Relação entre fração de ejeção cardíaca e pressão arterial em pacientes coronariopatas

Nila Larisse Silva de Albuquerque, Andressa Suelly Saturnino de Oliveira, Jacqueline Mota da Silva, Aline de Aquino de Almeida Peres, Thelma Leite de Araujo

Resumo


Objetivo: analisar a existência de relação entre fração de ejeção cardíaca durante a internação com valores da pressão arterial obtidos antes e durante a internação em pacientes hospitalizados por doença coronariana. Métodos: estudo correlacional, com 303 pacientes coronariopatas. Os dados sociodemográficos foram obtidos por meio de entrevista e os parâmetros clínicos consultados no prontuário. Resultados: dos participantes com pressão arterial sistólica baixa, 54,0% possuíam fração de ejeção cardíaca diminuída, evidenciando-se associação (p<0,001). A pressão sistólica durante a hospitalização não esteve associada à fração de ejeção cardíaca (p=0,060). Durante a internação, a pressão arterial diastólica e a fração de ejeção cardíaca mostraram associação estatística significativa (p<0,001) diretamente proporcional no sexo feminino. Conclusão: pressão arterial sistólica inferior a 120mmHg está associada à fração de ejeção cardíaca reduzida em coronariopatas. Houve relação entre aumento da pressão arterial diastólica e elevação da fração de ejeção do ventrículo esquerdo em mulheres com doença coronariana.

Palavras-chave


Doença das Coronárias; Doenças Cardiovasculares; Pressão Arterial; Volume Sistólico; Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa