Perfil dos Aplicativos para Auxílio na Doença de Alzheimer Disponíveis para Download

Resumo

Introdução: A Doença de Alzheimer (DA) representa o tipo mais frequente de demência em idosos. Objetiva-se descrever o perfil dos aplicativos disponíveis para DA e avaliar a preferência dos usuários dentre os perfis. Métodos: Foi feita uma pesquisa na plataforma Google Play Store™, utilizando o unitermo "Alzheimer", por aplicativos direcionados a pacientes com DA, cuidadores ou profissionais da saúde. Analisou-se as variáveis downloads e avaliações. Foram aplicados testes Chi-quadrado, a fim de verificar a independência entre os dados. Foi feita também análise qualitativa dos principais mecanismos destacados em aplicativos. Resultados: Em relação à população geral de aplicativos, os que contêm exercícios para memória são significativamente mais representativos em número de downloads, quando comparado aos que tratam de prevenção. Não houve diferença estatística entre os perfis em avaliações. As principais abordagens dos aplicativos voltados para pacientes foram exercícios para memória, daqueles para cuidadores, ferramentas informativas, e daqueles para profissionais da saúde, mecanismos de auxílio na prática clínica. Conclusão: Aplicativos para auxílio na DA são muito populares, apresentando diferentes abordagens. Estudos posteriores são necessários para analisar a capacidade técnica e a acessibilidade dos portadores de DA e dos cuidadores para utilização dos aplicativos disponíveis.

Palavras-Chave: Aplicativos. Doença de Alzheimer. Ferramentas Digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

David Nunes de Lima Junior, Universidade Federal do Ceará

Atualmente é aluno de graduação em Medicina da Universidade Federal do Ceará. Foi bolsista de iniciação científica pelo CNPq - PIBIC, entre 2018 e 2019, pelo projeto intitulado  “Evolução de Déficits Neurológicos em uma Coorte de Pacientes com Infecção por HTLV com ou sem Paraparesia Espástica Tropical”. Em 2018, atuou como Local Officer of National Exchange pela International Federation of Medical Student Association, na Universidade Federal do Ceará.

Gabriela Mie Ejima Basso, Universidade Federal do Ceará

Atualmente, é estudante de medicina na Universidade Federal do Ceará - UFC, em Fortaleza. Foi bolsista de iniciação científica pelo CNPq - PIBIC, em "Estudo das Complicações em uma Coorte de Pacientes com Doença Inflamatória Intestinal" entre 2018 e 2019.

Avelino Missialdes Dutra Júnior, Hospital Universitário Walter Cantídio

Atualmente é médico assistente da Ebserh no Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará com atuação nos ambulatórios de Doenças Neuromusculares e  Doenças Cognitivas.

Ruan Costa Gonçalves, Universidade Federal do Ceará

Graduando da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará. Fez parte do projeto Dr. Conta: uma história para você, entre 2017 e 2018. Vem se dedicando ao estudo de Urgências Médicas, ocupando o cargo de presidente do Samuzinho e de vice-presidente do Núcleo de Urgência e Emergência Pré-Hospitalar (NUEMPH), ambos projetos de extensão da UFC. Tem se dedicado, também, ao estudo da neurologia, sendo o atual presidente da Liga Acadêmica de Neurociências.

Ronaldo Ikaro Farias Araújo, Universidade Federal do Ceará

Atualmente é aluno de graduação em Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC). É graduado em Engenharia da Computação pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). Atuou como Gerente de Projetos e Gestor de Portfólio de Projetos de Software de 2008 a 2016 na empresa TOTVS.

Denisse Sales Paula, Universidade Federal do Ceará

Atualmente é aluna de graduação em Medicina da Universidade Federal do Ceará. É bolsista de iniciação científica pelo CNPq - PIBIC, pelo projeto intitulado “Evolução dos Déficits Neurológicos em uma coorte de pacientes com Esclerose Múltipla ou Outras Doenças Desmielinizantes do Sistema Nervoso Central”.

Renan Soares, Universidade Federal do Ceará

Atualmente é aluno do curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará. Foi monitor no Programa de Iniciação à Docência da UFC em Histologia e Embriologia humanas. É Técnico em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) - Campus Fortaleza. Atuou como estagiário no LMA (Laboratório de Limnologia e Microbiologia Ambiental), localizado no IFCE - Campus Fortaleza. Tem experiência em Química, Limnologia e Microbiologia, com ênfase em Microbiologia e Limnologia ambiental.

André Marinho Paiva Nogueira, Universidade Federal do Ceará

Atualmente é aluno de graduação em Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) e integrante da Liga Acadêmica de Neurociências da UFC.

Thiago André Gomes Costa Pereira, Universidade Federal do Ceará

Graduando da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará - UFC, em Fortaleza. É o atual Coordenador de Ensino da Liga de Neurociências da UFC. Além disso, é integrante da Liga do Câncer da UFC, atuando como Secretário.

José Lopes Tabatinga Neto, Universidade Federal do Ceará

Atualmente é aluno de graduação em Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC). É bolsista de iniciação científica pelo CNPq - PIBIC, pelo projeto intitulado “Análise da Correlação Genótipo-Fenótipo e Evolução Clínica de pacientes com Polineuropatia Amiloidótica Familiar”. É graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará.

Maria do Socorro de Sousa, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Saúde Coletiva pela UFC - Universidade Federal do Ceará, Mestra em Psicologia pela UNIFOR – Universidade de Fortaleza/CE, Especialista em Dinâmicas Grupais na Empresa e na Escola pela UNIFOR e em Administração na Organização de Eventos pela UECE – Universidade Estadual do Ceará, graduada em Pedagogia pela UECE– Universidade Estadual do Ceará. Atualmente, docente colaborador do Mestrado Profissional Ensino na Saúde da UECE – Universidade Estadual do Ceará e Mestrado em Saúde Coletiva pela UFC - Universidade Federal do Ceará.

Referências

Lane CA, Hardy J, Schott JM, Assadeck H, Toudou Daouda M, Adehossi Omar, et al. Alzheimer’s disease. Rev Neurol (Paris) [Internet]. 2018;175(4):261–8. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28872215

Burlá C, Camarano AA, Kanso S, Fernandes D, Nunes R. Panorama prospectivo das demências no Brasil: Um enfoque demográfico. Cienc e Saude Coletiva. 2013;18(10):2949–56.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Estratégia e plano de ação para a demência em idosos. 54º Conselho Diretor, 67ª Sessão do Comitê Regional da OMS para as Américas; 28 de setembro a 2 de outubro de 2015; Washington (DC), Estados Unidos. Washington (DC): OPAS; 2015.

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais [recurso eletrônico]: DSM-5 / [American Psychiatric Association ; tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento ... et al.] ; revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli … [et al.]. – 5. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Artmed, 2014.

Joddrell P, Astell AJ. Studies Involving People With Dementia and Touchscreen Technology: A Literature Review. JMIR Rehabil Assist Technol. 2016;3(2):e10. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28582254.

Rachel A, Uerj F, Simone M, Alencar DM. de informação e educação em saúde XIX Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2016 Eixo Temático : Ecologia da Informação - dispositivos móveis em contexto acadêmico O uso de aplicativos de saúde para dispositivos móveis como fontes de infor.

Anthony Berauk VL, Murugiah MK, Soh YC, Chuan Sheng Y, Wong TW, Ming LC. Mobile Health Applications for Caring of Older People: Review and Comparison. Ther Innov Regul Sci. 2018 May 1;52(3):374–82. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29714532.

Gilhooly KJ, Gilhooly MLM, Sullivan MP, McIntyre A, Wilson L, Harding E, et al. A meta-review of stress, coping and interventions in dementia and dementia caregiving. BMC Geriatr [Internet]. 2016;16(1):1–8. Available from: http://dx.doi.org/10.1186/s12877-016-0280-8

Gaugler J, James B, Johnson T, Scholz K, Weuve J. 2016 Alzheimer’s disease facts and figures. Alzheimer’s Dement [Internet]. 2016;12(4):459–509. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.jalz.2016.03.001

Sikder AT, Yang FC, Schafer R, Dowling GA, Traeger L, Jain FA. Mentalizing imagery therapy mobile app to enhance the mood of family dementia caregivers: Feasibility and limited efficacy testing. J Med Internet Res. 2019 Mar 1;21(3). Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6715046/pdf/aging_v2i1e12850.pdf

Brown EL, Ruggiano N, Page TF, Roberts L, Hristidis V, Whiteman KL, et al. Careheroes web and androidTM apps for dementia caregivers: A feasibility study. Res Gerontol Nurs. 2016;9(4):193–203.

Kallio EL, Öhman H, Kautiainen H, Hietanen M, Pitkälä K. Cognitive Training Interventions for Patients with Alzheimer’s Disease: A Systematic Review. J Alzheimer’s Dis. 2017;56(4):1349–72. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28222505.

Gates NJ, Sachdev P. Is cognitive training an effective treatment for preclinical and early alzheimer’s disease? J Alzheimer’s Dis. 2014;42:S551–9. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25171716.

Wang Y, McKee M, Torbica A, Stuckler D. Systematic Literature Review on the Spread of Health-related Misinformation on Social Media. Soc Sci Med [Internet]. 2019;240:112552. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31561111.

Ventola CL. Mobile devices and apps for health care professionals: uses and benefits. P T. 2014;39(5):356–364. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4029126/.

Gardener S, Gu Y, Rainey-Smith SR, Keogh JB, Clifton PM, Mathieson SL, et al. Adherence to a Mediterranean diet and Alzheimer’s disease risk in an Australian population. Transl Psychiatry. 2012;2(June). Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3565821/

Publicado
2020-04-17