Sujeito, Ação Coletiva e Mobilização: a brinquedoteca hospitalar e o direito ao brincar

  • Bruna Alves Lopes Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
  • Constantino Ribeiro de Oliveira Junior Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
  • Solange Aparecida Barbosa de Moraes Barros Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
Palavras-chave: Brinquedoteca hospitalar, Sujeito, Ação Coletiva/Mobilização

Resumo

Apresentamos, neste trabalho, a brinquedoteca hospitalar enquanto um instrumento de preservação do direito de brincar. A partir das discussões ocorridas no Seminário Nacional Brinquedoteca: a importância do brinquedo na saúde e na educaçãorealizado no Senado Federal e organizado pela Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, no dia 10 de agosto de 2005 – e à luz das categorias sujeito, ação coletiva e mobilização, procuramos desvendar quem são os atores envolvidos no processo que resultou na aprovação da Lei 11.104/2005, assim como a mobilização (ou não) para a efetivação da mesma. A metodologia adotada neste estudo é a análise do discurso compreendido como um meio de produção dos sentidos e constituição dos sujeitos. Nesse sentido, no discurso, há sempre disputas, relações de poder, além de uma instabilidade. Observamos que, apesar das primeiras brinquedotecas terem sido implantadas no Brasil na década de 1980, seria apenas na década seguinte que a conjuntura nacional proporcionaria as condições para o debate e a implantação de brinquedotecas nos hospitais pediátricos no nosso país. 

Biografia do Autor

Bruna Alves Lopes, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
Graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Mestre em Ciências Sociais Aplicadas, sendo bolsista CAPES no decorrer da realização do mestrado. Doutoranda em Ciências Sociais Aplicadas pela mesma instituição de ensino
Constantino Ribeiro de Oliveira Junior, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
Docente do Departamento de Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Coordenador dos grupos de estudos “Esporte, Lazer e Sociedade” e do Núcleo de Ensino, Pesquisa, Extensão e Assessoria sobre Infância e Adolescente (NEPIA).
Solange Aparecida Barbosa de Moraes Barros, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
Docente do Departamento de Serviço Social e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).  Coordenadora do Núcleo de Ensino, Pesquisa, Extensão e Assessoria sobre Infância e Adolescente (NEPIA)

Referências

ABRÃO, Jorge Luís Ferreira. et al. Que brincadeira é essa? A brinquedoteca móvel no hospital. In: Anais do XIX Encontro de Psicologia e VI Encontro de Pós-Graduação. Assis, 2006.

ANGELO, Thayane Silva de; VIEIRA, Maria Rita Rodrigues. Brinquedoteca hospitalar: da teoria à prática. Ciência e Saúde. abr./jun. 2010. p. 84-90.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE BRINQUEDOTECAS (ABBri). Disponível em: <http://www.brinquedoteca.org.br/si/site/0021000/p>. Acesso em: 23 mai. 2014.

ATKINSON, Pat. Uma breve história das brinquedotecas. In: OLIVEIRA, Vera Barros de (Org.). Brinquedoteca: uma visão internacional. Tradução de Ricardo Smith e Priscila Pesce. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 36-41.

BARRETO, Lima. Histórias e Sonhos. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 2001.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. Tradução de Marcus Vinicius Mazzari. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2002.

BECKER, Maria Lucia. Sociedade civil, esfera pública e mídia: confrontos e convergências entre diferentes concepções. In: LUIZ, Danuta E. Cantoia (Org.). Sociedade civil e democracia: expressões contemporâneas. São Paulo: Veras Editora, 2010. p. 87-108.

BEZERRA, Fátima. Apresentação. In: Seminário Nacional Brinquedoteca: A importância do brincar na saúde e na educação. Brasília. DF. 2005. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/clp/relatorios-de-atividades/brinquedoteca120307.pdf>. Acesso em: 23 mai. 2014.

BOBBIO, Norberto. Dicionário de Política. 11. ed. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1998. p. 765-766.

BOND, Fernanda. O ator-autor – a questão da autoria nas formas teatrais contemporâneas. In: VI Congresso de Pesquisa e pós-graduação em Artes Cênicas. 2010. Disponível em: <http://portalabrace.org/vicongresso/processos/Fernanda%20Bond%20-%20O%20Ator%20autor.pdf >. Acesso em: 23 mai. 2014.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da criança e do adolescente e dá outras providências. Brasília, DF, 1990.

BRASÍLIA. Seminário Nacional Brinquedoteca: a importância do brincar na saúde e na educação. Brasília. DF. 2005. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/clp/relatorios-de-atividades/brinquedoteca120307.pdf>. Acesso em: 23 mai. 2014.

BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e Cultura. Tradução de Gisela Wajskop. 3. ed. São Paulo, Cortez, 2000.

BOURGUIGNON, Jussara Ayres. O retorno e o alcance das pesquisas desenvolvidas na área social. In: BOURGUIGNON, Jussara Ayres (Org.). Pesquisa social: reflexões teóricas e metodológicas. Ponta Grossa, PR: Toda Palavra, 2009. p. 171-181.

CORSINO, Patricia. Pensando a infância e o direito de brincar. In: Salto para o futuro – Jogos e brincadeiras: desafios e descobertas. Ano XVIII, Boletim 07, maio, 2008.

CUNHA, Nylse Helena da Silva. Brinquedoteca: definição, histórico no Brasil e no Mundo. In: FRIEDMANN, Adriana. O Direito de Brincar: a brinquedoteca. São Paulo: Abrinq, 1992.

DIETZ, Karin Gerlach; OLIVEIRA, Vera Barros de. Brinquedotecas hospitalares, sua análise em função de critérios de qualidade. Boletim Academia Paulista de Psicologia, jan./jun., ano/vol. XXVIII, nº 001, 2008. p. 100-110.

FORTES, Paulo Antonio de Carvalho. Ética, direitos dos usuários e políticas de humanização da atenção à saúde. Revista Saúde e Sociedade. v. 13, n. 3, set./dez. 2004. p. 30-35.

FORTUNA, Tânia Ramos. Para um modelo de brinquedotecas para a América Latina. 2008. Disponível em: <http://www.abrinquedoteca.com.br/integra/hacia_modelo_ludotecas_para_AL.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2013.

____________. Por uma brinquedoteca “suficientemente boa”: alguns valores para que as brinquedotecas da América Latina nos encontrem no futuro. In: OLIVEIRA, Vera Barros de (Org.). Brinquedoteca: uma visão internacional. Tradução de Ricardo Smith e Priscila Pesce. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 162-182.

FRANCO, Raquel Rodrigues; BATISTA, Cleide Vitor Mussini. A criança e o direito de brincar como um direito de liberdade. 2007, p. 1446-1458. Disponível em: <http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2007/anaisEvento/arquivos/CI-200-12.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2013.

FUCHS, Renata. A experiência européia das brinquedotecas. In: OLIVEIRA, Vera Barros de (Org.). Brinquedoteca: uma visão internacional. Tradução de Ricardo Smith e Priscila Pesce. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 43-51.

GADEA, Carlos A.; SHERER-WARREN, Ilse. A contribuição de Alain Touraine para o debate sobre sujeito e democracia Latino-americanos. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, 25, nov. 2005. p. 39-45.

GIAMBI, Fábio. Rompendo com a ruptura: o governo Lula. Texto para Discussão nº 93. Rio de Janeiro: BNDES. Abril, 52p. 2003.

GOHN, Maria da Glória. A contribuição de Alain Touraine para a produção do conhecimento na sociologia urbana: sujeitos coletivos e multiculturalidade. In: 30º Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, 2006. p. 1-33.

____________. Abordagens teóricas no estudo dos movimentos sociais na América Latina. Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 54, set./dez. 2008. p. 439-455.

____________. Novas abordagens teóricas sobre as ações coletivas na América Latina. In: GOHN, Maria da Glória. Novas Teorias dos Movimentos Sociais. Edições Loyola, São Paulo, 2009. p. 59-71.

GOMES, Ilvana Lima Verde; CAETANO, Rosângela; JORGE, Maria Salete Bessa. A crianças e seus direitos na família e na sociedade: uma cartografia das leis e resoluções. Revista Brasileira de Enfermagem. jan./fev. 2008, p. 61-65.

KAILER, Priscila Gabriele da Luz; MIZUNUMA, Samanta. As contribuições dos brinquedistas hospitalares nas concepções dos profissionais da saúde. IX Congresso de Educação – EDUCERE – III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. 26 a 29 de outubro de 2009, PUCPR.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O Jogo e a educação infantil. In: KISHIMOTO; Tizuko Morchida. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 1996.

____________. A brinquedoteca no contexto educativo brasileiro e internacional. In: OLIVEIRA, Vera Barros de (Org.). Brinquedoteca: uma visão internacional. Tradução de Ricardo Smith e Priscila Pesce. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 15-35.

LANÇA, Isabel Babo. Mobilização. In: MAIA, Rui Leandro (Coord.). Dicionário de Sociologia. Porto Editora, Lda. 2002. p. 244.

LIMA, Mayara Barbosa Sindeaux. Descrição e avaliação das brinquedotecas hospitalares em Belém. Dissertação (mestrado). Belém: Universidade Federal do Pará, 2011.

LOURENÇO, Ana; SANTOS, Leonor; ABECASIS, Vera. Portugal: 30 anos de brinquedoteca, uma aventura no mundo lúdico. In: OLIVEIRA, Vera Barros de (Org.). Brinquedoteca: uma visão internacional. Tradução de Ricardo Smith e Priscila Pesce. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 141-153.

MEDRANO, Carlos Alberto. Do silêncio ao brincar: história do presente da saúde pública, da psicanálise e da infância. São Paulo: Vetor, 2004.

MENEZES, Debora Holanda Leite. A política de saúde brasileira: os impactos da década de 90 aos dias atuais. V Jornada Internacional de Políticas Públicas. São Luís, Maranhão, ago. 2011.

MORAIS, Juliane; PAULA, Ercília Maria Angeli Teixeira de. A brinquedoteca hospitalar como espaço de humanização e educação não formal. Cadernos de Pedagogia. São Carlos, ano 4, v. 4, n. 7, p. 75-85, jan./jun. 2010.

MONTEIRO, Leonardo. O papel do brinquedo na Educação e na Saúde (abertura). In: Seminário Nacional Brinquedoteca: a importância do brincar na saúde e na educação. Brasília. DF. 2005. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/clp/relatorios-de-atividades/brinquedoteca120307.pdf>. Acesso em: 23 mai. 2014.

MUNIMOS, Aída Scharf. A Brinquedoteca na promoção da saúde (mesa de debate). In: Seminário Nacional Brinquedoteca: a importância do brincar na saúde e na educação. Brasília. DF. 2005. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/clp/relatorios-de-atividades/brinquedoteca120307.pdf>. Acesso em: 23 mai. 2014.

____________. Relato de Experiência com Brinquedoteca Hospitalar: Hospital Regional Sul – São Paulo. In: VIEGAS, Drauzio (Org.). Brinquedoteca hospitalar: isto é humanização. Associação Brasileira de Brinquedotecas. Rio de Janeiro: Walk, 2007.

MUNEJIMA, Noriko. Atividades das brinquedotecas japonesas e seu suporte às crianças com necessidades especiais e suas famílias. In: OLIVEIRA, Vera Barros de (Org.). Brinquedoteca: uma visão internacional. Tradução de Ricardo Smith e Priscila Pesce. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 87-104.

OLIVEIRA, Alessandra dos Santos; LUENGO, Fabiola Colombani; BARROS, Flávia Cristina Oliveira Murbach. Brinquedoteca: proporcionando reflexões sob três experiências significativas. Revista Travessias. Disponível em: <http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/3273>. Acesso em: 23 mai. 2014.

PACHECO, Bárbara Guimarães; BONASSI, Silvia Maria. Reflexões acerca da implantação e funcionamento de uma brinquedoteca no âmbito hospitalar. Revista An.Siencult. Paranaíba, v. 2, n. 1, 2010. p. 57-65.

PAULA, Ercília Maria Angeli Teixeira de. Educação Popular em uma Brinquedoteca Hospitalar: Humanizando relações e construindo cidadania. In: Anais da 31ª Reunião Anual da ANPED – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 2008, Caxambu, 2008. p. 01-16.

PAULA, Ercília Maria Angeli Teixeira de; FOLTRAN, Elenice Parise. Brinquedoteca Hospitalar: Direito das crianças e dos adolescentes hospitalizados. Revista Conexão. 3. ed., 2008. Disponível em: <http://www.uepg.br/revistaconexao/revista/edicao03/artigo4.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2013.

____________. Projeto Brilhar: brinquedoteca, literatura e arte no ambiente hospitalar. In: VII Encontro de Pesquisa da UEPG e 5º Encontro de Extensão da UEPG, Ponta Grossa, 2007.

PATIÑO, Joana Fontes. Compreendendo como as crianças significam o direito ao brincar. Natal, 2010, 281p. Dissertação Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2010.

RABENHORST. Eduardo. O que são direitos humanos? Disponível em: <http://www.dhnet.org.br/dados/cursos/edh/redh/01/01_rabenhorst_oqs_dh.pdf>. Acesso em: 23 mai. 2014.

ROSENBERG-REINER, Sylvie. O papel das associações para crianças hospitalizadas a frança e na Europa. In: LEITGEL-GILLE, Marluce. Boi da cara preta: crianças no hospital. Tradução de Helena Lemos. Salvador: EDUFBA, Ágalma, 2003. p. 16-46.

SILVA, Tania Melissa Archangelo da; MATOS, Elizete Lúcia Moreira. Brinquedoteca hospitalar: uma realidade de humanização para atender crianças hospitalizadas. IX Congresso de Educação – EDUCERE – III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. 26 a 29 de outubro de 2009, PUCPR.

SOLÉ, Maria Borja i. As ludotecas na Espanha: entre a continuação e a mudança sua aplicação na sociedade. In: OLIVEIRA, Vera Barros de (Org.). Brinquedoteca: uma visão internacional. Tradução de Ricardo Smith e Priscila Pesce. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 70-85.

TOURAINE, Alain. Podemos viver juntos: iguais e diferentes. Tradução de Jaime A. Clase e Ephraim F. Alves. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

___________. Um novo paradigma: para compreender o mundo de hoje. Tradução de Gentil Avelino Titton. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

VERONESE, Marilia Veríssimo; LACERDA, Luiz Felipe Barboza. O sujeito e o indivíduo na perspectiva de Alain Touraine. Revista Sociedade e Cultura. v. 14, n. 02, jul./dez. 2011. p. 419-423.

VIEGAS, Dráuzio. O papel do brinquedo na Educação e na Saúde. In: Seminário Nacional Brinquedoteca: a importância do brincar na saúde e na educação. Brasília. DF. 2005. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/clp/relatorios-de-atividades/brinquedoteca120307>. Acesso em: 23 mai. 2014.

VILLELA, Fábio Camargo Bandeira; MARCOS, Suelen Cristiane. Brinquedoteca hospitalar: da obrigatoriedade legal ao desrespeito à lei – lei federal de nº 11.104/2005 como caso emblemático envolvendo limites nas medidas de humanização hospitalar. ETIC - ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, v. 5, 2009. p. 1-20.

WANDERLEY, Luiz Eduardo W. Os sujeitos sociais em questão. Revista Serviço Social e Sociedade, dez. 1992.

Publicado
2016-04-19