Fatores de risco para morte em pacientes com sepse em uma unidade de terapia intensiva

Patricia Rezende do Prado, Natasha Varjão Volpáti, Fernanda Raphael Escobar Gimenes, Elisabeth Atila, Luís Eduardo Maggi, Thatiana Lameira Maciel Amaral

Resumo


Objetivo: determinar os principais fatores de risco para a morte em pacientes com sepse em uma unidade de terapia intensiva. Métodos: trata-se de uma coorte retrospectiva, onde foram incluídos 124 prontuários de pacientes que tiveram diagnóstico clínico e laboratorial de sepse. A probabilidade condicional de morte foi calculada através do método de Kaplan-Meier; o risco de morte foi estimado pela razão de risco, utilizando modelo de regressão de Cox com p<0,050. Resultados: o foco principal da infecção foi o sistema respiratório. Em relação ao desfecho, morreram 40,3% pacientes com sepse, 73,9% com sepse grave e 69,2% com choque séptico. Os pacientes com sepse abdominal e que utilizaram vasopressores apresentaram maior risco de morte. Conclusão: pacientes sépticos com fonte abdominal de infecção e fazendo uso de agentes vasopressores apresentaram maior risco de morte, enquanto que pacientes traqueostomizados tiveram melhores chances de sobreviver.

Palavras-chave


Unidades de Terapia Intensiva; Sepse; Fatores de Risco; Morte; Cuidados de Enfermagem.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.2018193231

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa