Mudanças no cotidiano de pessoas com lesão medular

Aline Gabriela Bega Ruiz, Mayckel da Silva Barreto, Thamires Fernandes Cardoso da Silva Rodrigues, Jussara Simone Lenzi Pupulim, Maria das Neves Decesaro, Sonia Silva Marcon

Resumo


Objetivo: apreender as mudanças ocorridas no cotidiano de pessoas com lesão medular. Métodos: estudo de natureza qualitativa, ancorado no Interacionismo Simbólico. Participaram do estudo 23 pessoas com lesão medular, selecionadas intencionalmente, a partir da Estratégia Saúde da Família e de uma Associação Paradesportiva. Dados coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, as quais foram gravadas, transcritas na íntegra, organizadas no software IRAMUTEQ, e, posteriormente, submetidas à análise de conteúdo, modalidade temática. Resultados: emergiram duas categorias temáticas, as quais mostram a vivência de sentimentos de incapacidade, dependência e impotência; dificuldades de adaptação social, familiar e na área sexual, além do surgimento de dores, espasmos musculares, lesões por pressão e infecções do trato urinário. Conclusão: as mudanças experienciadas no âmbito emocional, fisiológico e interacional são complexas e significativas, porém, com o passar do tempo, ocorre apropriação da cadeira, adaptação social e superação.

Palavras-chave


Traumatismos da Medula Espinal; Cadeiras de Rodas; Pessoas com Deficiência.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.20181932386

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa