Inteligência emocional: fatores influenciadores e impacto nos enfermeiros em cuidados intensivos

Rúben Miguel Câmara Encarnação, Eduardo Manuel da Cunha Soares, António Luís Rodrigues Faria de Carvalho

Resumo


Objetivo: analisar as evidências sobre os fatores que influenciam a inteligência emocional dos enfermeiros de cuidados intensivos. Métodos: revisão sistemática da literatura. Recorreu-se às bases de dados CINAHL Complete, Academic Search Complete, MedicLatina, Psychology and Behavioral Sciences Collection, MedLine with Full Text (via EBSCO HOST), MedLine Complete (via PubMed), SCOPUS e outras fontes como Google Scholar, sites de registro de ensaios clínicos e busca manual-referências cruzadas. Foram encontrados 1.307 artigos publicados até abril de 2018, sendo incluídos nove. Resultados: os fatores que influenciaram a inteligência emocional dos enfermeiros foram a idade, sexo, experiência emocional, formação e personalidade; e o impacto da inteligência emocional traduziu-se a nível pessoal, profissional e no cuidar. Conclusão: a prática de enfermagem em unidades de cuidados intensivos é influenciada pela inteligência emocional do enfermeiro. Esta inteligência é afetada por diversos fatores e, por ser apreendida, deve ser estimulada em contextos formativos.


Palavras-chave


Inteligência Emocional; Cuidados Críticos; Enfermagem.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.20181933229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa