Úlcera labial: manifestação atípica de leucemia linfocítica crônica.

  • Carlos Henrique de Oliveira Araújo Universidade Federal do Ceará
  • Jéssica Gomes Carneiro Universidade Federal do Ceará
  • Aline Salmito Frota Universidade Federal do Ceará
  • Hercília Maria Carvalho Queiroz Universidade Federal do Ceará
  • Juliana Maria Cavalcante Ribeiro Ramos Universidade Federal do Ceará
  • Carina Maria de Sena Machado Universidade Federal do Ceará
  • José Wilson Accioly Filho Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Úlcera, Lábio, Leucemia linfocítica crônica.

Resumo

A Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) é caracterizada pela proliferação e acúmulo progressivo de linfócitos relativamente maduros, funcionalmente incompetentes e monoclonais na corrente sanguínea, medula óssea e tecidos linfáticos. Na maioria dos casos, um único clone de linfócitos B passa por transformação maligna, mas uma pequena porcentagem dos casos envolve linfócitos T monoclonais. É doença predominantemente do idoso, com idade mediana ao diagnóstico de 70 anos. Apresentamos paciente de 78 anos, que procurou atendimento com queixa de astenia e linfadenomegalias em cadeias cervicais e epitrocleares, apresentando úlcera e aumento volumétrico de lábio inferior à esquerda, de surgimento recente. Hemograma e imunofenotipagem de sangue periférico confirmaram o diagnóstico de LLC e exame histopatológico e imunohistoquímica da lesão em lábio evidenciaram infiltração leucêmica. Tratamento específico da LLC levou à regressão completa da úlcera. Na LLC, até 25% dos pacientes são assintomáticos na ocasião do diagnóstico, mas apresentam linfocitose em sangue periférico, linfonodomegalias ou esplenomegalia nos exames de rotina. Outros sintomas, como mal estar, linfadenopatia cervical dolorosa, hepatomegalia, dor esternal, infiltração amigdaliana, nódulos retroperitoneais e, raramente, infiltração cutânea, equimoses ou sangramentos também podem ser a manifestação inicial, como no caso descrito.

Biografia do Autor

Jéssica Gomes Carneiro, Universidade Federal do Ceará
Tem experiência na área de Saúde, com ênfase em Medicina e Dermatologia.
Hercília Maria Carvalho Queiroz, Universidade Federal do Ceará
Médica formada pela Universidade Estadual do Ceará. Dermatologista pelo Hospital Universitário Walter Cantídio - Universidade Federal do Ceará. Título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Juliana Maria Cavalcante Ribeiro Ramos, Universidade Federal do Ceará
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Maranhão (2011). Atualmente, cursando Residência Médica em Dermatologia no Hospital Universitário Walter Cantídio / Universidade Federal do Ceará.
Carina Maria de Sena Machado, Universidade Federal do Ceará
Atua principalmente nos seguintes temas: Médica Emergencista e Médica Residente de Dermatologia pelo Hospital Universitário Walter Cantídio
Publicado
2015-12-31
Seção
RELATOS DE CASO