Tendência de indicadores epidemiológicos da hanseníase em um estado endêmico

Kleane Maria da Fonseca Azevedo Araújo, Heloisy Alves de Medeiros Leano, Rayssa Nogueira Rodrigues, Isabela de Caux Bueno, Francisco Carlos Félix Lana

Abstract


Objetivo: analisar a tendência de indicadores epidemiológicos da hanseníase em um estado endêmico. Métodos: estudo ecológico de tendência temporal. Os dados foram retirados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação e a análise realizada por regressão linear generalizada pelo método de Prais Winsten. Resultados: foram analisados 12.134 casos novos de hanseníase. Observou-se tendência decrescente para taxa de detecção geral de -4,8% e para taxa de detecção em menores de 15 anos de -6,7%. A proporção de casos novos de hanseníase com grau 2 de incapacidade física no diagnóstico apresentou tendência estacionária de 2,7%. Ressalta-se que a tendência dos indicadores de hanseníase é heterogênea entre as macrorregiões de saúde. Conclusão: a incidência da hanseníase apresentou-se em decréscimo na população geral, em menores de 15 anos e estabilidade na proporção de grau 2 de incapacidade. Embora apresente declínio, evidencia-se que diagnósticos ocorrem tardiamente e a transmissão permanece ativa.

Keywords


Hanseníase; Epidemiologia; Atenção Primária à Saúde.



DOI: http://dx.doi.org/10.15253/rev%20rene.v18i6.31088

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


SciELO - Scientific Electronic Library OnlineResultado de imagem para Rede Iberoamericana de Editoração Científica em Enfermagem