As aventuras de Alice no país dos intelectuais

William Melo, Jonathan Félix, Leandro Mangia, Marcelle Fraga, Guilherme Marques

Resumo


Este trabalho faz uma analogia do universo acadêmico ao país das maravilhas criado por Lewis Carrol. Para tanto, utilizamos a linguagem metafórica a fim de descrever conflitos e fragilidades existentes na realidade de muitos dos intelectuais brasileiros. O embasamento teórico desenvolvido neste artigo será composto de referências provenientes da Teoria Social Crítica e análises críticas do campo acadêmico. Tendo como inspiração epistemológica alguns trabalhos oriundos deste campo de conhecimento, nossa proposta se estabelecerá na interface entre a realidade e a fantasia, estabelecendo ligações lógicas com os conceitos trabalhados por autores como: Bourdieu, Gramsci, Adorno, Marx, Weber, Durkheim, entre outros. O objetivo principal deste artigo é o de repensar o espaço acadêmico na contemporaneidade. Para tanto, advogaremos que a tarefa básica da teoria prática educacional é a de facilitar o homem a refletir sobre a realidade que o condiciona, facilitando assim sua emancipação. Tal proposta visa confrontar-se com a visão de alguns autores que defendem que a emancipação se dará anteriormente pelo esclarecimento das massas e não pelo autoconhecimento.

Palavras-chave


Campo acadêmico; linguagem metafórica; intelectuais brasileiros, contemporaneidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

      

        

CNENlogo_livre2.png      ResearchBib      

    

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.