A ordem social na teoria de Max Weber

Palavras-chave: Max Weber, Macrossociologia, Ordem social

Resumo

Os estudos atualizativos dos escritos de Max Weber questionam seu estatuto de “individualista metodológico”. Perseguindo esses esforços antirreducionistas, visualizamos em seus escritos metodológicos (nomeadamente, Kategorien de 1913 e Grundbegriffe de 1921) uma a macrossociologia das ordens sociais – que será objeto de discussão neste estudo. Em termos formais, em ambos os textos Weber concebe a ordem como o ápice do nível macro. Em termos substantivos, todavia, enquanto em 1913 a ordem é exposta como uma regulamentação da relação social que possui validade formal, em 1921, ao inserir o elemento moral-normativo da vigência legítima, a ordem é descrita como um conjunto de deveres considerados máximas obrigatórias para as ações. Quer dizer,  Weber deixa de pensar a ordem somente em função do direito (ordem estabelecida) e passa a articular seu raciocínio a partir da política (ordem legítima).

Biografia do Autor

Bruna dos Santos Bolda, Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil

É doutoranda em Sociologia e Ciência Política na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Concluiu o Mestrado em Sociologia Política na mesma instituição em 2020, com bolsa CNPq. Fez licenciatura em Ciências Sociais na Universidade Regional de Blumenau (FURB) com bolsa de Iniciação Científica PIPe/Artigo 170 (2014 a 2017). Atuou, em 2015, como Professora de Sociologia e Filosofia no Instituição de Ensino Centro Educacional Recriarte. Atualmente é professora da Faculdade Porto das Águas (FAPAG). Desenvolve pesquisas sobre o pensamento de Max Weber, discutindo principalmente o tema da metodologia e epistemologia.

Publicado
2020-08-11