Sífilis em mulheres egressas do sistema prisional: prevalência e fatores associados

Palavras-chave: Prisões; Doenças Sexualmente Transmissíveis; Treponema pallidum.

Resumo

Objetivo: investigar a prevalência de sífilis e seus fatores associados em mulheres egressas do sistema prisional. Métodos: estudo transversal realizado com 56 mulheres cumprindo pena em regime aberto e semiaberto em Centro de Reeducação Feminina. Os dados foram coletados utilizando-se formulário contendo características sociodemográficas e práticas sexuais, bem como realizado teste rápido para sífilis. Procedeu-se análise descritiva, prevalência, teste qui-quadrado e teste exato de Fisher. Resultados: a sífilis foi prevalente em 16,1% da amostra. Constatou-se maior prevalência em mulheres com mais de 35 anos (21,7%), cor branca (33,3%), casadas/união estável (21,4%), nível de escolaridade elevado (27,3%), evangélicas (33,3%), sem vida sexual ativa (20,0%), com múltiplos parceiros (16,7%), que relatavam usar preservativos com parceiros fixos (33,3%) e eventuais (28,0%), e que usavam drogas ilícitas (20,0%). Conclusão: os achados apontam para importância da utilização de métodos de rastreio da infecção e evidenciam a necessidade de estratégias preventivas que considerem especificidades contextuais.

Referências

Luppi CG, Gomes SEC, Silva RJC, Ueno AM, Santos AMK, Tayra A, et al. Factors associated with HIV co-infection in cases of acquired syphilis reported in a Reference Center for Sexually Transmitted Diseases and AIDS in the municipality of São Paulo, Brazil, 2014. Epidemiol Serv Saúde. 2018; 27(1):e20171678. doi: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742018000100008

Albuquerque ACC, Silva DM, Rabelo DCC, Lucena WAT, Lima PCS, Coelho MRCD, et al. Soroprevalência e fatores associados ao Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e sífilis em presidiários do Estado de Pernambuco, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2014; 19(7):2125-32. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014197.08602013

Araújo TME, Araújo Filho ACA, Feitosa KVA. Syphilis prevalence among women in the prison system of a northeastern Brazilian capital. Rev Eletr Enf. 2015; 17(4):1-10. doi: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v17i4.28898

Matos MA, Caetano KAA, França DDS, Pinheiro RS, Moraes LC, Teles AS. Vulnerability to Sexually Transmitted Infections in women who sell sex on the route of prostitution and sex tourism in Central Brazil. Rev Latino-Am Enfermagem. 2013; 21(4):906-12. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692013000400011

Macêdo VC, Lira PIC, Frias PG, Romaguera LMD, Caires SFF, Ximenes RAA. Risk factors for syphilis in women: case-control study. Rev Saúde Pública. 2017; 51:78. doi: http://dx.doi.org/10.11606/s1518-8787.2017051007066

Alves MJH, Pereira EV, Belém JM, Quirino GS, Maia ER, Alencar AMPG. Factors of risk in sexual and reproductive health of women prisoners: integrative review. Rev Baiana Enferm [Internet]. 2017 [cited 2018 Apr. 13]; 31(1): e16241. Available from:https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/viewFile/16241/14149

Trigueiro DRSG, Almeida SA, Monroe AA, Costa GPO, Bezerra VP, Nogueira JA. AIDS and jail: social representations of women in freedom deprivation situations. Rev Esc Enferm USP. 2016; 50(4):554-61. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000500003

Barros MAR, Penha JC, Galiza DDF. The relationship of socio-economic, sexual and reproductive conditioners concerning the use of a contraceptive method of prison inmates. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2016 [cited 2018 Apr. 13]; 10(12):4599-605. Available from: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11528

Lopes AOS, Oliveira CCS. Saúde da mulher em situação de prisão: direitos sexuais e reprodutivos. Rev Saúde Com [Internet]. 2014 [citado 2018 abr. 13]; 10(4):392-408. Disponível em: http://www.uesb.br/revista/Rsc/ojs/index.php/rsc/article/view/248

World Health Organization. Global health sector strategy on sexually transmitted infections 2016 –2021. Geneva: WHO; 2016.

Ministério da Justiça (BR). Política Nacional de Atenção às Mulheres em Situação de Privação de Liberdade e Egressas do Sistema Prisional. Brasília: Ministério da Justiça; 2014.

Ministério da Justiça (BR). Departamento Penitenciário Nacional. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias – Infopen Mulheres, junho de 2014. Brasília: Ministério da Justiça; 2014.

Reis RK, Melo ES, Gir E. Factors associated with inconsistent condom use among people living with HIV/Aids. Rev Bras Enferm. 2016; 69(1):47-53. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690106i

Nascimento EGC, Cavalcanti MAF, Alchier JC. Adesão ao uso da camisinha: a realidade comportamental no interior do nordeste do Brasil. Rev Salud Pública. 2017; 19(1):39-44. doi: http://dx.doi.org/10.15446/rsap.v19n1.44544

Coutinho RZ, Miranda-Ribeiro P. Religião, religiosidade e iniciação sexual na adolescência e juventude: lições de uma revisão bibliográfica sistemática de mais de meio século de pesquisas. Rev Bras Est Pop. 2014; 31(2):333-65. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-30982014000200006

Rocha GM, Kerr LRFS, Brito AM, Dourado I, Guimaraes MDC. Unprotected receptive anal intercourse among men who have sex with men in Brazil. AIDS Behav. 2013; 17(4):1288-95. doi: http://dx.doi.org/10.1007/s10461-012-0398-4

Dourado I, MacCarthy S, Reddy M, Calazans G, Gruskin S. Revisiting the use of condoms in Brazil. Rev Bras Epidemiol. 2015; 18(1):63-88. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4503201500050006

Gonçalves H, Machado EC, Soares ALG, Camargo-Figuera FA, Seerig LM, Mesenburg MA, et al. Sexual initiation among adolescents (10 to 14 years old) and health behaviors. Rev Bras Epidemiol. 2015; 18(1):25-41. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201500010003

Sasaki RSA, Leles CR, Malta DC, Sardinha LMV, Freire MCM. Prevalência de relação sexual e fatores associados em adolescentes escolares de Goiânia, Goiás, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2015; 20(1):95-104. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014201.06332014

Publicado
2018-06-07
Seção
Artigos de Pesquisa