R.A.I.O – um espaço virtual para a construção colaborativa do cuidado em saúde no processo de adoecer por câncer.

Resumo

Introdução e objetivo: Este estudo objetiva compreender o processo de construção colaborativa de um espaço virtual para a expressão de emoções e sentimentos, produção de cuidado integrado, interação social e criação de uma rede de apoio/suporte à pessoa com diagnóstico de câncer. Na atualidade, tem-se observado que as redes sociais e a internet são utilizadas como ferramentas para o suporte e melhoria da qualidade de vida das pessoas em situação de adoecimento, em um movimento de ressignificação deste processo.  Método: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, transversal, a partir da pesquisa-ação, realizada junto aos profissionais e usuários de um serviço especializado em Oncologia, por meio da utilização da internet. Resultados: A criação e produção colaborativa de um site temático sobre o câncer facilitou o acesso à informação qualificada, assim como a revisão da relação terapêutica entre profissionais e usuários da unidade de oncologia, cenário da pesquisa. Também contribuiu para a expressão da relevância do tema religiosidade/espiritualidade no processo de adoecer por câncer. Conclusão: Acredita-se que promover espaços de socialização e produção de vida, ainda que no mundo virtual, tende a contribuir para agregar benefícios para a melhoria da sistematização da atenção em saúde. Além disso, promove-se autocuidado, empoderamento e autogestão em saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuri Hamirani Gonçalves da Silva, Universidade Federal do Triangulo Mineiro - UFTM

Graduando de terapia ocupacional na Universidade Federal do Triangulo Mineiro - UFTM.

Heloísa Cristina Figueiredo Frizzo, Departamento de Terapia Ocupacional - Universidade Federal do Triângulo Mineiro/UFTM

Possui graduação em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos (1995), Mestrado em Ciências Médica/Saúde Mental pela Universidade de São Paulo e Doutorado em Ciências pelo Programa Interunidades em Enfermagem/Universidade de São Paulo. Possui Pós-Doutorado pelo Programa de Pós Graduação em Ciências, Tecnologia e Sociedade (CTS) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e atuou como Investigador Visitante (2017) no Instituto do Envelhecimento/Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa/UL/Lisboa/Portugal. Atualmente, é professora adjunta da Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

Referências

- ABERS, R, BULOW, M. V. Movimentos sociais na teoria e na prática: como estudar o ativismo através da fronteira entre Estado e sociedade? Sociologias, Porto Alegre, ano 13, no 28, set./dez. 2011, p. 52-84

- ANDRADE, G. R. B., VAITSMAN, J. Apoio social e redes: conectando solidariedade e saúde. Ciênc. saúde coletiva. vol.7, n.4, pp.925-934. 2002.

- CASTELLS, M. A sociedade em rede. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

- COHEN, S. Social relationships and health. American Psychologist. November, 2004

- DOMINGUES, D. F, DESSEN, M. A. Reorganização familiar e rede social de apoio pós-homicídio juvenil. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Vol. 29 n. 2, pp. 141-148, Abr-Jun 2013.

- FERREIRA, G. C. Redes sociais de informação: uma história e um estudo de caso. Perspectivas em Ciência da Informação, v.16, n.3, p.208-231, 2011.

- FREITAS M.C, MENDES M.M.R. Condição crônica: análise do conceito no contexto da saúde do adulto. Rev Latino-am Enfermagem, V.15.4, jul/ago. 2007.

- GIANINI, M. M. S. Câncer e gênero: enfrentamento da doença. 2007. Dissertação de mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

- LÉVY, P. As tecnologias da inteligência. São Paulo: Editora 34, 1999.

- Lima T. O, Borges G. C. Avaliação da qualidade de vida em pacientes com câncer assistidos pelo centro de tratamento de câncer de Dourados. Interbio. 2009.

- Ministério da Saúde-MS. Consenso Nacional de Nutrição Oncológica – Instituto Nacional de Câncer. Rio de Janeiro, RJ: MS, 2009.

- NICOLUSSI, A.C; SAWADA N. O. Fatores que influenciam a qualidade de vida de pacientes com Câncer de cólon e reto. Acta Paul Enferm. V. 23/1. p.125-30, 2010.

- OREM, D. E. Nursing: comcepts of practice. 6ª ed, Mosby, 2001

- PERUZZO, C.M.K. Da observação participante à pesquisa-ação em comunicação: pressupostos epistemológicos e metodológicos. INTERCOM – sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da comunicação [s.n], 2003.

- SILVA, A.; FERREIRA, M. Gestão do conhecimento e capital social: as redes e sua importância para as empresas. Informação & Informação, Londrina, v. 12, n. esp., 2007.

- STOLAGLI, V. P; EVANGELISTA, M. R. B; CAMARGO, O. P. Implicações sociais enfrentadas pelas famílias que possuem pacientes com sarcoma ósseo. Acto Ortop. Bras, v.16, n. 4, p.242-246, 2008.

- WEN, C. L. Telemedicina e telessaúde: inovação e sustentabilidade. 50° congresso científico do HUPE, 2012. Disponível em: < http://www.telessaude.uerj.br/goldbook/artigos_busca/> acessado em: 2 de março de 2019

- World Health Organization. Constitution of the World Health Organization. Basic Documents [on line]. 45ª edition. Genebra: 2006. acessado em 13 out. 2017]. Disponível em: <http://www.who.int/governance/eb/who_constitution_en.pdf.>

- Yalom I. D, Leszcz M. Psicoterapia de grupo: teoria e pratica. Porto Alegre: Artmed; 2006.

- LINK1-disponível em:<http://www2.ebserh.gov.br/web/hc-uftm/oncologia-e-hematologia>. Acessado em: 2 de março de 2019.

- THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1947.

- LOPES, A. A. F. Cuidados e empoderamento: a construção do sujeito responsável por sua saúde na experiência do diabetes. Saúde Soc. São Paulo, v.24, n.2, p.486-500, 2015

- PUCHALSKI, Christina M. The hole of spirituality in health care. BUMC Proceedings, Waco, v. 14, n. 4, p. 352-357, 2001.

- PESSINI, L. A Espiritualidade interpretada pelas ciências e pela saúde. O Mundo da Saúde, 2007.

- GIOVANETTI, J. Psicologia existencial e espiritualidade. Psicologia e espiritualidade, ed paulus, São Paulo, 2005.

- Oliveira, E. A., Santos, M. A. Apoio psicológico na terminalidade: ensinamentos para a vida. Psicologia em Estudo, 2010.

- MORAIS, G. B. et al. A Valia do Vínculo na Relação Equipe Multidisciplinar-Paciente Oncológico para a Continuidade do Cuidado: uma Revisão Integrativa. Revista Saúde e Ciência online, v. 7, n. 2, 2018.

Publicado
2019-08-27