
Como Citar
Maia, M. V. M., & Pinheiro, N. N. B. (2010). O corpo sem morada: a doença psicossomática como expressão do desfundamento da pessoa humana na sociedade contemporânea. Revista De Psicologia, 1(2), 177-187. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/67
Seção
Artigos