Medidas preventivas de infecção relacionada ao cateter venoso periférico: adesão em terapia intensiva

Vinícius Encenha Lanza, Amanda Paola Perucci Alves, Ana Maria Silva Camargo, Pâmella Cacciari, Diego Santiago Montandon, Simone de Godoy

Resumo


Objetivo: analisar a adesão dos profissionais de enfermagem às medidas de prevenção de infecção por cateter venoso periférico. Métodos: estudo transversal, realizado em Unidade de Terapia Intensiva adulto, com 47 profissionais de enfermagem. Resultados: identificaram-se medidas estatisticamente relevantes para adesão à prevenção de infecções, como dupla checagem dos fármacos, verificação de medicamento antes de administrar, certificação de alergia em pacientes antes da administração, separação do material antes do procedimento, tempo de permanência do cateter inferior a 72 horas, troca da fixação em 24 horas, ações relacionadas ao manuseio das portas de injeção e conectores e salinização do acesso após administrar soluções pelo cateter. Verificou-se que essas medidas ainda não foram completamente adicionadas nas rotinas profissionais dos sujeitos da pesquisa, a despeito de terem afirmado conhecê-las (97,9%) e contribuir com ações preventivas (100,0%). Conclusão: os profissionais de enfermagem investigados apresentaram baixa adesão às medidas preventivas de infecção nos cateteres venosos periféricos.

Palavras-chave


Infecções Relacionadas a Cateter; Qualidade da Assistência à Saúde; Infecção Hospitalar; Cateterismo Periférico; Unidades de Terapia Intensiva.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.20192040715

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

Marca ABEC Completa