Notas psicanalíticas acerca das arquiteturas do infamiliar na literatura fantástica // Psychoanalytic notes on the architectures of the uncanny in fantastic literature

Palavras-chave: infamiliar, literatura fantástica, leitor implícito, fantasia, construção.

Resumo

Defende-se que a literatura fantástica constitui um material valioso de pesquisa para o psicanalista, haja vista que ela está comprometida em evocar no leitor o sentimento do infamiliar (Unheimliche), entendido como a manifestação episódica de um conteúdo atávico do psiquismo que se encontrava até então em estado latente, acarretando a regressão ao narcisismo primário e a dissolução temporária e localizada das fronteiras do Eu. Propõe-se a expressão arquiteturas do infamiliar para designar a conjuntura estético-literária que caracteriza esse projeto narrativo. Para evidenciar a especificidade dos recursos textuais que favorecem esse arranjo, sua sintaxe é contraposta à dos chistes. Então, por meio da referência às concepções de anamorfose, leitor implícito, fantasia e construção, busca-se esclarecer os mecanismos psíquicos relacionados à leitura e à criação dos textos fantásticos, sublinhando o caráter volátil e mutante de suas temáticas e estratégias e a sua íntima relação com a cultura e o social. Pontua-se que o estudo desses artifícios literários podem trazer contribuições significativas para o entendimento das vicissitudes da fantasia e da delimitação dos limites do Eu e da realidade. Ao final, comenta-se o conto O homem de areia, de E. T. A. Hoffmann, à luz da proposta apresentada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiano Chagas Rabêlo, Universidade Federal do Delta do Parnaíba

Psicanalista, professor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, Doutor em Psicologia pela
Universidade Federal do Ceará, Participante da Letra Freudiana - Escola de Psicanálise

Karla Patrícia Holanda Martins, Universidade Federal do Ceará

Psicanalista, professora nos cursos de graduação e pós-graduação em psicologia da Universidade
Federal do Ceará, Doutora em teoria Psicanalítica pela UFRJ, bolsista PQ do CNPQ.

Caciana Linhares Pereira, Universidade Federal do Ceará

Psicanalista, Professora adjunta do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Ceará,
Membro do Corpo Freudiano Escola de Psicanálise.

Reginaldo Rodrigues Dias, Universidade Federal do Delta do Parnaíba

Psicanalista, Professor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, Doutorando em Psicologia
pela Universidade Federal do Ceará, Bolsista da CAPES - PDSE

Referências

Alvarez, R. G. H. (2012). Lo fantástico e su realización em el cuento. In F. García & M. C. Batalha (Orgs.). Vertentes teóricas e ficcionais do insólito (p. 114-122). Rio de Janeiro: Editora Caetés.
Batalha, M. C. (2012). Literatura fantástica: algumas considerações teóricas. Letras & Letras, 28(2), 481-506.
Bermejo, E. G. Conversas com Cortárzar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed., 2002.
Calvino, I. (Org.). (2004). Contos fantásticos do século XIX: o fantástico visionário e o fantástico cotidiano. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
Calvino, I. (2006). Definições de territórios: o fantástico. In I. Calvino, Assunto encerrado, p. 256-258. São Paulo: Companhia das Letras.
Casares, A. B. (2013). Prólogo. In J. L. Borges, J., S. Ocampo, & A. B. Casares (Orgs). Antologia da literatura fantástica (p. 9-20). São Paulo: Cosac Naify.
Ceserani, R. (1999). Lo fantástico. Madrid: Visor.
Dunker, C. I. L. (2011). Mal-estar, sofrimento e sintoma: releitura da diagnóstica lacaniana a partir do perspectivismo animista. Tempo Social, 23 (1), 115-136. DOI: 10.1590/S0103-20702011000100006.
Eagleton, T. (1997). Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes.
Fontenele, L. B. A interpretação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2002.
Freud, S. (1997a). Die Traumdeutung. In S. Freud, Studienausgabe, Vol. II. Frankfurt a. M.: Fischer Verlag. (Originalmente publicado em 1900)
Freud, S. (1997b). Der Witz und seine Beziehung zum Unbewussten. In S. Freud, Studienausgabe, Vol. VI (p. 9-220). Frankfurt a. M.: Fischer Verlag. (Originalmente publicado em 1905)
Freud, S. (1997c). Formulierung über die zwei Prinzipien des psychischen Geschehens. In S. Freud, Studienausgabe, vol. III, (p. 13-24). Frankfurt a. M.: S. Fischer. (Originalmente publicado em 1911)
Freud, S. (1997d). Das Unheimliche. In S. Freud, Studienausgabe, vol. IV (p. 241-274). Frankfurt a. M.: Fischer Verlag, 1997. (Originalmente publicado em 1919)
Freud, S. (1997e). Konstruktionen in der Analyse. In S. Freud, Studienausgabe, Vol. Ergänzungsband (p. 393-406). Frankfurt a. M.: S. Fischer. (Originalmente publicado em 1937)
Freud, S. (1999) Eine Schwierigkeit der Psychoanalyse. In S. Freud, Gesammelte Werke (v. XII, p. 3-12). Frankfurt: a. M.: Fischer Verlag. (Originalmente publicado em 1917).
Freud, S. (2019). O Infamiliar / Das Unheimliche. Belo Horizonte: Autêntica. (Originalmente publicado em 1919)
Freud, S. (2021). O incômodo: Das Unheimliche (1919). São Paulo: Blucher. (Originalmente publicado em 1919)
Gama-Khalil, M. M. (2013). A literatura fantástica: gênero ou modo? Terra Roxa e Outras Terras - Revista de Estudos Literários, 26(2), 18-31. DOI: 10.5433/1678-2054.2013v26p18.
Hans, L. A. (1996). Dicionário comentado do alemão de Freud. Rio de Janeiro: Imago.
Hoffmann, E.T.A. (2015). Der Sandmann. In E. T. A. Hoffmann, Das Gesammelte Werke (p. 189-224). Colonia: Anaconda. (Originalmente publicado em 1816-17).
Hoffmann, E. T. A. (2016). Die Elixiere der Teufel. Munique: DTV. (Originalmente publicado em 1815-16).
Iser, W. (1984). Der Akte des Lesens. Stuttgart: W. Fink UTB.
Jackson, R. (2001). Lo “oculto” de la cultura. In D. Roas (org.), Teorias de lo Fantástico (p. 141-152). Madrid: Arco/Libros.
Jentsch, E. (1906). Psychologie des Unheimlichen. Psychiatrisch-Neurologische Wochenschrift, 22 (1), 194-198; 204-205. Recuperado de: https://d-nb.info/1138447315/34. Acesso em 08 out. 2019.
Lacan, J. (1999). O seminário - livro 5: as formações do inconsciente (1957-1958). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.
Lacan, J. (1998). O seminário - livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise (1964). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.
Lima, V. M., & Vorcaro, Â. M. R. (2017). O estranho como categoria política: psicanálise, teoria queer e as experiências de indeterminação. Psicologia em Estudo, 22 (3), 473-484. DOI: 10.4025/psicolestud.v22i3.37026.
Magtaz, A. C., & Berlinck, M. T. (2012). O caso clínico como fundamento da pesquisa em Psicopatologia Fundamental. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 15(1), 71–81. DOI: 10.1590/S1415-47142012000100006.
Masschelein, A. (2011). The unconcept: the freudian uncanny in late-twentieth-century teory. Albany: State of University of New York Press.
Rabêlo, F. C. (2021). As arquiteturas do infamiliar na literatura fantástica. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Ceará. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/59883. Acesso em 02 de fev. 2022.
Rabêlo, F. C., Martins, K. P. H., & Danziato, L. J. B. (2019). Fantástico e psicanálise: relações históricas e discursivas. Acta Scientiarum Language and Culture, 41(1), 43128. DOI: 10.4025/actascilangcult.v41i1.43128.
Rabêlo, F. C., & Martins, K. P. H. (2021). Considerações psicanalíticas sobre Os elixíres do diabo, de E. T. A. Hoffmann. Cadernos de Psicanálise, 43 (45), 171–192. Disponível em: http://www.cprj.com.br/ojs_cprj/index.php/cprj/article/view/257. Acesso em 26 jan. 2022.
Recalcati, M. (2006). Las tres estéticas de Lacan. In M. Recalcati, Las tres estéticas de Lacan: arte y psicanálisis (p. 9-36). Buenos Aires: Del crifrado.
Roas, D. (2014). A ameaça do fantástico: aproximações teóricas. São Paulo: UNESP.
Royle, N. (2003). The Uncanny. Manchester: Manchester university press.
Siruela, J. (2013). Exórdio. In J. Siruela, Antología Universal del relato fantástico (p. 15-78). Girona: Ed. Atalanta.
Tavares, B. (2007). Introdução. In B. Tavares (Org.), Freud e o Estranho: contos fantásticos do inconsciente. Rio de Janeiro: Casa da palavra.
Trias, E. (2005). O belo e o sinistro. Lisboa: Fim de século.
Todorov, T. (2012). Introdução à literatura fantástica. São Paulo: Perspectiva.
Vidler, A. (1994). The Architectural uncanny: Essays in the modern Unhomely. Cambridge: The MIT Press.
Publicado
2022-06-30
Como Citar
Chagas Rabêlo, F., Holanda Martins, K. P., Linhares Pereira, C., & Rodrigues Dias, R. (2022). Notas psicanalíticas acerca das arquiteturas do infamiliar na literatura fantástica // Psychoanalytic notes on the architectures of the uncanny in fantastic literature. Revista De Psicologia, 13(2), 41 - 54. https://doi.org/10.36517/10.36517/revpsiufc.13.2.2022.3