Gamificação no processo de ensino-aprendizagem das hepatites virais

relato de experiência

Palavras-chave: Aprendizagem ativa, Ensino superior, Medicina, Gamificação

Resumo

Objetivo: Relatar a experiência do uso da estratégia de gamificação em uma turma do 4º período do curso de medicina de uma instituição de ensino superior pública. Método: O jogo Hepatitis Game foi aplicado na sala de aula no momento do conteúdo correspondente, hepatites virais, no Programa de Disciplina (PD) da Atividade Teórico-Laboratorial (ATL). Trinta e dois (96,9%) alunos participaram da atividade. Resultados: Durante a realização do jogo observou-se o desenvolvimento de habilidades cognitivas importantes para a construção do conhecimento, como, interação intraequipes, motivação, reflexão, criticidade e participação. Conclusão: Tal experiência contribuiu de forma ímpar para o processo de ensino-aprendizagem, pois forneceu um contexto para a construção de um sentido mais amplo e integral do conteúdo. Embora a gamificação forneça uma solução inovadora na educação, mais pesquisas são necessárias para avaliar a eficácia do método na educação médica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iukary Takenami, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutorado em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa (PgBSMI) pelo Instituto Gonçalo Moniz (IGM/Fiocruz), Professora Adjunta do curso de medicina da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), campus Paulo Afonso-BA, membro do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da UNIVASF. Integra o Grupo de Pesquisa Clínica Fiocruz em Tuberculose - Fiocruz e é vice-líder do Grupo de Pesquisa, Ensino e Cuidado em Saúde (GPECS/UNIVASF).

Maria Augusta , Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutorado em Educação em Ciências e Saúde pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Professora Adjunta do curso de medicina da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), campus Paulo Afonso-BA. Líder do Grupo de Pesquisa, Ensino e Cuidado em Saúde (GPECS/UNIVASF).

Referências

Farias PAM de; Martin ALAR Cristo CS. Aprendizagem Ativa na Educação em Saúde: Percurso Histórico e Aplicações. Rev Bras Educ Méd 2015;39(1)143–150.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução n.3, CNE/CES de 20/06/2014. Diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina. Diário Oficial da União. Brasília, 2014; (seção1) 8-11.

Silva LS, Cotta MMR, Costa GD, Campos AAO, Cotta RM, Silva LS, Cotta FM. Formação de profissionais críticos-reflexivos: o potencial das metodologias ativas de ensino-aprendizagem e avaliação na aprendizagem significativa. Rev CIDUI 2015;2:1-16.

Takenami I, Palácio MAV, Andrade W, Cansanção IF. Uso das metodologias ativas de aprendizagem em instituições de ensino médico no nordeste brasileiro. Revasf 2018; 8(17)22-38.

Farias CML, Carvalho RB. Ensino superior: a geração Y e o processo de aprendizagem. Revista Espaço Acadêmico 2016;15(179)37-43.

Dalla MDB, Moura GAG, Bergamaschi MS. Metodologias ativas: um relato de experiência de estudantes de graduação em medicina da Universidade Vila Velha na disciplina de Interação Comunitária. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade 2015; 10(34)1-6.

Carabetta Junior V. Metodologia ativa na educação médica. Revista De Medicina 2016; 95(3)113-121.

Franca Junior RR, Maknamara M. A literatura sobre metodologias ativas em educação médica no Brasil: notas para uma reflexão crítica. Trabalho, educação e saúde 2019; 17(1).

Tolomei BV. A Gamificação como Estratégia de Engajamento e Motivação na Educação. EAD em FOCO Revista Científica em Educação a Distância 2017;7(2)145–156, 2017.

Busarello R. Gamification princípios e estratégias. São Paulo: Pimenta Cultural, 2016.

Shaw GL, Ribeiro MSS. Games no ensino de ciências: desafios e possibilidades. REVASF 2014; 4(6)98-110.

Martins DM, Bottentuit Junior JB. A Gamificação no Ensino de História: O Jogo “Legend Of Zelda” Na Abordagem Sobre Medievalismo. Revista HOLOS 2016;7,299-321.

Silva EKS, Lima JPF, Ferreira ML. Descobrindo os elementos químicos: jogo lúdico proporcionando uma aprendizagem significativa sobre a tabela periódica. Revista de Pesquisa Interdisciplinar 2016;1,228–237.

Silva JB, Sales GL. Gamificação aplicada no ensino de física: um estudo de caso no ensino de óptica geométrica. Acta Scientiae 2017;19(5)782-798.

Bianchessi C, Mendes AAP. Ensino de história por meio de jogo digitais: relato de aprendizagem significativa com games. Tempos e espaços em educação. Rev. Tempos Espaços Educ 2019;12(29)145-160.

Mccoy L, Lewis JH, Dalton D. Gamification and multimedia for medical education: a landscape review. J. Am. Osteopath Assoc. 2016;116(1)22-34.

Ahmed M et al. Gamification in medical education. Medical Education 2015;(20)1-2.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. A B C D E das hepatites virais para agentes comunitários de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde 2009.

Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Projeto político pedagógico do curso de graduação em medicina. Paulo Afonso: UNIVASF, 2017. Disponível em: http://portais.univasf.edu.br/medicina-pa/medicina-pa/documentos-e-normas/ppc-medicina-univasf-campus-paulo-afonso-ba.pdf Acesso em: 20 de junho de 2019.

Tenório T, Bittencourt CPN, Tenório A. Percepções de Pesquisadores Brasileiros sobre Elementos e Estratégias da Gamificação a Serem Adotados em Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Revista Científica em Educação a Distância 2016;6(2)113-132.

Fragelli TBO. Gamificação como um processo de mudança no estilo de ensino aprendizagem no ensino superior: um relato de experiência. Revista Internacional de Educação Superior 2018; 4(1)221-

Martins C, Giraffa LMM, Lima VMR. Gamificação e seus potenciais como estratégia pedagógica no Ensino Superior. Novas tecnologias na Educação 2018;16(1)1-10.

Santos MLSV, Souza RNPM, Araújo MCS. A gamificação como estratégia de engajamento para a prática da educação ambiental. Revista eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental 2018;35(1)279-295.

Hamari J, Koivisto J, Sarsa H. Does gamification work? A literature review of empirical studies on gamification. 47th Hawaii International Conference on System Sciences. Finland: IEEE 2014;3025-34.

Gurgel PC, Fernandes MC. Jogos educacionais no ensino da enfermagem em saúde coletiva: relato de experiência. Rev enferm UFPE on line. 2015;9(9)9320-3.

Raines DA. Med-Match: An Interactive Game to Learn Medications for Clinical Practice. Nursing education perspectives, 2020;41(1):E8-E9.

Johnsen HM et al. Developing a Serious Game for Nurse Education. J Georontol Nurs 2018;44(1):15-19.

Day-Black C et al. Gamification: An Innovative Teaching-Learning Strategy for the Digital Nursing Students in a Community Health Nursing Course. ABNF J, 2015;26(4):90-4.

Vasconcelos MS, Carvalho FG, Monteiro JP. “Jogo do acesso aberto”: desenvolvendo um newsgame para a comunicação e saúde. RECIIS – Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde 2016;10(1).

Publicado
2020-04-17