Desafios atuais na formação do enfermeiro: o olhar dos docentes

Palavras-chave: Currículo; Docentes; Educação em Enfermagem.

Resumo

Objetivo: compreender a visão de docentes de cursos de enfermagem sobre os desafios enfrentados no processo de reconstrução curricular. Métodos: pesquisa qualitativa com 21 docentes enfermeiros de seis Instituições de Ensino Superior. A análise dos dados fez-se pela técnica da hermêutica e dialética. Resultados: ocorrem dificuldades na reorganização curricular em relação à capacitação docente conforme as novas exigências sociais e à falta de integração das diferentes áreas do conhecimento. Há ainda, agravantes, como as lacunas de conhecimento do ensino médio, o distanciamento entre formação e mundo do trabalho e o desinteresse em ser enfermeiro. Conclusão: na visão dos docentes há movimento positivo para organização curricular, embora destacados desafios para a formação do enfermeiro, como falta de capacitação dos docentes para o enfrentamento de propostas inovadoras, distanciamento entre o mundo do trabalho e o processo de formação, pouca valorização social da profissão e baixa qualidade do ensino fundamental e médio brasileiro.

Referências

Pava AM, Neves EB. A arte de ensinar enfermagem: uma história de sucesso. Rev Bras Enferm. 2011; 64(1):145-51. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672011000100021

Silveira CA, Paiva SMA. A evolução do ensino de enfermagem no Brasil: uma revisão histórica. Ciênc Cuid Saúde. 2011; 10(1):186-93. doi: http://dx.doi.org/104025/cienccuidadsaude.v10i1.6967

Santos SSC. Currículos de enfermagem do Brasil e as diretrizes: novas perspectivas. Rev Bras Enferm. 2003; 56(4):361-4. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672003000400009

Galleguillos TGB, Campos OMA. A gênese e o desenvolvimento histórico do ensino de enfermagem no Brasil. Rev Esc Enferm USP. 2001; 35(1):80-7. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342001000100013

Associação Brasileira de Enfermagem. Carta de Maceió para a educação em enfermagem no Brasil. Rev Bras Enferm. 2014; 67(4):646-8. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2014670422

Teixeira E. Em tempos de novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para o curso de graduação em enfermagem. Rev Enferm UFSM [Internet]. 2017 [citado 2017 set. 25];7(2):iii-iv. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/28859/pdf

Mesquita SKC, Meneses RMV, Ramos DKR. Metodologias ativas de ensino/aprendizagem: dificuldades de docentes de um curso de enfermagem. Trab Educ Saúde. 2016; 14(2):473-86. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sip00114

Minayo MCS. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Rev Pesqui Qual [Internet]. 2017 [citado 2018 jan. 7]; 5(7):1-12. Disponível em: http://rpq.revista.sepq.org.br/index.php/rpq/article/view/82/59

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec; 2013.

Peixoto NMSM, Peixoto TASM. Prática reflexiva em estudantes de enfermagem em ensino clínico. Rev Enf Refer. 2016; 4(11):121-32. doi: http://dx.doi.org/10.12707/RIV16030

Tonhom SFR, Costa MCG, Hamamoto CG, Francisco AM, Moreira HM, Gomes R. Competency-based training in nursing: limits and possibilities. Rev Esc Enferm USP. 2014; 48(esp.2):213-20. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000800031

Lemos CLS. Educação Permanente em Saúde no Brasil: educação ou gerenciamento permanente? Ciênc Saúde Coletiva. 2016; 21(3):913-22. doi:10.1590/1413-81232015213.08182015

Miccas FL, Batista SHSS. Permanent education in health: a review. Rev Saúde Pública. 2014; 48(1):170-85. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048004498

Fernandes JD, Silva RMO, Teixeira GA, Florencio RMS, Silva LS, Rebouças LCC. Aderência de cursos de graduação em enfermagem às diretrizes curriculares nacionais na perspectiva do Sistema Único de Saúde. Esc Anna Nery. 2013; 17(1):82-9. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452013000100012

Trevisan DD, Minzon DT, Testi CV, Ramos NA, Carmona EV, Silva EM. Education of nurses: detachment between undergraduation courses and professional practices. Ciênc Cuid Saúde. 2013; 12(2):331-7. doi: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v12i2.19643

Winters JRF, Prado ML, Heidemann ITSB. Nursing education oriented to the principles of the Unified Health System: perception of graduates. Esc Anna Nery. 2016; 20(2):248-53. doi: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160033

Diogo MF, Raymundo LS, Wilhelm FA, Andrade SPC, Lorenzo FM, Rost FT, et al. The concepts of course coordinators about the dropout, academic failure rates and about intervention strategies. Avaliação (Campinas). 2016; 21(1):125-51. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772016000100007

Reis GA, Duarte ABS. Leitura e letramento informacional na universidade: um hiato, um construto fragmentado ou um dilema? Inf Inf. 2017; 22(3):136-57. doi: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2017v22n3p13619

Silva MAB, Azevedo C. Letramento: processos educacionais no contexto social e político. Rev Iberoam Estud Educ. 2017; 12(4):2138-54. doi: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n4

Teixeira E, Fernandes JD, Andrade AC, Silva KL, Rocha MEMO, Lima RJO. Panorama dos cursos de Graduação em Enfermagem no Brasil na década das Diretrizes Curriculares Nacionais. Rev Bras Enferm. 2013; 66(esp):102-10. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672013000700014

Publicado
2018-03-07
Seção
Artigos de Pesquisa